sábado, 29 de dezembro de 2012

Neve de Verdade na Guirlanda

Oie, Pessoal

Hoje estava entrando em casa e reparei em nossa guirlanda: normalmente no Brasil a gente colocava algodões para fazer de conta que era neve, mas agora, olhando a decoração, me dei conta de que a neve é de verdade, ihihihi...



Abração e a Paz
Igor Schultz

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Estamos Vivos, Apesar do Inverno...

Olá, Pessoal!

Sim! Estamos vivos! Depois de mais de 2 meses sem notícias por aqui, finalmente resolvemos priorizar nosso bloguinho. Pedimos desculpas aos nossos seguidores, mas depois que compramos nossa casa acabamos entrando em uma rotina bem definida, com o meu trabalho, a escola das crianças e os cuidados com o bebê, e finalmente, a novidade está realmente virando rotina...
 
Mas agora estamos em uma semana um pouco mais tranquila entre o Natal e o ano novo e assim podemos escrever um pouco no blog. Quero começar com um pouco do estilo de vida de inverno, que são coisas bem características de quem compra uma casa. A gente não sabia o trabalho que dava cuidar da casa, porque a gente morava em um apartamento alugado.
 
Assim, a maioria das pessoas daqui da região contratam um déneigeur que é uma empresa responsável por tirar a neve que cai sobre o seu terreno. Dependendo de quais locais você contrata para tirar a neve, o preço varia. Nós contratamos uma empresa chamada Entretien Beau Terrain, e contratamos eles para tirar a neve somente do nosso parkway (entrada da garagem). Eles vêm 3 vezes por dia se tem mais de 5cm de neve. Assim, o cara aparece com um tratorzinho e um tirador de neve e joga a neve no nosso próprio terreno, mas fora do parkway. Pagamos $270 pelo serviço e vale a pena, pois nesta semana tivemos uma nevasca que eu acho que estaria cavando até agora se não tivesse o serviço dos caras, mas tem que prever no orçamento...
 
video
 
E vamos seguindo com passos firmes e gelados de quem sabe onde quer chegar!
Abração e a Paz
 
 

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Escola Secundária no Québec: Fim da História

Boa noite, Povo de Deus

Para entender este post, será necessário antes ler o dossier completo sobre a educação secundária do Québec. No final deste post, a gente dizia que as crianças tinham conseguido suas vagas na École F.A.C.E. na comissão escolar de Montréal (CSDM), mas que estávamos esperando a aprovação da comissão escolar quando as crianças tivessem seus boletins indicando que foram aprovados para o regular.
 
Bem, voltei no início do ano à F.A.C.E. para verificar como estava a situação e tudo foi confirmado novamente. Então, recebi uma ligação desta escola no início de junho para me pedir o pagamento das taxas escolares de CAD$ 419,00 para cada um. Então, fui visitar a escola, pois a última notícia que tinha era que eles nem haviam sido aprovados pela comissão escolar. Então como a escola estaria me pedindo as taxas? Chegando lá, me deparei com duas situações inesperadas: o quadro de funcionários da escola mudou completamente! Desde o diretor até todos os funcionários administrativos tinham sido trocados. E então veio a segundo novidade: só o Matheus havia sido aprovado para entrar. A Thabata não havia conseguido a vaga. Então, perguntei sobre o que havia sido acordado, levei os comprovantes de aprovação dos dois alunos, mas ninguém lembrava ou sabia do que havia acontecido (!!!!), mesmo com os comprovantes!!! Questionei o porquê do Matheus ter sido aceito, já que ambos não haviam sido aprovados pela comissão escolar, e comecei a ser questionado quanto à vaga dele. Me perguntaram: "Como que seu filho foi aprovado se não existe o acordo com a comissão escolar?" Eu falei: "Não sei! Essa pergunta sou eu quem tenho que fazer!!!". Então, de uma situação onde tudo estava resolvido, passamos a ficar com medo da Thabata simplesmente não ter onde estudar! Ficamos surpreendidos e impressionados sobre como tudo mudou de uma semana para a outra...
 
Então, como que em um milagre na semana seguinte, quase já no finalzinho de junho, nos ligaram do Collège Saint-Louis, uma das melhores escolas do Québec, e a escola que as crianças haviam amado quando tinham ido na journée portes-ouvertes. Eles queriam uma entrevista com os nossos filhos.  Marquei para terça da próxima semana. As crianças foram e fizeram um teste junto com várias outras crianças, onde o objetivo era fazer uma apresentação sobre mostrar o valor da educação para os pais. De acordo com o que disseram nossos filhos, os candidatos simplesmente se calaram e eles acabaram tendo que liderar a discussão e até apresentar o resultado. Enfim, no outro dia me ligaram dizendo que eles haviam sido aprovados. Da desesperança à alegria total em uma semana! Fizemos as matrículas e atualizamos a documentação das crianças na escola e eles começaram a estudar no final de agosto. Como sempre, claro, amando a escola e tudo mais. A logística era meio complicada: como já morávamos em Candiac, em nossa casa nova, eles acordavam às 6h, pegavam ônibus na esquina de casa às 6:45h, pegavam o trem 7h, desciam em LaSalle e pegavam um outro ônibus para chegar na escola 7:40 mais ou menos. E para voltar, outra novela igual, mas em sentido inverso... Porém, estava valendo à pena. O Matheus chegou até a ajudar na journée portes-ouvertes da escola e os professores aprenderam logo a gostar dos dois...
 
Na metade de setembro, o colégio nos liga perguntando se havíamos mudado para Candiac. Falei que sim, pois havíamos comprado uma casa. A mulher do outro lado da linha me diz: "Então seus filhos não estão mais autorizados a estudar nesta escola, pois Candiac fica fora de nossa comissão escolar. Você tem até o dia 30 de setembro para conseguir um acordo (entente extraterritorial) com a sua comissão escolar de modo que eles possam estudar aqui". Gente, eu estava na empresa, sentei na cadeira e tive um sentimento de cansaço imenso, pois achava que tudo estava resolvido, e de uma semana pra outra, desolação total... Fomos na Comissão Escolar des Grandes Seigneuries (CSDGS), que atende nossa região, para pedir a autorização, alegando o fato de que o Collége Saint-Louis era a única escola que havia aceitado as crianças no terceiro secundário vindo da classe d'accueil.
 
E ficamos esperando. Aí então, vim a descobrir que o ministério da educação do Québec tira uma foto de todas as escolas no dia 30 de setembro, para distribuir uma verba para o ano com base na quantidade de alunos. Assim, nossas chancer diminuíram bastante, pois eles certamente iriam querer ficar com mais dois alunos para ter mais grana para a comissão escolar. Então, o diretor da CSDGS me ofereceu a École Fernand-Ségun, à duas quadras de nossa casa, onde cheguei à matricular as crianças. Mas bati o pé e disse que a escola não era internacional e que a gente sairia perdendo. Assim, o diretor me ligou para levar as crianças para uma entrevista na École de la Magdeleine, com currículo internacional, e disse: "se a diretora da escola aceitar seus filhos, eles terão de ficar em nossa comissão escolar. Se ela não os aceitar, achando que não poderão acompanhar, eu te dou o acordo de transferência e seus filhos poderão continuar no Collège Saint-Louis". Bem, é óbvio que se as crianças foram aprovadas na melhor escola do Québec, seria tranquilo deles serem aceitos nesta escola.
 
A diretora fez uma entrevista com eles, onde não foi possível avaliar muita coisa, na minha opinião, e fiquei até com a sensação de que o negócio estava armado para ficarem mesmo com o dinheiro do ministério de educação e também com nossas taxas de inscrição. Claro que, no final, o diretor me ligou e disse: "seus filhos foram aceitos e podem estudar no terceiro secundário de nossa escola". Então, acabamos perdendo a briga e as crianças foram estudar na École de la Magdeleine. Agora, estão já adaptados e estão gostando. A escola é enorme, com 3.200 alunos (normalmente as escolas aqui têm em torno de 500 alunos) e lembra um pouco as escolas do Brasil. As vantagens são que a aula começa mais tarde e as crianças podem dormir mais. Além disso, o ônibus é gratuito e é o ônibus amarelinho que a gente vê nos filmes (novidade para as crianças, ehee.)... o ônibus pega eles na esquina e devolve na porta de casa.
 
Enfim, a principal lição aprendida foi essa tal data de 30 de setembro. Se a gente deixasse para comunicar a mudança do endereço depois do dia 30, a comissão escolar seguramente daria a carta de transferência, pois nunca iriam querer mais dois alunos sendo que o valor a ser distribuído pelo governo já tinha sido calculado. Espero que esta informação ajude os outros que estão chegando à escolher um local perto de uma boa escola e também na hora da mudança...
 
E vamos seguindo com passos firmes de quem sabe onde quer chegar!
Abração e a Paz

domingo, 21 de outubro de 2012

Primeira Santa Autóctona da América do Norte!

Gente do Céu!

O que será que quer dizer esta palavra "autóctono"? Sempre me perguntei isso, mas com o tempo a gente escuta tanto isso por aqui que se acostuma. Trata-se dos índios da américa do norte e dos Innuits ("esquimós"), ou seja, das ditas Primeiras-Naçoes. E hoje foi um dia muito especial para nós católicos daqui do Québec:

O nosso Papa Bento XVI canonizou Santa Kateri Tekakwitha... Hoje! no dia que eu completo 2 anos de Canadá, e as relíquias da Santa estao em uma comunidade chamada Kahnawake, bem pertinho daqui de casa! Pra vocês terem uma idéia, estao sendo organizadas peregrinaçoes à capela onde estao os restos mortais de Santa Tekakwitha, e a Thabata, nossa filha, está indo em uma delas em novembro. Assim, estamos muito felizes pela notícia! Hoje o padre também falou muito da santa em seu sermao. A comunidade local está em festa! Politicamente, é também uma grande notícia, pois a Igreja deixa transparecer a igualdade entre todos os povos perante Deus, em reconhecendo a santidade de nossa irma Tekakwitha
 
Tekakwitha, a "Rosa branca dos Iroqueses", ou "Lis dos Mohawks" nasceu em 1656, filha de pais Mohawks e Iroqueses (duas tribos diferentes e inimigas), em um local chamado Ossernenon, onde hoje é o estado de Nova York, nos EUA. Porém, veio a viver na regiao de La Prairie (cidade vizinha à nossa próspera Candiac) onde faleceu aos 24 anos devido à problemas de saúde. Durante sua curta vida, sempre buscou a conciliaçao entre as tribos inimigas e zelou por sua virgindade, sendo educada desde pequena pelos Jesuítas, que trabalhavam na regiao. Perdeu seus pais aos 4 anos de idade, por uma epidemia de varíola, que também veio a contrair, e que a deixou com sequelas que viriam a ser a causa de sua morte. Foi batizada aos 20 anos e entao foi morar em Kahnawake, vila indígena que existe até hoje, fica no comecinho da Pont Honoré-Mercier, aqui na regiao de Montréal. Ela morreu em 1680 por causa de sua saúde frágil, e seus restos repousam na igreja de Saint-François Xavier, que foi seu educador aqui na regiao.
 
Seu último milagre reconhecido foi a cura de um menino da regiao de Seattle, EUA, curado de uma bactéria que havia infectado seu cérebro e nao havia mais esperança de cura. Após as oraçoes à Tekakwitha, toda a doença desapareceu do corpo do menino.
 
Santa Kateri Tekakwitha, rogai por nós!
 
E vamos seguindo com passos firmes de quem sabe onde quer chegar...
 
Abraçao e a Paz

domingo, 23 de setembro de 2012

Oratório Saint Joseph - Mont Royal

Oi, Oi, Gente Querida!

Neste final de semana, perdemos todas as missas do sábado e do domingo, por causa da Maratona de Montréal e também por causa de um evento Portes-Ouvertes que o Matheus tinha no colégio no sábado. Assim, a última missa que sobrou foi a de 19:30 no Oratório Saint Joseph. Chegamos lá pouco antes das 19h e pudemos passear um pouco na basílica, que é gigantesca, e nunca tínhamos tido a chance de fazê-lo. Pudemos ver as estaçoes da via-sacra, cujas personagens sao em tamanho natural, e também as grandes estátuas dos apóstolos. A de Sao Pedro parece ter duas cabeças, mas na verdade eles colocaram Sao Paulo por detrás dele, indicando que ele também é de certa forma apóstolo. Vimos também o órgao gigantesco, que foi inclusive reformado este ano. Tudo sensacional e imenso!

O Oratório é um templo católico que fica cravado na costa oeste do Mont-Royal aqui em Montréal. Ele pode ser visto de muitos pontos da cidade. Especialmente nesta tarde, o sol estava batendo em sua fachada, e deu para tirar muitas fotos bonitas. De cima do oratório, a vista da parte oeste da cidade e do aeroporto, é muito gratificante.

Um pouco de história
O Oratório Saint Joseph é na verdade o maior santuário do mundo devoto à Sao José (o pai terrestre de Jesus). Ele foi construído graças aos esforços de Frére André. Nascido Alfred Bessete em 1845, perdeu seus dois pais quando ainda era criança, tendo que trabalhar logo cedo para ganhar a vida. Acabou se tornando mestre em construçao e entrou para o noviciado Sainte-Croix em 1870, onde trabalhou em tarefas humildes e servis. Logo se destacou pela capacidade e desejo imenso de acolher as pessoas, que foi refletido na obra dedicada à Sao José. A primeira capela eregida em 1904 se tornou pequena para o afluxo de fiéis, logo demandando um local maior. Foi entao construída uma cripta para as celebraçoes, em 1917, e mais tarde, concluída a basílica, em 1936. Frére André veio a falecer logo em seguida em 1937, e foi declarado santo em 2010. No interior do Oratório existe um museu onde está a tumba do santo e seu coraçao exposto, além de muitas outras peças e objetos pessoais. Hoje, o oratório é mantido pela Pastoral do Oratório, organizada pela Ordem de la Saint-Croix.

Bem, voltando à nossa visita, tive a oportunidade de fazer uma boa confissao antes da missa, pois alguns sacerdotes estavam disponíveis para aconselhamento e confissoes. Depois, começamos a participar da missa na cripta (infelizmente, nao teve missa na basílica neste dia), que foi muito emocionante, pois era a missa em intençao da entrada em aula dos alunos de Montréal. Igreja cheia! Coisa rara aqui em Montréal... No momento de rezar o pai-nosso, o padre chamou todos os estudantes para rezarem em torno do altar, e ficou com eles até o momento do abraço da Paz. Foi muito emocionante!

E assim, terminamos nossa visita, aproveitando nosso fim de semana de turistas. E vamos seguindo com passos firmes, sempre cheios de amor ao nosso Pai do Céu, de quem sabe onde quer chegar!

Abraçao e a Paz
 

Meia-Maratona de Montreal

Bom dia, pessoal!

Seguindo a série "correndo atrás do prejuízo", tivemos mais um evento esportivo aqui na cidade. Para mim, o último do ano, visto que este ano eu estava planejado para fazer duas meias-maratonas. Treinei por conta própria durante 3 meses, obtendo informações de fontes especializadas (livros, revistas, internet), pois aqui, infelizmente não tem uma empresa como a Trainer, que me treinava no Brasil... Aqui é cada um por si mesmo... E finalmente, chegou p dia! A largada foi às 8:30 do alto da ponte Jacques-Cartier. Este ano tivemos recorde de participação de 27 mil corredores. Por causa disso, eles tiveram que dividir a largada em várias pequenas largadas de acordo com o pace do freguês. Eu cheguei super atrasado e a Elite já tinha largado... Tive de deixar as crianças na casa de alguns amigos do nosso Coral da Igreja, que têm um coração do tamanho gigante e cuidaram deles direitinho. Obrigado!!!!

Então saí com o coelho de 3:45, ou seja, com o grupo que estaria previsto para terminar a maratona em 3:45. Porem, como eu iria fazer a meia, nao fazia sentido seguir o grupo, pois eu estava com um plano diferente. Havia decidido sair tranquilo e só quando eu sentisse que tinha encaixado o ritmo é que iria correr. Entao, por causa dos atropelamentos do início e alto tráfego de corredores, meu primeiro km foi à 6:15... Depois foram abrindo brechas e encaixei a 4:50. Entao, começam os destaques da maratona.

É nessas horas que a gente pensa que valeu a pena ter vindo pra cá e ao mesmo tempo poder continuar correndo... Esta foi a primeira maratona "Rock'n'Roll" de Montréal, que é um evento que acontece em vários lugares do mundo e pela primeira vez veio pra cá. E não foi só por que ela é radical, mas porque realmente foi regada à muita música. Gente, a cada quilometro tinha uma banda tocando ao vivo, e o público eram só os corredores, pois elas ficavam dentro da pista de corrida! Sensacional, e os músicos faziam de tudo para animar a galera... Passamos também plo Circuito Gilles-Villeneuve e na linha de largada, do lado da inscrição "Salut, Gilles" tinha agora uma homenagem escrita indicando que fazia 30 anos que o cara tinha vestido o paletó. Tô ficando velho... Saindo do autódromo, peguei um gel de carbo mas não tinha água para beber com ele. Acabei tomando do mesmo jeito e fiquei quase dois quilômetros com a garganta seca até o próximo ponto de água. Tenho que lembrar pra não fazer mais isso, ehehe....Pegamos a rua para o velho-porto, que estava lotado, lotado de gente para dar força. Não tem como não se emocionar com todo mundo gritando e mostrando os cartazes e as crianças colocando a mão pra gente bater "hi-five", e tome banda tocando o bom e velho rock'n'roll e outros estilos musicais também. Tinha muita música latina também...

Passamos pelo centro e vamos virar a esquina da rue Jarry para subir aquela subida monstro da Grand Bibliothèque... quero morrer... mas já estamos com 19km, ufa. Depois da subida, faltou somente contornar o parc de la Fontaine e chegar. Terminei a prova em 1h46min... Foi um tempo bom pra mim e ainda melhor que o da meia do Bank Scotia que fiz no começo do ano. Creo que se tivesse conseguido ir um pouquinho mais rápido no começo, talvez fizesse um tempo ainda melhor, mas o importanté é se divertir e sair sem se machucar! E nunca se esquecer do Papai do Céu, que criou as nossas pernas para correr e a endorfina para nos sentirmos bem enquanto corremos... Obrigado, Senhor, por terminar mais esta prova!

E vamos seguindo com passos firmes de quem sabe onde quer chegar!

Abração e a Paz
Igor Schultz

sábado, 15 de setembro de 2012

Corrida Energizer 10km

Olá, Pessoal

Em se tratando de corridas de rua, acho que este foi meu segundo post de corrida neste ano, pois meu objetivo eram duas meias-maratonas e esta prova da Energizer. No ano que vem, vou tentar novamente a maratona. Então, aqui estou eu... Como no ano passado, a prova da Energizer é uma corrida noturna, nas versões de 5 e 10km. A gente recebe no kit uma camisa fluorescente e uma lanterninha pra por na cabeça. A diferença é que neste ano estava um frio, mas um frio, que não dava pra entender o que estava acontecendo. A prova foi dia 15 de setembro e largada foi lá pelas 8h da noite, no parque Jean-Drapeau. As crianças me acompanharam e eu fiquei muito preocupado com eles por causa do frio. Eles foram então para a estação de metrô que era mais quentinho.

Então, por causa disso, decidi fazer uma coisa que normalmente eu não faço: larguei na frente de todo mundo. Como meu pace de 10km é em torno de 4:45min/km, normalmente eu largo mais atrás, pra não atrapalhar os corredores de verdade, mas dessa vez eu tinha que terminar rápido. Assim, largamos e em menos de 1km já estávamos pegando os corredores de 5km que haviam largado alguns minutos antes. No final da primeira volta, o pessoal de 5km estava terminando. Para continuar com os 10km, bastava seguir reto. Para ir à chegada dos 5km, tinha que virar à esquerda. Então, no final de uma pequena mas íngreme subida, a madame que estava à minha direita se lembrou que ela estava fazendo 5km e me cortou a frente para ir à chegada. Quase morri... Mas então, quando ela passou na minha frente, apareceu a segunda volta e a descida e.... não tinha ninguém na minha frente! Pensei: "estou em primeiro... ou em último.... não sei... só sei que tinha que sentar a bota por causa das crianças. Na verdade, logo vi mais adiante que os outros corredores estavam um pouco mais longe em minha frente. Cheguei em 54o lugar entre 1800 inscritos e 1171 que terminaram. Passei a linha de chegada e continuei correndo mais 700m até o metrô para ver as crianças. Fiquei impressionado com o resultado e confesso que foi a melhor colocação em uma prova de 10km. O tempo foi 47:10 com pace de 4:45, o que não é nada excepcional para uma prova de 10km e até eu mesmo já fiz tempos melhores, mas creio que foi o fato de eu ter largado na frente de todos que permitiu essa colocação, pois na primeira volta eu passava todo mundo, mas na segunda, foi o contrário: todos me passavam...

Mas foi legal!

E vamos seguindo com passos firmes de quem sabe onde quer chegar!
Abração e a Paz
video

video

  video


quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Pauline Marois Eleita

Bom dia, pessoal

Apenas para informação de todos, o Québec tem pela primeira vez em sua história uma primeira-ministra mulher. Pauline-Marois, do Parti Québecois, foi eleita a primeira-ministra com 54 deputados eleitos. O partido liberal, de Jean Charest, ficou em segundo, com 50 deputados, e o restante foi dividido entre a Coalision Avenir Québec (CAQ) e o Québec Solidaire (QS).

Claro que para uma província reconhecida pela luta a favor da igualdade dos sexos, a vitória de Mme. Marois foi um grande passo, e ativistas feministas estão brotando de dentro da terra em todos os cantos para parabenizar a vitória do PQ. Lendo a história de Pauline Marois, ela é cheia de sonhos e dificuldades, o que faz esta vitória ter um gosto mais especial ainda, e o povo realmente gosta muito da madame.

No entanto, o clima geral é de incerteza, pois espera-se um movimento agora em direção ao referendo de emancipação da província e ações no sentido de intensificar a "francisação" da população e preservar a cultura local. O governo federal se mostrou austero, indicando que continuará a trabalhar junto com a província buscando a estabilidade econômica. Foi o que disse Stephen Harper, nosso primeiro-ministro do Canadá, em nota parabenizando a vitória de Pauline.

Para nós, imigrantes, temos que ficar ligados com as questões referentes ao critério de aceitação dos processos, visto que em campanha Mme. Marois foi a única a se pronunciar sobre esta questão e disse que daria preferência aos imigrantes vindos de países cuja lingua mãe fosse o francês. Além disso, a questão do referendo de emancipação pode vir a trazer mudanças econômicas para a província. Lembram quando o Lula foi eleito no Brasil? Todos os empresários tinham medo, ninguém sabia direito o que iria acontecer, tinha a turma dos radicais, sem terra, etc. que tinham que ser controlados pelo governo... A sensação que temos aqui é exatamente a mesma agora: as empresas estão em mode attente, esperando o que vai pintar, muitas ameaçam se mudar para outras províncias, pois o Québec possui muita dívida e o governo canadense ajuda com a repartição dos impostos federais. Se uma emancipação ocorrer, como esse quadro ficaria, enfim... existem muitas dúvidas agora. Assim, é importante que novos imigrantes ou aplicantes à província do QC que fiquem ligados nas notícias político/econômicas locais para as usarem em suas decisões de imigração.

E vamos seguindo com passos firmes que pequistas de quem sabe onde quer chegar!

Abração e a Paz

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Como Comprar uma Casa no Canadá

Boa Noite, Povo de Deus

Bem, agora que estamos começando a nos acostumar com a vie du banlieue, está sobrando um pouco de tempo para atualizar o blog. Assim, gostaria de dedicar este longo post à descrever detalhadamente a nossa experiência na compra de nossa casa. Nao somos especialistas no mercado imobiliàrio canadense ou québecois, mas vamos apenas compartilhar o que funcionou e o que nao funcionou para nós, a fim de podermos ajudar a todos os que estao vindo ou que já estao aqui e procuram comprar algo para morar.
 
Resolvemos dividir didaticamente a nossa busca em tópicos para facilitar o entendimento. Vamos lá!
 
1. Decidir comprar uma casa. Vale a pena? Bem, a gente vem do Brasil com um sentimento fortíssimo de que aluguel é dinheiro jogado fora, que temos que ter um teto para morar, nossos pais sempre nos ensinaram isso. No Brasil, eu tinha tanto medo de dívida que compramos nossa casa financiada em 10 anos e pagamos ela em 5 para nao ficar devendo. Aqui no Canadá a coisa funciona diferente. Nao existe um pensamento tao enraizado dizendo que "o aluguel é dinheiro jogado fora" ou que "é melhor ter uma casa própria". Muitas famílias moram de aluguel por muitos anos sem problema nenhum. Todos os problemas do imóvel sao de responsabilidade do landlord/concièrge (locador) e normalmente você tem a possibilidade de morar muito mais perto do centro de Montréal ou de estaçoes de metrô ou ônibus importantes. Se você compra uma casa, você passa a ser responsável por toda a manutençao, e os serviços aqui sao caríssimos. Normalmente, as melhores casas e que sao mais em conta ficam longe do centro. Além disso, o financiamento é a juros baixos (2.9 a 3.5% ao ano) e o prazo chega até 25 anos. Entao, o valor do imóvel mensal é como se fosse um aluguel. Claro que o valor pago neste caso vai para o seu patrimônio, mas a decisao a ser tomada depende dos valores de cada um. No nosso caso, a decisao foi sendo tomada aos poucos, à medida que fomos conhecendo o processo de aquisiçao de uma casa à partir da experiência de nossos amigos;
 
2. Conheça os lugares e defina suas preferências: Onde vamos morar? Essa decisao já implica em ter bem claro o que cada um espera de um lugar para morar. Precisa ser perto de transporte público? Quanto tempo se leva para ir ao centro? Onde será a escola das crianças? Como eles irao para a escola? Como iremos para o trabalho? Tem engarrafamento crítico na ida/volta para o centro? Queremos uma casa, um condo (prédio). Como é a vizinhança do lugar? Tem imigrantes de outros países? Existem centros de lazer? Piscina pública, etc. etc. etc. Todas as questoes sao importantes, pois passaremos muito tempo nesta casa. Nós fomos indo atrás de opinioes de amigos, vimos casas em vários lugares, durante um ano: Pierrefonds, Ile-des-Perreaux, St Laurent, Brossard, Longueuil, Candiac, Ville Mont-Royal, etc. Tome tempo para conhecer os lugares. Nao compre se nao estiver 100% satisfeito com o lugar. Pesquise, pesquise, pesquise. Sites como Remax, Realtor, Sutton, Royal le Page, estao cheios de anúncios em vários lugares. E finalmente, defina também suas preferências em relaçao ao imóvel. Nós queríamos uma casa détaché (casa normal, separada das outras, com terreno, grama, jardim, etc), com 4 quartos no mesmo andar, subsolo acabado (normalmente você tem que construir o sub-solo na maioria das casas) e garagem (mais difícil de encontrar que no Brasil);
 
3. Contrate um agente imobiliário: Courtier Immobilier/Real Estate Agent. Gente, isso é importantíssimo! O processo de busca de uma casa fica bem mais fácil com a contrataçao de um agente. No processo de compra, o agente imobiliário nao cobra absolutamente nada de você. Isso porque a comissao dele será paga pelo vendedor da casa que você comprar. Se você nao tiver agente, o vendedor vai pagar toda a comissao ao agente dele (que é obrigatório). Se você tiver um agente, a comissao do vendedor será dividida entre os agentes do vendedor e do comprador. Assim, contrate alguém para lhe ajudar. Isso para nós fez toda a diferença! Conhecemos um casal de agentes onde ela é brasileira e nos ajudaram muito em todo o processo. Desde a busca da casa, onde a gente enviava casas que achávamos nos sites e eles agendavam visitas, até a assinatura da venda no Notário, estiveram sempre conosco. Às vezes, simplesmente dizíamos: "olha, queremos ver casas em tal lugar" e eles enviavam uma lista com fotos, detalhes, pra gente escolher. Porém, atençao: uma vez que você escolheu o agente, você tem que fazer tudo com ele. Cada visita, cada passo: eles têm que estar junto. Vale a pena.
 
4. Visite as casas: essa parte é meio chata. A gente tinha os finais de semana para fazer as visitas. Agendávamos com o agente e muitas vezes quando chegávamos na casa, só de olhar a gente já dizia: "ai, nem vale a pena entrar". Porém, os agentes também estavam là e tinhamos que fazer valer a visita. Durante a visita, normalmente a gente olha tudo o que a gente quer e vai perguntando aos nossos agentes as nossas dúvidas. Entao, os nossos agentes perguntam para o agente deles ou para o proprietário o que queremos saber. Nós notamos que os nossos agentes nao gostavam que a gente falasse direto com os proprietários. Enfim... minha dica é: seja com o seu agente, seja direto com o proprietário, nao deixe de perguntar tudo o que quer saber: aquecimento elétrico ou à gás, sub-solo acabado, se vao deixar a mobília, como sao os vizinhos, qual o valor dos impostos anuais a pagar(normalmente já aparece no anúncio da casa no site), quanto ela paga de conta de luz, se tem ônibus perto, e outras coisas que podem ser importantes para cada um. Outra coisa importante que acabamos descobrindo aqui foi sobre a pirita. É um minério que é utilisado na fabricaçao da alvenaria do sub-solo das casas mais antigas. Quando umidificada a pirita incha e as paredes do sub-solo racham. Entao, sempre é bom perguntar sobre o nível de pirita no sub-solo.
 
5. Quanto vou Pagar pela Casa? Você precisa fazer o cálculo exato de quanto vai pagar pela casa, para saber se terá grana para bancar uma proposta. E o valor a pagar é mais caro do que o valor da casa. Vamos analisar em um exemplo onde uma casa custe 100 mil dólares, sempre tomando por base o pior caso. Considere também pelo menos mais 5% do valor da casa para gastar na mudança, reformas e pequenos consertos antes de mudar.
 
5.1. Downpayment/Mise de Fonds: este é o valor de entrada da casa. O mínimo que você pode dar é 5% do valor da venda. No exemplo, seria 5 mil dólares. No entanto, se a sua entrada for menor que 20% do valor da casa, você será obrigado a fazer um seguro-financiamento, pois o banco acha que você tem grandes possibilidades de dar o calote. O seguro-financiamento é um valor a ser calculado pelo banco quando você fizer a proposta. Gira em torno de 2 a 3% do valor da casa. Além disso, tem os impostos sobre o seguro-financiamento (em torno de 12 a 13%). Assim, no exemplo, teremos:
  • Downpayment/Mise de Fonds 5% = 5.000,00
  • Seguro-financiamento = 3.000,00
  • Impostos sobre o Seguro-financiamento = 390,00
  • O valor da casa já está em 103.390,00

5.2. Inspetor: durante a negociaçao, se você se interessar por uma casa, você terá que pagar um inspetor para verificar o estado da casa. O inspetor faz uma visita à casa junto com o seu agente e você, claro, e ele verifica todos os problemas e também as coisas boas da casa. Normalmente o trabalho do inspetor serve para detectar problemas graves que podem ter valor de conserto avaliado e serem usados como moeda de troca na negociaçao. Por exemplo: o inspetor pode descobrir infiltraçao de água no sub-solo e o conserto ser avaliado em 15 mil dólares. Assim, você pode fazer uma proposta na casa dizendo que paga 85 mil ou você quer o problema resolvido. Normalmente, este inspetor custa em torno de 500 a 700 dólares e nao é obrigatório, mas altamente recomendado. O trabalho dele é documentado em relatório bem legal. O valor da casa já está em 104.090,00
 
5.3. Notário: os contratos de venda e financiamento sao assinados no Notário (algo semelhante ao cartório no Brasil). No dia da assinatura da venda, nornalmente 1 a 2 meses depois da assinatura da proposta, você terá de pagar o notário, pelo serviço de preparaçao e intermediaçao dos contratos. O valor fica em torno de 1.100 a 1.500 dólares (eita dinheirinho fácil). O valor da casa já está em 105.590,00
 
5.4. Imposto Municipal e Escolar: sao os impostos que os proprietários pagam todo ano na prefeitura pelos serviços de coleta de lixo, fornecimento de água tratada, polícia, e as escolas públicas. Se o antigo proprietário já pagou algum destes dois impostos, você terá de lhe devolver o valor da parte correspondente ao resto do ano em que você for morar na casa. O valor depende muito de cada lugar e normalmente está especificado no anúncio da venda da casa no site. No nosso caso, o valor dos impostos estava em torno de 2.100,00. Porém, isso varia muito. Nos anos seguintes, você será responsável por pagar este valor. O valor da casa já está em 107.690,00. Ah! se você for o comprador de uma casa nova, você também terá de pagar os impostos TPS e TVQ (GST e HST), que giram em torno de 12 a 13%. Se a casa for usada, o seu antigo proprietário já os pagou e colocou com certeza no preço da venda.
 
5.5. Seguro da Casa: você nao consegue fazer um financiamento se a casa nao estiver segurada. Assim, obtenha cotaçoes de seguro de antemao com um corretor de confiança para a casa que você deseja. Um seguro vai de 500 a 700 dólares, dependendo das condiçoes da casa, idade e dispositivos contra incêndio e roubo presentes, e pode ser parcelado. O valor da casa já está em 108.390,00
 
5.6. Imposto de Bem-Vinda: já tá com saudades do Brasil? Este é o imposto pago por se entrar em uma casa. Algo como o ITBI do Brasil. O cálculo do imposto de bem-vinda é assim:
  • 0,5% sobre os primeiros 50 mil dólares do valor da venda;
  • 1% sobre o restante do valor até 200 mil dólares;
  • 1,5% sobre o valor restante.
No nosso exemplo, a casa de 100 mil dólares teria um imposto de:
  • 50000 X 0,5% = 250,00 mais
  • 50000 X 1% = 500
  • Total 750,00
O valor da casa ficou em 109.090,00.

6. Faça uma proposta: se você gostar de alguma casa, você deve pedir ao seu agente que prepare uma Offre d'Achat (oferta de compra) este é um documento legal onde você concorda em pagar um valor X pela casa, com entrada de Y% e o restante financiado em N anos. Esta proposta preparada em conjunto entre você e o seu agente e é enviada pelo seu agente ao agente do vendedor. Se os vendedores nao toparem, eles podem enviar uma contra-proposta ou simplesmente dizer que nao aceitam. No nosso caso, eles enviaram uma contra-proposta e nós aceitamos. Se os vendedores toparem, eles enviam, também através dos agentes, um documento de aceite da proposta e daí você tem que rebolar para conseguir o dinheiro da entrada e o financiamento. Normalmente, você tem de 1,5 a 2 meses para trabalhar esses valores.
 
7. Obtenha um financiamento aprovado: para aprovar o financiamento, você deve ir a uma instituiçao bancária daqui do Québec ou mesmo internacional e provar que você tem condiçoes de emprestar o dinheiro. O HSBC que eu usava no Brasil disse que simplesmente nao tinha esse tipo de serviço. Assim, os nossos agentes de compra nos indicaram a analista hipotecária da confiança deles, que trabalha no banco Desjardins. Os prazos de financiamentos variam até 25 anos e a frequência de pagamento pode ajudar a reduzir o capital principal a ser pago, simplesmente porque existem mais semanas no ano do que meses a pagar. Por exemplo. Um pagamento mensal será efetuado em 12 parcelas anuais. No entanto, um pagamento semanal será feito em 52 parcelas, e existem meses com mais de 4 semanas. Assim, se reduz um pouco mais no pagamento mais frequente. Esta reduçao pode chegar até 3 anos no final das contas. A análise do crédito foi difícil, pois apesar de termos 1 ano e meio de contas pagas em dia e cartao de crédito, simplesmente eles nao encontraram nosso histórico de crédito no Equifax e TransUnion. Entao, tivemos de enviar um monte de extratos bancários do últimos meses, holerites, cartas no nosso locador dizendo que pagamos em dia, etc. Foi aprovado. O banco envia entao para o Notário os dados do financiamento aprovado. Na hora da assinatura do financiamento no banco você paga os impostos sobre o seguro-financiamento. Para conseguir clientes, eles fazem de tudo e tem que pechinchar. O Desjardins por exemplo nos deu 800 dólares para ajudar no Notário. Legal, né?
 
8. Vá ao notário assinar os papéis: finalmente, é hora de virar latifundiário do Canadá. Sao duas visitas ao Notário. Na primeira, só vocês, os compradores, vao até o Notário para revisar todos os dados que serao assinados e pagar o valor dos serviços de Notário. O valor deve ser pago em Traite Bancaire/Bank Draft, que é um cheque que o banco emite em nome do sacador, tipo um cheque administrativo. Na segunda visita, você, os vendedores, seus respectivos agentes, assinam tudo na frente do Notário, paga-se os impostos municipais e escolares devidos, e voilà! Você virou o mais novo dono de casa do pedaço.
 
Claro que além do que foi detalhado aí, existem também outras coisas que variam de negócio para negócio. Por exemplo, no nosso caso, a gente fez uma oferta pelas máquinas de lavar/secar deles e ficamos com elas em casa. Também fizemos uma visita para aprender a mexer na piscina e vários outros contatos. Esperamos que este post ajude aos pretendentes compradores.
 
E vamos seguindo com passos firmes de quem sabe onde quer chegar!
 
Abraçao e a Paz

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

E Vamos às Urnas!!

Bom dia, Pessoal

Bem... nós, verdadeiramente ainda não vamos às urnas, pois não somos cidadãos canadenses, mas sempre é bom estar em dia com a política local. Teremos eleição provincial em setembro. Temos acompanhado bastante insatisfação por parte da população do Québec por conta de diversas crises que vêm se acumulando no decorrer dos anos: alto índice de impostos, corrupção no governo, greve estudante por causa da alta nas tarifas escolares, etc. Assim, em primeiro de agosto, o nosso primeiro-ministro Jean Charest foi obrigado a dissolver o parlamento e as eleições estão marcadas para quatro de setembro. Normalmente os deputados e outros líderes de forças agentes, como os estudantes e professores, esperam o quarto ou quinto ano de mandato para começar a reclamar ou fazer passeatas e manifestações para que os políticos solicitem a dissolução do parlamento. Foi o caso neste ano (quarto deste mandato de Charest).

Falando um pouco sobre as eleições, temos um tipo de eleição mais usado em sistemas de governo parlamentaristas, como o do Canadá/Québec. O nosso modelo de eleição aqui é chamado de Pluralitário Uninominal. Isso quer dizer que a gente vota em um candidato de um partido, que representa uma circunscrição eleitoral. Se você habita, por exemplo, em Candiac, como nós, você deve votar nos candidatos de sua circunscrição. Cada partido pode ter um único candidato em cada circunscrição. Obviamente, o candidato com mais votos fica com a cadeira no parlamento. E o partido que tiver mais candidatos eleitos fica com o controle do governo e o líder do partido vira primeiro-ministro. As vantagens são a simplicidade do processo e também a estabilidade, pois o governo será sempre majoritário no parlamento. As desvantagens são que é possível eleger candidatos com menos de 50% dos votos, pois pode haver vários partidos em cada circunscrição eleitoral e também que os partidos pequenos não são favorecidos.

Isto posto, vamos aos candidatos principais:

1. Jean Charest: este é o primeiro-ministro atual, do partido Liberal (PLQ). Todos por aqui dizem que ele é sustentado pelos anglofônicos e a sua taxa de insatisfação é de 70%. No entanto, ele segue muito confiante e sem propostas de mudança. Acredito que isso deva-se ao fato de que a maioria do povo francês não vai às urnas (normalmente, a taxa de comparecimento é de 30%, pois o voto não é obrigatório). Assim, as pesquisas não podem ser levadas muito em conta, pois se somente os que lhe apoiam vão votar, o resultado será bem diferente das previsões. Os membros do partido Liberal são chamados "liberais" ou "liberalistas";



2. Pauline Marois: chefe da oposição, do partido Québecóis, líder nas pesquisas. Ela assume uma postura que é chamada de "souveranista". Isso quer dizer que ela é a favor da soberania do Québec (leia-se independência). Ela é considerada o Lula do Québec, e como tal, ela tem um desafio difícil pela frente, que é de controlar a turma mais radical do partido e os sindicatos, pois ela precisa também convencer os que não são a favor da soberania, e há muitos que não querem a soberania do QC. No entanto, ela provavelmente irá agir nesta direção, colocando em pauta o referendo para decidir se o QC deve ser um país independente ou não. Ela se pronunciou quanto às questões de imigração, dizendo que irá priorizar os imigrantes que utilisam a língua francesa. Vai também criar a "cidadania québecoise", ou seja, além de ter a cidadania canadense, existirá também a do QC. Vamos ver... Os membros do partido québecois são chamados de "pequistas", em alusão à sigla do partido PQ.

3. François Legault: chefe do novo partido chamado "Coalision-Avenir-Québec" (coalisão pelo futuro do Québec), ou CAQ. Ele era do PQ e rompeu devido à desentendimentos com a chefe Pauline Marois. Saiu para fundar a CAQ. É o segundo nas pesquisas, seguindo de perto o PQ. Até agora, pelo que consegui acompanhar, o povo do Québec está bem dividido em relação à Legault. Ele tem uma plataforma baseada na reforma educacional do Québec. Acredita que o povo está se acostumando à "boa vida" sendo sustentado pelo governo (o que é verdade para uma parte da população) e quer incentivar as pessoas a estudar mais e melhor. Pretende estender a jornada escolar até às 5 da tarde (hoje termina às 3h) e diz que teremos um médico para cada québecóis (creio ser impossível de conseguir isso, visto que temos um fluxo migratório enorme de médicos em direção ao setor privado ou para outras províncias). Os membros do partido são chamados de "caquistas", em alusão à sigla CAQ.

Bem, é isso! Vamos esperar que o povo do Québec faça uma boa escolha, já que nosso destino está nas mãos deles, e também que eles decidam ir em massa para votar, pois ficar reclamando e não votar não está com nada, não é mesmo?

E vamos seguindo com passos firmes, politicamente corretos, de quem sabe onde quer chegar!

Abração e a Paz
Igor Schultz

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Por do Sol na Janela

Rapidinho, pessoal...

Vejam só o por do sol que a gente teve na janela da Thabata no final do mês de agosto. Sensacional! O segundo andar inteiro ficava iluminado.... Bem, isso foi no final do verao e agora já temos noite depois das 6h da tarde... Está esfriando rápido!


Abraçao e a Paz
Igor Schultz

Testando o Train de Banlieue

Allo, Povo de Deus
O "banlieue" é a regiao que fica em volta de uma metrópole principal, como Montréal. É a melhor traduçao em francês para a palavra inglesa "suburb", mas nao cai bem com o português "subúrbio". Esta palavra descreve os locais bem distantes do centro, onde se pode morar com tranquilidade e muita qualidade de vida, mas em um lugar como Candiac, dá até pra ouvir a grama crescendo...

E aqui na regiao de Montréal, a Agence Métropolitaine de Transport (AMT) disponibiliza uma rede de trens e ônibus que levam para o banlieue, indo para várias direçoes. O trem é sensacional, muito limpo, confortável e silencioso. Daqui de casa até o centro de Montréal (estação de metrô Lucien L'Allier) leva un 40 minutos. Veja o mapa abaixo. A nossa linha é a amarela. Pegamos o trem na estação Candiac, que fica à menos de 5 minutos de carro de nossa casa.


O que precisa prestar atenção em relação ao trem é a grade de horários. Existem algumas linhas, como a nossa, em que o trem não passa toda hora. Ele vem pro centro algumas vezes de manhã e volta para Candiac algumas vezes à tarde. O último trem para casa é às 18:20. Depois, só de ônibus, e o horário também é restrito, mas mais disponível. Assim, por exemplo, ao se escolher um lugar para morar no banlieue, é importante saber se os horários do trem serão compatíveis com as atividades que a gente tem no dia, que não são somente ir e voltar do trabalho, mas também podem ser levar as crianças para a escola, o bebê para a garderie, algum esporte, atividades sociais ou na igreja, etc. O que normalmente o povo faz é ir de carro ou bicicleta até a estação e deixar seu transporte lá para pegar o trem, apesar de que é possível viajar com a bicicleta no trem em alguns horários. É possível também pegar um ônibus para ir até a estação, cujos horários são sincronizados com os horários do trem.

Preços:
O trem é pago como o metrô. Pode-se comprar um passe mensal ou ainda outros passes. Porém, antes de saber os preços é importante conhecer as zonas de tarifação da AMT. Dependendo do lugar onde você mora (mais longe ou mais perto), a tarifa muda de acordo com as zonas. No nosso caso, em Candiac, estamos na zona 5. No site da AMT tem um link para as tarifas e um mapa das zonas.

A AMT divide as tarifas em três categorias:
  • Train: passe só para usar o trem;
  • TRAM: passe válido para o trem, toda a rede de ônibus metropolitano e o metrô de Montréal
  • Ônibus metropolitano: passe válido somente para o ônibus (o preço varia conforme o destino).
Veja algumas tarifas (preços em CDN$):
  • Passe de trem individual (uma viagem só de ida): $7
  • Passe de trem mensal - zona 5: $ 125
  • Passe de trem reduzido estudante - zona 5: $88
  • Passe TRAM mensal - zona 5: $147
  • Passe de ônibus metropolitano mensal à Montréal: $96
  • Passe de ônibus metropolitano individual à Montréal: $6,75
Para se ter uma idéia, o passe mensal de metrô e ônibus em Montréal pela STM custa $75 o regular e $45 o reduzido estudante. Assim, tem que se considerar esta mudança no orçamento do transporte quando se muda para o banlieue. Mesmo assim, é muito mais barato do que ir de carro ao centro, além de fazer bem ao meio-ambiente.

E vamos seguindo sempre em frente, com passos firmes de quem sabe onde quer chegar!

Abração e a Paz

video

sábado, 25 de agosto de 2012

Preparando a Casa para Morar

Olá, Pessoal
 
Normalmente a gente vê, nos filmes que retratam a América do Norte, as famílias reformando as casas, pintando, quebrando ou construindo paredes, etc. Bem, o negócio é bem assim mesmo. Porém, claro, é muito mais vantajoso você comprar uma casa que já tenha tudo pronto. As casas variam de preço se têm muito serviço para fazer, pois o novo proprietário terá de arregaçar as mangas (mais comum) ou contratar serviços de alguém (menos comum, pois é caríssimo! Chega a ter gente cobrando mais de CDN$ 100 por 1h de serviço de pintura e CDN$ 200 por hora de mudança). Entao, o que fazemos? Arregaçamos as mangas, claro, pois a gente também nao "tá podendo" ainda aqui no Canadá. E nessa hora os amigos fazem muita diferença. Pois ajudam mesmo na hora que precisa. Na nossa casinha aqui em Candiac nao tinha muita coisa a fazer, mas decidimos pintar os quartos das crianças, pois a cor estava meio estranha. Passamos uma semana pintando. E a pintura funciona como no Brasil: lixamos, damos várias maos de primer (aquela tinta branca de fundo) até sair a cor que estava antes, passamos a nova tinta e está pronto!
 
No entanto, muitas casas podem vir com algumas coisas para fazer que devem ser verificadas, como por exemplo:
  • Basement (sub-solo) inacabado ou nem começado. A gente está acostumado que no Brasil a casa é entregue toda prontinha e tal... Aqui eles entregam só a carcaça e tudo o que está dentro é você quem tem que fazer. Assim, colocar paredes, teto, sistema elétrico e hidráulico em um sub-solo, fazer a divisao de quartos, etc. Nao é tarefa fácil e muitas casas acabam ficando com o basement inacabado. Nós temos um amigo aqui que fez sozinho todo o basement só olhando na internet como é que faz... Meu herói....;
  • Pintura: veja se as cores lhe agradam. Senao, é você quem vai ter que pintar. Na maioria das vezes, se troca a pintura;
  • Quais sao os eletrodomésticos que vao ficar. Muitas vezes os antigos donos deixam os eletros como geladeira, fogao e máquina de lavar louça. Às vezes até máquina de lavar roupa e secar, mas tudo é negociável. Se nao tiver, talvez você tenha que comprar.
Bem, tudo isso dá claro muita margem para negociaçao, mas como regra geral (há exceçoes), sempre o comprador que terá que resolver tudo...
 
E vamos seguindo com passos firmes de quem sabe onde quer chegar!
 
Abraçao e a Paz

sábado, 18 de agosto de 2012

Nova Casa no Canadá!

Salut, mes Amis!

Estamos muito felizes hoje, pois finalmente recebemos as chaves de nossa casa própria no Canadá! Isso mesmo! Enlouquecemos, será? E compramos uma casa... Vamos morar em um lugar chamado Candiac, que é uma cidadezinha próxima de Montréal, dá quase 20km do centro. Candiac é realmente uma cidade bem bonita no banlieue, que é o subúrbio de Montréal. Algo como se fosse a regiao metropolitana. Fica na direçao de Nova York, nos EUA.
Quanto à nossa casinha, tínhamos em mente ter uma casa com as seguintes condiçoes: quatro quartos no mesmo andar, garagem fechada e sub-solo terminado. E achamos essa! E além disso, a casa tem alguns "luxos" aos quais estávamos acostumados no Brasil mas que sao raros para os imigrantes recém-chegados:
  • Banheiro com janela!!! A maioria das casas e apartamentos nao têm janelas no banheiro. Mas esta tem... eheh;
  • Sub-solo acabado! Todos os sub-solos das casas vêm só com as paredes de madeira. A gente tem que fazer revestimento, colocar a estrutura elétrica, encanamento, piso, fazer a divisao das paredes, etc. O nosso está pronto!
  • Tanque de lavar roupa!!! Olha, a gente viu muita casa antes e essa foi a única que achamos que tem tanque! Fora isso, lava-se a roupa na pia ou confia nos produtos que eles usam por aqui...
  • Garagem! Bem, muitas casas têm garagem, mas normalmente o povo daqui usa a garagem para guardar cacarecos e ela vira uma oficina. O carro fica do lado de fora, normalmente dentro de um abrigo de lona e estrutura de metal. A marca mais famosa é a Tempo. Nós vamos deixar o carro dentro da garagem, como bons brasileiros... Na frente da garagem, cabem mais uns 4 ou 5 carros...
Mas tem também alguns luxos que eram também luxos para nós reles mortais no Brasil, como piscina e até um parquinho para o Thiago! É claro, somos nós que cuidamos de tudo, desde a manutençao da piscina, o jardim, etc. Pois o serviço é caríssimo!
Outra coisa interessante: a casa vem "as-is", ou seja, você compra o que você vê mesmo: eles nao pintam, nao arrumam, nao limpam, isso é tudo obrigaçao de quem entra na casa. Porém, como bons brasileiros, vamos deixar nosso apartamento alugado brilhando para o próximo morador. Inclusive ouvi falar de nosso landlord que os brasileiros e latinos em geral sao conhecidos por nao dar trabalho na hora de ir embora. O apartamento sempre fica limpinho. Em geral, os caras deixam tudo do jeito que está...
Bem, logo colocarei mais detalhes sobre o processo de aquisiçao da casa. Por enquanto, o que queremos é compartilhar a nossa alegria com todos, pois realmente é muito bom em 1 ano e meio já ter uma casinha própria. Temos que agradecer infinitamente ao nosso Deus, que tem conduzido nossos passos aqui nas Terras Geladas e tem nos coberto de bênçaos!
Sonho realizado. Vamos para o próximo!
E vamos seguindo com passos firmes de quem sabe onde quer chegar.
Abraçao e a Paz
Igor Schultz

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Primeiras Novidades do Novo Processo Federal

Allo, Povo de Deus!

Saiu hoje no site do CIC as primeiras notícias sobre as alteraçoes que entrarao em vigor à partir do ano que vem na categoria Skilled Worker do processo federal de imigraçao. Vamos à elas:
  • O idioma será o fator mais importante no processo de imigraçao. Assim, a quantidade de pontos mínimos para a fluência será aumentada na tabelinha;
  • Os imigrantes jovens passarao a ter mais vantagem, visto que poderao ficar mais tempo trabalhando. Hoje a pontuaçao máxima no quesito idade vai até 49 anos. Deve baixar;
  • Se você já trabalhou no Canadá, isso passará a valer mais do que simplesmente já ter estudado aqui;
  • Aumento de pontos para a fluência no idioma do cônjuge ou sua experiência de trabalho canadense.
  • Outra coisa que está sendo proposta é a verificaçao da obtençao da equivalência do diploma antes da imigraçao. Hoje em dia, este processo começa somente depois que o imigrante chega aqui.
Veja a íntegra da reportagem neste link.

Bem, a gente pode ver as coisas pelo lado bom ou ruim. Em uma primeira análise, o CIC está fechando devagarinho as portas, pelo que parece. Porém, do lado de cá, a gente percebe que muita gente chega realmente despreparada, principalmente os imigrantes asiáticos e africanos, mas também muitos brasileiros. Por exemplo, a questao da equivalência pode ser um processo de 1 a 2 anos no caso dos engenheiros, e até 3 anos no caso dos enfermeiros, ou ser simples como uma reuniao no CIC, no caso de profissoes nao regulamentadas. A vantagem é que esta espera passaria a ser feita na segurança do país de origem e a pessoa viria mais preparada e conhecendo o mercado de trabalho. Hoje acontece o contrario e muitos sao pegos de surpresa quando chegam e "descobrem" que tem que estudar mais um ou dois anos para ter o direito de trabalhar.

Além disso, sera necessario estudar muito o idioma (inglês, francês) e se apressar por causa da idade. Mas tudo isso ajudara na hora de estar aqui pois a adaptaçao sera mais facil!

E vamos seguindo com passos firmes de quem sabe onde quer chegar.

Abraçao e a Paz
Igor Schultz

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Receita Brasileira no Jornal!

Coxinha de GalinhaAllo, Pessoal

Claro que a seçao de receitas nao é uma das mais populares de um jornal. No entanto, hoje veio uma receita até interessante... Para acessá-la, clique no link abaixo e veja se consegue repeti-la em francês, eheheheh!!! O duro foi mostrar isso pros meus amigos quebecas do trabalho: "cossina? c'est quoi ça cossina?".... Pra entender, veja o link.


Para ver a receita no jornal, clique neste link e navegue até a página 23 (precisa de Flash). Aproveite para ficar em dia com o quotidien montréalais...

E vamos seguindo com passos firmes de quem sabe onde quer chegar!

Abraçao e a Paz
Igor Schultz

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Cinema ao Ar Livre!

Ae, galera!

Como todos sabem, o verão realmente ferve aqui na Belle-Province, especialmente em Montréal. Na quarta-feira passada, pudemos assistir o filme "New Years Eve", com uma penca de atores e atrizes famosos, etc. Mas o melhor de tudo foi ver o filme ao ar livre, com pipoca, hot-dog e coca de graça! Bem, isso foi possível graças à uma promoção da rádio Virgin 98. É uma rádio tipo era a Caiobá, no meu tempo, em Curitiba. Então, é claro, nos alto-falantes só tocava bate-estaca e Michel Teló.... Fora isso, foi uma noite agradável onde todo  mundo traz os edredons, cobertores, deita na grama e fica assistindo o filme. Super!

E vamos seguindo com passos firmes de quem sabe onde quer chegar.

Abração e a Paz


video

video

Queda dos Crimes no Canadá em 2011

Olá, Pessoal!

Depois de diversas semanas sem escrever uma linha, finalmente, resolvemos nos pronunciar, pois muitas notícias boas têm acontecido aqui e assim ficamos com vontade de compartilhar! Esta saiu no jornal Metro de hoje: Baixaram os crimes no Canadá em 2011. Conforme o Statistique Canada (o IBGE deles aqui), os crimes diminuíram em cerca de 6% neste ano. E esta é a oitava baixa consecutiva no nível de crimes, chegando ao nível mais baixo desde 1972. No entanto, mesmo com esta diminuição geral, o número de homicídios aumentou em 7%, ficando aproximadamente a 1,7 homicídios a cada 100.000 habitantes (no Brasil, isso gira em torno de 25 a 26). Veja a lista de algumas províncias em relação ao crime:
- Alberta: baixou 9%, a maior baixa do Canadá
- Québec: baixou 4%, na média
- New-Brunswick: 6% na média
No dia-a-dia, o que a gente observa é que não tem jogo ganho. Por exemplo, se você chama o 911, vem sempre um policial, uma ambulância ou um bombeiro, o que estiver mais perto. Depois, chegam os outros. Tem posto de polícia e bombeiro pra tudo quanto é lado e os caras não abandonam um caso até resolverem.

A gente fica impressionado realmente com o trabalho preventivo da segurança pública aqui em Montréal. Como os caras não "têm muito o que fazer", pois o crime é pequeno, eles se dedicam a prevenir ações criminosas de tudo quanto é tipo. Coisas que no Brasil seriam consideradas perda de tempo e de dinheiro, aqui são investimentos em prevenção de crimes. Por exemplo: na semana passada, a polícia estava fazendo blitz nas ciclo-faixas para pegar os caboclos que cometiam crimes contra o código de trânsito local. A saber:

- Andar de bicicleta com fones de ouvido: 52 lascas;
- Não parar no sinal fechado ou em ligne d'arrêt: 37 lascas;
- Bicicleta sem refletores: 37 lascas;
- Andar de bicicleta na calçada: 37 lascas;
- Bicicleta na contramão: 37 lascas.

Claro que o primeiro impulso é comparar com o Brasil, mas tem que se ter cuidado. O Brasil precisa da polícia reativa ainda, pois a quantidade de crimes é muito grande. Mas creio que com ações direcionadas a combater a corrupção, implementar políticas de meritocracia, e investimentos em infraestrutura e salários, ou seja, praticamente tudo, poderemos sim também no Brasil termos uma segurança mais preventiva.
E vamos seguindo com passos firmes de quem sabe onde quer chegar!
Abração e a Paz

terça-feira, 24 de julho de 2012

O Québec faz Bonito em Ecologia

Allo, povo de Deus!

Passei hoje aqui só para dizer que a província do Québec conseguiu reduzir o número de sacolas plásticas à um bilhão em 2010. Este é o resultado de uma pesquisa realizada pelo Instituto Recyc-Québec para confirmar uma suspeita: conseguimos alcançar a meta de reduzir pela metade a utilisação deste tipo de sacola entre 2008 e 2012. Como em 2008 havia 2,2 bilhões de sacolas em uso, a meta foi atingida antes do prazo. Parabéns a todos que, como nós, utilizam sacolas retornáveis (temos duas inclusive estampadas com as calçadas de nossa amada Curitiba) e colaboram para essa redução.

Uma das medidas tomadas por aqui foi cobrar 5 centavos por cada sacola na maioria dos supermercados e lojas. Como uma sacola retornável custa em torno de 70 centavos de dólar, você recupera o investimento logo, logo. O que eu ainda não consegui responder é sobre os sacos de lixo. Como não temos muitas sacolas de plástico em casa, temos que comprar sacos de lixo para colocar o lixo, e estes sacos também são de plástico... Não é uma contradição? Ainda estou me perguntando sobre isso....

No Brasil, para se ter uma idéia, usam se aproximadamente 15 bilhões de sacolas plásticas por ano. Claro: a população é maior, isso deve ser considerado. Mas existe algum plano de redução?

E vamos seguindo com passos firmes de quem sabe onde quer chegar.

Abração e a Paz

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Primeira Viagem aos Estados Unidos

Olá, Povo de Deus

É com grande alegria que comunicamos que estivemos na terra do Tio Sam pela primeira vez depois que chegamos ao Canadá. No último final de semana, fomos à Boston, Massachussets, para efetuar o saque do FGTS, e aproveitamos para conhecer um pouco desta cidade. É uma viagem longa, que leva de 5 à 7 horas de carro, dependendo das paradas e do itinerário, mas as estradas americanas sao realmente boas e podemos dirigir muito tranquilamente a viagem inteira sem problemas.

Primeiramente, vamos falar da novela de atravessar a fronteira: daqui de casa até a fronteira dá um pouco mais de meia-hora de carro. Chegamos todos felizes e contentes na fronteira e depois de uns 10 minutos em uma fila de carros, fomos recebidos em uma espécie de pedágio (veja a foto). E uma tia que parecia o Schwarzenneger versao feminina perguntou:
- Passaportes!
- Aqui estao.
- Quantos estao no carro?
- 5 pessoas
- Vao aonde?
- Boston, MA
- Abre o vidro de trás
- Ok
Entao, ela viu os nossos vistos americanos, passou os passaportes em um scanner, ficou com eles, e mandou a gente ir pra vistoria. Chegando lá, nos pediram a chave do carro e mandaram entrar em uma casinha onde havia um monte de gente esperando para ser vistoriado e um monte de caras vestidos de policial trabalhando atrás dos balcoes. Esperamos mais ou menos uns 25 minutos e uma outra menina veio chamando:
- Os brasileiros! Cadê os brasileiros!
- Estamos aqui!
Entao, ela estendeu a mao indicando que era para a gente colocar a mao sobre um scanner para eles obterem nossas impressoes digitais. Ela nao podia falar pois estava tomando um sorvete. Daí, ela carimbou nossos passaportes e grampeou o documento CBP I-94 A, de entrada nos EUA (que deve ser devolvido ao oficial canadense na saída do país) e nos devolveu. Ganhamos um papelzinho escrito "Cleared" e caímos fora. Pegamos nossa chave e seguimos pela estrada.
Depois de nossa recepçao simpática, entramos no estado de Nova York e logo nos deparamos com as maravilhosas estradas americanas, mas nosso GPS nos mandou pegar uma quebrada à esquerda para o estado de Vermont, onde passamos 1h e meia dirigindo à 70/80 km/h ou 40/55 MPH, coisa que a gente tem que se acostumar a converter, pois todas as placas sao em milhas por hora. Ah! E o GPS começou a indicar a velocidade máxima em cada trecho da viagem. Certinho... Esta passagem por Vermont foi muito legal, pois conhecemos o Lake Champlain. Um local muito bonito e cheio de barcos no lago por todos os lados. A paisagem lembrava muito os filmes americanos que a gente via quando pequenos. Passamos por muitas cidades que eram só algumas casinhas na beira da estrada. Todas as casas com bandeiras dos EUA.
 
Bem, depois deste passeio bucólico, chegamos na 89, onde passamos a maior parte da viagem e o terreno era sempre o mesmo: algumas montanhas baixas ao redor, duas a três pistas para ir e outras tantas para voltar... Entao, depois de quase 400km nesta estrada contando as placas dizendo: "Cuidado, Alce", "Cuidado, Urso", "Cuidado, Cervo", e passando pelo estado inteiro de New Hampshire, chegamos finalmente a Massachussets e pegamos a 93, que é pedagiada, mas aceitam dólares canadenses, com a proa já para a cidade de Boston. Chegamos logo e fomos acolhidos na casa de nossos amigos.

No outro dia, fizemos um tour pela cidade, que é cheia de história da pré-independência dos EUA, que é contada à partir dos prédios antigos, ruas e navios em exposiçao no porto. Almoçamos no antigo mercado do porto, que foi reformado há anos para conter muitos restaurantes onde se come de tudo. Acabamos pedindo pizza. O calor estava demais e queríamos sair dali logo. Saímos e ficamos mais uma meia-hora vendo um espetáculo de circo na rua muito legal. Depois fomos dar mais um passeio no porto, com direito a passeio de carrosel e tudo. Entao, fomos visitar os navios em exposiçao no porto. Vimos o USS Constitution, que foi um dos navios construídos após a declaraçao da independência dos EUA e que teve importantes vitórias na guerra contra o Reino Unido em 1812 pela consolidaçao da soberania americana. Depois tinha até uma fragata canadense que veio para participar da festa do 4 de julho, a independência americana. Bem, saindo do porto, fomos até Newport em Rhode Island para conhecer a praia, mas já estava bem tarde e ficamos só um pouquinho. Depois, fomos conhecer as mansoes do local e puxamos o carro pra casa.
 
No domingo, finalmente, fomos ao consulado resolver o lance do FGTS e já pegamos imediatamente o rumo de casa, onde chegamos 5h depois. Foi uma viagem bem rápida, mas já foi suficiente para deixar saudades, e conhecemos 5 estados americanos em um final de semana! Só faltam 45 agora... Tem bastante lugar bonito e é bem pertinho de casa.

E vamos seguindo com passos firmes de quem sabe onde quer chegar!!

Abraçao e a Paz