quinta-feira, 30 de agosto de 2012

E Vamos às Urnas!!

Bom dia, Pessoal

Bem... nós, verdadeiramente ainda não vamos às urnas, pois não somos cidadãos canadenses, mas sempre é bom estar em dia com a política local. Teremos eleição provincial em setembro. Temos acompanhado bastante insatisfação por parte da população do Québec por conta de diversas crises que vêm se acumulando no decorrer dos anos: alto índice de impostos, corrupção no governo, greve estudante por causa da alta nas tarifas escolares, etc. Assim, em primeiro de agosto, o nosso primeiro-ministro Jean Charest foi obrigado a dissolver o parlamento e as eleições estão marcadas para quatro de setembro. Normalmente os deputados e outros líderes de forças agentes, como os estudantes e professores, esperam o quarto ou quinto ano de mandato para começar a reclamar ou fazer passeatas e manifestações para que os políticos solicitem a dissolução do parlamento. Foi o caso neste ano (quarto deste mandato de Charest).

Falando um pouco sobre as eleições, temos um tipo de eleição mais usado em sistemas de governo parlamentaristas, como o do Canadá/Québec. O nosso modelo de eleição aqui é chamado de Pluralitário Uninominal. Isso quer dizer que a gente vota em um candidato de um partido, que representa uma circunscrição eleitoral. Se você habita, por exemplo, em Candiac, como nós, você deve votar nos candidatos de sua circunscrição. Cada partido pode ter um único candidato em cada circunscrição. Obviamente, o candidato com mais votos fica com a cadeira no parlamento. E o partido que tiver mais candidatos eleitos fica com o controle do governo e o líder do partido vira primeiro-ministro. As vantagens são a simplicidade do processo e também a estabilidade, pois o governo será sempre majoritário no parlamento. As desvantagens são que é possível eleger candidatos com menos de 50% dos votos, pois pode haver vários partidos em cada circunscrição eleitoral e também que os partidos pequenos não são favorecidos.

Isto posto, vamos aos candidatos principais:

1. Jean Charest: este é o primeiro-ministro atual, do partido Liberal (PLQ). Todos por aqui dizem que ele é sustentado pelos anglofônicos e a sua taxa de insatisfação é de 70%. No entanto, ele segue muito confiante e sem propostas de mudança. Acredito que isso deva-se ao fato de que a maioria do povo francês não vai às urnas (normalmente, a taxa de comparecimento é de 30%, pois o voto não é obrigatório). Assim, as pesquisas não podem ser levadas muito em conta, pois se somente os que lhe apoiam vão votar, o resultado será bem diferente das previsões. Os membros do partido Liberal são chamados "liberais" ou "liberalistas";



2. Pauline Marois: chefe da oposição, do partido Québecóis, líder nas pesquisas. Ela assume uma postura que é chamada de "souveranista". Isso quer dizer que ela é a favor da soberania do Québec (leia-se independência). Ela é considerada o Lula do Québec, e como tal, ela tem um desafio difícil pela frente, que é de controlar a turma mais radical do partido e os sindicatos, pois ela precisa também convencer os que não são a favor da soberania, e há muitos que não querem a soberania do QC. No entanto, ela provavelmente irá agir nesta direção, colocando em pauta o referendo para decidir se o QC deve ser um país independente ou não. Ela se pronunciou quanto às questões de imigração, dizendo que irá priorizar os imigrantes que utilisam a língua francesa. Vai também criar a "cidadania québecoise", ou seja, além de ter a cidadania canadense, existirá também a do QC. Vamos ver... Os membros do partido québecois são chamados de "pequistas", em alusão à sigla do partido PQ.

3. François Legault: chefe do novo partido chamado "Coalision-Avenir-Québec" (coalisão pelo futuro do Québec), ou CAQ. Ele era do PQ e rompeu devido à desentendimentos com a chefe Pauline Marois. Saiu para fundar a CAQ. É o segundo nas pesquisas, seguindo de perto o PQ. Até agora, pelo que consegui acompanhar, o povo do Québec está bem dividido em relação à Legault. Ele tem uma plataforma baseada na reforma educacional do Québec. Acredita que o povo está se acostumando à "boa vida" sendo sustentado pelo governo (o que é verdade para uma parte da população) e quer incentivar as pessoas a estudar mais e melhor. Pretende estender a jornada escolar até às 5 da tarde (hoje termina às 3h) e diz que teremos um médico para cada québecóis (creio ser impossível de conseguir isso, visto que temos um fluxo migratório enorme de médicos em direção ao setor privado ou para outras províncias). Os membros do partido são chamados de "caquistas", em alusão à sigla CAQ.

Bem, é isso! Vamos esperar que o povo do Québec faça uma boa escolha, já que nosso destino está nas mãos deles, e também que eles decidam ir em massa para votar, pois ficar reclamando e não votar não está com nada, não é mesmo?

E vamos seguindo com passos firmes, politicamente corretos, de quem sabe onde quer chegar!

Abração e a Paz
Igor Schultz

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Por do Sol na Janela

Rapidinho, pessoal...

Vejam só o por do sol que a gente teve na janela da Thabata no final do mês de agosto. Sensacional! O segundo andar inteiro ficava iluminado.... Bem, isso foi no final do verao e agora já temos noite depois das 6h da tarde... Está esfriando rápido!


Abraçao e a Paz
Igor Schultz

Testando o Train de Banlieue

Allo, Povo de Deus
O "banlieue" é a regiao que fica em volta de uma metrópole principal, como Montréal. É a melhor traduçao em francês para a palavra inglesa "suburb", mas nao cai bem com o português "subúrbio". Esta palavra descreve os locais bem distantes do centro, onde se pode morar com tranquilidade e muita qualidade de vida, mas em um lugar como Candiac, dá até pra ouvir a grama crescendo...

E aqui na regiao de Montréal, a Agence Métropolitaine de Transport (AMT) disponibiliza uma rede de trens e ônibus que levam para o banlieue, indo para várias direçoes. O trem é sensacional, muito limpo, confortável e silencioso. Daqui de casa até o centro de Montréal (estação de metrô Lucien L'Allier) leva un 40 minutos. Veja o mapa abaixo. A nossa linha é a amarela. Pegamos o trem na estação Candiac, que fica à menos de 5 minutos de carro de nossa casa.


O que precisa prestar atenção em relação ao trem é a grade de horários. Existem algumas linhas, como a nossa, em que o trem não passa toda hora. Ele vem pro centro algumas vezes de manhã e volta para Candiac algumas vezes à tarde. O último trem para casa é às 18:20. Depois, só de ônibus, e o horário também é restrito, mas mais disponível. Assim, por exemplo, ao se escolher um lugar para morar no banlieue, é importante saber se os horários do trem serão compatíveis com as atividades que a gente tem no dia, que não são somente ir e voltar do trabalho, mas também podem ser levar as crianças para a escola, o bebê para a garderie, algum esporte, atividades sociais ou na igreja, etc. O que normalmente o povo faz é ir de carro ou bicicleta até a estação e deixar seu transporte lá para pegar o trem, apesar de que é possível viajar com a bicicleta no trem em alguns horários. É possível também pegar um ônibus para ir até a estação, cujos horários são sincronizados com os horários do trem.

Preços:
O trem é pago como o metrô. Pode-se comprar um passe mensal ou ainda outros passes. Porém, antes de saber os preços é importante conhecer as zonas de tarifação da AMT. Dependendo do lugar onde você mora (mais longe ou mais perto), a tarifa muda de acordo com as zonas. No nosso caso, em Candiac, estamos na zona 5. No site da AMT tem um link para as tarifas e um mapa das zonas.

A AMT divide as tarifas em três categorias:
  • Train: passe só para usar o trem;
  • TRAM: passe válido para o trem, toda a rede de ônibus metropolitano e o metrô de Montréal
  • Ônibus metropolitano: passe válido somente para o ônibus (o preço varia conforme o destino).
Veja algumas tarifas (preços em CDN$):
  • Passe de trem individual (uma viagem só de ida): $7
  • Passe de trem mensal - zona 5: $ 125
  • Passe de trem reduzido estudante - zona 5: $88
  • Passe TRAM mensal - zona 5: $147
  • Passe de ônibus metropolitano mensal à Montréal: $96
  • Passe de ônibus metropolitano individual à Montréal: $6,75
Para se ter uma idéia, o passe mensal de metrô e ônibus em Montréal pela STM custa $75 o regular e $45 o reduzido estudante. Assim, tem que se considerar esta mudança no orçamento do transporte quando se muda para o banlieue. Mesmo assim, é muito mais barato do que ir de carro ao centro, além de fazer bem ao meio-ambiente.

E vamos seguindo sempre em frente, com passos firmes de quem sabe onde quer chegar!

Abração e a Paz

video