sábado, 28 de setembro de 2013

Maratona de Montréal 2013

Olá, Pessoal!

Bem, como parte da série de posts "Já faz dois meses que aconteceu e eu não tive tempo de postar ainda", aproveito para colocar em dia o nosso amado bloguinho. Começamos então pela Maratona de Montréal, que aconteceu no último dia 28 de setembro. Esta prova faz parte do circuito Rock'n'roll, que contempla várias corridas pela América do Norte e neste final de semana teve várias provas em Montréal. Mas desta vez eu estava lá para terminar a maratona, com dois objetivos: não parar de correr (na primeira tentativa há dois anos atrás, parei aos 27km e terminei a prova em 4h11) e terminar a prova em menos de 4h.

E consegui as duas coisas!!! Graças a Deus.

Bem, largamos debaixo de uma chuva média que caía sobre o Parc Jean Drapeau... sempre com uma banda tocando a cada 1km. Impressionante! Logo pegamos o autódromo e saímos para o centro velho. Até aí, tudo plano. Então, no Vieux-Montréal começaram as primeiras subidinhas, com 15km, mas nada de mais, pois eu sabia que a grande subida da Grand Bibliotéque estaria me esperando. Meu técnico brasileiro da Trainer me deu o conselho de atacar as subidas e não ser atacado. Foi o que fiz. Passei o subidão e cheguei na reta final da meia-maratona, mas ainda faltavam 20km pela frente. Então, seguimos para um ida-e-volta até Ahunstic-Cartierville... Quando voltamos, estávamos em 32km e passamos novamente pela chegada, dava pra ver ela ali, a alguns metros a nossa frente, e então viramos à direita para mais 10km - ida e volta até o Parc Olimpique. Foi quando um brasileiro encostou em mim e vendo a minha bandeira do brasil estampada em minha camiseta, disse: "Olha! Deixa eu pegar uma energia de um brasileiro!", Respondi, ofegante: "Não pega não, porque se você pegar eu desmaio.... ". Tava realmente acabando a gasolina, mas não dava pra parar. Neste momento senti o que todo mundo fala que acontece à partir dos tais 32km... o corpo inteiro te pede pra parar, e você só tem a sua cabeça que manda continuar. Precisa muito auto-controle. É como se fosse uma cabeça voando e ter de esquecer o resto... Mas conseguimos, eu, minha cabeça e o resto do corpo, cruzar a linha de chegada em 3h51'

Ufa... E vamos para mais desafios em 2014! Seguindo com passos firmes de quem sabe onde quer chegar!

Abração e a Paz
Igor Schultz

PS: Passei a reta de chegada, achei o primeiro gramado enlameado que tinha, deitei e esperei que as pernas acordassem. O que está escorrendo de minha boca não é sangue, mas sim gel de carboidrato que deve ter sobrado na última dose....

video