quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Caminho do Trabalho!

Ola, Pessoal

Segue um video com o roteiro de onibus de minha casa ate o trabalho, com legendas explicativas, para todos curtirem...

video

Um abraco e a Paz

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

A Missão Continua!

Oi, Pessoal

Gostaria hoje de falar de um grupo de amigos que está nos acolhendo de forma muito legal aqui em Montréal. Não podia deixar de ser: os nossos irmãos em Cristo Jesus. Temos aqui duas comunidades, que de certa forma são uma só: os Adventistas do Sétimo Dia, da igreja Luso-Brasileira de Montréal, e o grupo Nossa Fé, da Igreja Católica, paróquia Santa "Cruiz", de portugueses de Portugal.

Como somos católicos, estamos participando do coral, onde já conhecíamos também um casal que eram nossos amigos em Curitiba. O Matheus já está tocando bateria e eu, a Cris e a Tata estamos cantando juntos nas missas dos domingos. O Pe Zé Maria nos acolheu muito bem e nos fez sentir em casa, já colocando todos para trabalhar, com leituras e participação na liturgia da missa. Também costumamos frequentar os cultos adventistas aos sábados, onde sempre somos bem acolhidos e nos juntamos para um almoço.

Porém, o mais interessante é que todos os cristãos se conhecem e se ajudam aqui em Montréal. isso é muito bom, pois a dureza de coração deste povo daqui é impressionante e altamente contagiosa. Portanto, se você não tiver sempre à sua frente a lembrança de sua necessidade de crescer espiritualmente, você vira uma rocha mesmo. A cultura secular é muito forte. Graças a Deus, temos esta comunidade que está nos ajudando muito. Muitas pessoas, tanto católicos quanto adventistas, moram perto de nossa casa, o que está nos ajudando a decidir por ficar aqui na Ile des Soeurs (ilha dos brasileiros, como está sendo já apelidada). Espero que logo eu possa estar ajudando novos imigrantes ou mesmo mais pessoas que precisem, pois é indescritível o senso de desprendimento dos imigrantes daqui. A gente se sente muito seguro.

Existe também a paróquia Santa Marguerite-Bourgeouis, que fica a uma quadra de casa. Meu sonho realmente era participar desta paróquia, mas eles só falam francês e eu estou capengando ainda... já fomos assistir a uma missa e foi muito legal. Ao contrário do que eu imaginava, muitos jovens, casais de meia idade com filhos adolescentes, e casa cheia! Havia música litúrgica e ela me lembrava os cantos de Taizé, uma comunidade francesa a qual temos um CD muito bonito.

Então, é isso: como dizemos no Cursilho em Curitiba, os cristãos nunca se despedem: têm um encontro marcado aos pés do sacrário... Estamos sempre juntos quando estamos em oração, pois o que nos une é Eterno.

Abração e a Paz
Igor Schultz

O Rei da Casa

Finalmente!!!

Para os fãs, que não aguentavam mais sentir a minha falta, aqui está um post só meu!!! Aquele que domina a casa, dono de 4 humanos que pensam que me têm: Gregório, o Rei da Casa!

Essa vida aqui do Canadá não é fácil. No começo, achei tudo muito estranho e fiquei me escondendo debaixo dos móveis, mesmo sendo pequeno o apartamento, não era fácil me achar. Levei 2 dias para comer pela primeira vez e fiquei magrinho... Agora, o meu dono não me chama mais de Gordo, mas vou recuperar minha beleza logo, logo... A comida é estranha, mas eu me acostumo. E a areia é boa, cheguei e já fui logo conferir.

Agora, gosto de ficar na janela, pois é um pouco mais frio. Aqui dentro do apartamento é muito quente e como eu já tenho meu casaco Kanuk natural, passo muito calor. Gosto da janela também porque posso ver os esquilinhos e ficar com vontade de ir lá fora brincar com eles... Mas me disseram que posso levar uma mordida então deixam as janelas fechadas sempre... droga!




Essa semana, compraram um sofá novinho só pra mim! Então, gosto de me esparramar nele e ficar enxotando quem chega perto... A vida aqui está começando a ficar legal. Mas queria poder sair lá fora, mas é muito frio, então, vou ficando por aqui mesmo... Tomando conta dos meus súditos.
Morram de saudades
Gregório.

Primeiros Dias de Nossa Família no Canadá

Oie, Pessoal

Depois da chegada da Cris e crianças no Canadá, todos descansaram bastante, dormimos juntos e finalmente, amanheceu o primeiro dia depois da chegada da Cris e das Crianças no Canadá. Vi a minha vida passar de novo na minha frente, pois repetimos todos os procedimentos que eu já havia feito:

Primeiro, demos um pulo na Escola Mgr. Richard, onde as crianças irão estudar, para fazer a inscrição deles. A escola é secundária e pertence à Comissão Escolar Marguerite-Bourgeois, em Verdun. As crianças irão iniciar as Classes d'Accueil (turma de boas-vindas). Esta classe é obrigatória para as crianças que não sabem falar francês e pode durar no máximo 3 anos. Para as classes d'accueil, as crianças precisam se inscrever nas escolas próximas à sua casa. Por isso, eles foram para esta escola. À medida que o francês for se desenvolvendo, eles vão sendo avaliados e conforme for, voltam para o secondaire no primeiro ou segundo ano. Durante as classes d'accueil, eles não têm somente aula de francês, mas também matemática, educação física e artística, geografia e história e ciências. Fomos muito bem atendidos no rendez-vous e a professora fez o teste de francês com eles: zero. Não falam nada. Tudo bem, entram na turma básica. E eles entraram em uma turma que havia começado em setembro e que tinha filhos de amigos nossos brasileiros. Estão adorando e se adaptando rapidamente.

Depois da escola, fui trabalhar de manhã e de tarde a Cris e as crianças tinham mais um desafio: pegar o ônibus de casa até o centro e me encontrar. Foi realizado com sucesso! Então, fomos fazer o NAS (SIN) no Service Canada, que saiu imediatamente para todos, sem problemas de burocracia nem CSQ, e depois, fomos na mesma hora fazer a inscrição para o Assurance Maladie (seguro saúde). Aqui tem um ponto importante: como a Cris está grávida, ela recebe imediatamente a assistência do Governo do Québec, não sendo necessário aguardar 90 dias pelo cartão. Ela receberá atendimento gratuito mesmo sem o cartão, bastando apresentar o papel que o cara do RAMQ (Régie d'Assurance Maladie du Québec) deu para ela na inscrição. Tudo isso sem CSQ. Isso nos tomou a tarde inteira.

Depois disso, no terceiro dia, a Cris e as crianças vieram novamente ao centro para fazermos a carteira de ônibus das crianças, com foto. Como eles são estudantes, eles têm direito a esta carteira e pagam somente 38$ no passe mensal. Para fazer isso, fomos na sucursal da STM na estação McGill (2020, rue university). Nem precisou sair do metrô para fazer as carteirinhas. E mais um detalhe: havíamos esquecido a pasta com os documentos das crianças, mas a moça da STM fez a carteirinha mesmo assim.

Então, na semana seguinte começaram as aulas das crianças e a Cris também iniciou o seu curso de inglês, e também está gostando. Ela está fazendo o curso no Centro James Lyng, da comissão escolar inglesa. Já tem também alguns amigos brasileiros, mas tem também duas amigas iranianas que de vez em quando conversam com ela.

Pra encerrar, a nossa rotina está assim: acordamos 6h30, tomamos café juntos, então, a Cris sai primeiro, pega o 12 (vulgo "interbairros", porque só tem curitibano dentro) e vai para o James Lyng. As crianças saem logo em seguida para o próximo 12, direto para a escola. Agora, eles vão virar gente grande, pois fazem tudo sozinhos. Ganharam um celular no segundo dia, e vivem tirando fotos em tudo que é lugar!!! Eu sou o último a sair, dou uma ajeitada em tudo e pego o 168 para o centro. A Cris chega em casa por volta da 1h da tarde, as crianças chegam às 4h da tarde e eu chego entre 5h30 e 6h. E ainda tem bastante tempo para resolver tudo. De noite, a gente cozinha para o dia seguinte: eu levo uma marmita com tupperwares de comida e a Cris vem almoçar em casa. Para as crianças, existe um pacote de refeições por 17$ mensais, mas as vagas esgotaram. Então, comprei outro que custa 39$ por 10 refeições, o que também é barato, e a refeição é melhor que a anterior. Porém, como vocês podem perceber, está faltando tempo, pois já faz 3 semanas que eles chegaram e só hoje consegui escrever... Haja paciência de quem acompanha este blog!!!

Abração e a Paz
Igor Schultz

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Chegaram!!!

Sim, chegaram... Esta é a foto da minha filha, exatamente no momento em que ela me viu no aeroporto de Montréal. A gente se abraçou e chorou bastante, durante o momento que parecia não passar mais em nossas vidas... Todos muito cansados mas felizes, agradecendo a Deus por ter reunido novamente a nossa família. Isso aconteceu no dia 7 de dezembro, terça-feira passada. Isso pra vocês verem como estou novamente atrasado com as postagens!
Agora, vamos para a parte emocionante da história, com cronologia, já que sou especialista no assunto:
05h20 - me liga o primeiro colega do Brasil: "chegaram?". Ainda não, digo...
05h40 - a Cris ligou de Toronto!!! que felicidade: "saí por último do avião e estou perdida no aeroporto, pois não tenho ninguém para seguir. Pra onde vou?". Tentei dar a ela as explicações necessárias, mas também já não me lembrava direito do caminho até a aduana. Então, apareceu uma "attendant flight" ou "flight attendant"... como a Cris chamou a comissária de vôo, eheh...
05h55 - mais ou menos, liga a Cris de novo: "fala com o cara aqui, pois ele não quer me deixar entrar porque não tenho o CSQ...". Todos os meus pesadelos se realizando novamente. Mas tudo bem. Vou falar com o cara e ele vai entender. O cara nem me deu oi. Já falou: "escuta, já sei que você mora em Montréal e entrou sem o CSQ. Você tem alguma autorização por escrito do governo do Québec para isso?". Aí, conversa vai, conversa vem, o cara irredutível... "Olha, vou falar com o meu supervisor, mas não creio que seja possível eles entrarem sem o CSQ..."... Terror geral no meu coração... O que fazer?
06h05 - mais ou menos... um colega nosso que também passou por situação parecida (fez processo Federal e veio morar no Québec) milagrosamente madrugou no Skype. Comecei a contar para ele a situação e ele começou a me tranquilizar, tentando me dizer algumas coisas e dar algumas sugestões... Ele foi um anjo para mim nesta manhã. Eu já estava desesperado, e precisava ligar para algum escritório de imigração aqui, ou no Brasil. Pensei em ligar para o Brasil, pois lá já eram 09h30...
06h10 - mais ou menos... depois de tentar falar com o pessoal da imigração, sempre dando na secretária eletrônica, consegui falar com uma ex-funcionária do escritório de imigração Federal, para solicitar o fone de alguém do escritório de imigração do Québec. E ela me diz: "não tenho o número e lhe digo mais: esta situação sua é completamente ilegal. Tenho certeza absoluta que seus familiares serão deportados!!!".... "muito obrigado pela sua ajuda" falei pra ela, desesperado.
06h30 - mais ou menos... Me liga novamente o oficial de imigração do aeroporto de Toronto, dizendo "falei com o supervisor. A situação é a seguinte: temos que esperar o escritório de imigração abrir em Montréal e eu vou perguntar para eles se vocês podem realmente viver no Québec. Se eles autorizarem, eu deixo eles entrar. Se não autorizarem, irão para o Brasil no próximo vôo". Socorro!!!!
06h45 - meu anjo da guarda amigo imigrante que estava comigo no Skype me passa um site com a lista de fones e ramais de todos os funcionários da imigração do Québec. Ligo no primeiro número da lista e atende uma pessoa!!!! Não a secretária eletrônica, mas uma pessoa!!! Que maravilha... Explico a situação, e peço para falar com o mesmo agente que havia dado uma palestra para nós em Curitiba, e que na ocasião havia jurado de pés juntos que não precisava do CSQ para viver no Québec. O cara atende, e me reconhece!!! Então, conto pra ele que minha família está presa no aeroporto e estão para ser deportados. "Estou indignado" diz ele. "Me dá 10 minutos que vou fazer algumas ligações e entro em contato com sua esposa lá em Toronto". Ufa, respirei mais aliviado...
06h55 - mais ou menos... O oficial de imigração de Toronto me liga: "I have good news!!"... Eu quase caí sentado no chão... "Olha, como o escritório de Montréal só abre às 9h30, resolvi ligar para o nosso pessoal da imigração no aeroporto de Montréal. Sabe como é, eles moram no Québec e estão mais bem informados do que nós... E me disseram que realmente não precisa do CSQ para viver no Québec. Então, fala pra sua esposa ficar tranquila que vou só preencher os formulários e em 10 minutos vou liberá-los". Meu pensamento: "você quase arruina a vida de uma família inteira porque não sabe fazer o seu trabalho?????" - minha fala: "muito obrigado, meu amigo, porque você teve a iniciativa de ligar para o aeroporto. Obrigado por ter dado o seu melhor". E fiquei esperando novamente a Cris ligar para a próxima etapa: pegar as malas
07h30 - mais ou menos... Ela me liga por que não conseguem encontrar as malas. Porém, foram auxiliadas por um carregador chamado Sam. Falei com ele no telefone e ele cobrou 20$ mais 5$ de propine para levar as malas até a esteira de Montréal. Depois que eles passaram na imigração, eu pagava até 100$ se me pedissem, só para eles sairem o mais rápido possível de lá...
09h00 - mais ou menos... Me ligam do portão 120. O vôo era às 10h. Estava tudo certo. Hora de ir para o aeroporto!!! Peguei o carro, o GPS e já caí fora. Fui lá esperá-los... Na noite anterior, havia caído a nevasca que eu falei no post passado. O trânsito tava parado!!! Mas cheguei 30 minutos antes do horário do vôo pousar e, sinceramente, achei que o aeroporto iria estar fechado, mas os caras aqui não estão nem aí pra neve...
10h13 - chega o vôo... E abraços da família!!! E contam da viagem e tudo mais... Agora, o descanso merecido ao chegar em casa, que agora, é um Lar, pois é uma casa onde tem Amor.
Moral da história: não precisa do CSQ pra morar em Quebec, mas que faz uma falta danada, faz...
E vamos seguindo com passos firmes de quem sabe onde quer chegar!!! E chegamos!
Tik... Sonho realizado. Vamos para o próximo...
Abração e a Paz
Igor Schultz

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Minha Família está Chegando....

Hoje é o dia dos posts. Com este, é o terceiro, um atrás do outro... Mas não posso deixar de registrar que esta noite que passou (de domingo para segunda-feira), eu simplesmente não consegui dormir pensando no que a minha família estaria passando, e que amanhã eu estaria os tocando, abraçando, estando perto deles... Gente, quando estes sentimentos me vinham à cabeça, eu simplesmente não conseguia ficar deitado na cama!!! Levantava, caminhava, voltava a deitar, tentava dormir. Rezei o terço, voltei a tentar dormir, fiz um sanduba, escrevi uns procedimentos pra Cris se virar na viagem, de repente, 4h da manhã. Já eram 7h em Curitiba. Então, já liguei para passar os procedimentos. A Cris também está muito ansiosa e desabafou comigo, mas nossos amigos fiéis do Cursilho de Curitiba nos ajudaram hoje, fazendo muitas coisas para a gente.
Então, no final da tarde de Montréal, ela entra no Skype e a gente faz uma vídeo e eles já estavam em GRU. E todos pareciam felizes. Fizeram o check-in na Air Canada e o Gordo miou um pouco na viagem de Curitiba, mas logo dormiu. A veterinária autorizou a dar Dramin de gente caso ele pirasse, mas não precisou. E chegando em SP, ele logo foi pra primeira classe: a gaiola grande, permitida pela Air Canada, mas não pela TAM. E estava também dormindo. Queria falar com eles de novo na sala de embarque, mas como fiquei preso na neve aqui e não consegui chegar a tempo, eles devem ter embarcado e agora estão a meio caminho daqui!!! Vão me ligar às 5h40 da manhã, quando pousarem em Toronto, para o tão aguardando momento da imigração (landing) sem o CSQ e com gato! Façam suas apostas!!! Então, vou dormir, já que ontem, não dormi... E tá uma nevasca aqui e amanhã vou ter que dirigir com bastante prudência e o aeroporto é longe... Eles devem chegar às 11h, horário de Montréal.
E vamos seguindo com passos firmes, de quem sabe onde quer chegar!!!
Abração e a Paz

Primeira Nevasca em Montréal

Gente, hoje quando saí do trabalho, me senti no filme "O Dia Depois de Amanhã". Saí do trabalho 4h30 e cheguei em casa às 7h00. Uma ventania e uma neve que batia na cara da gente que nem areia e fui pro ponto de ônibus pra ir pra casa. Depois de uma hora, nada do ônibus 168, resolvi arriscar pegar o metrô para a estação LaSalle e pegar o 12. Tinha uns colegas brazucas no ponto e acabaram me seguindo e sugeriram da gente pegar um taxi e dividir. Ligamos, mas nada do danado aparecer. E a neve subindo... A gente ficou na estação esperando chegar o ônibus, assim como toda a torcida do Grêmio. E quando o bicho chegou, todo mundo se atropelou para pegar o ônibus, mas acabaram fazendo fila e foi tudo tranquilo...
Chegando em casa, tive de sair para comprar coisas para a família, que chega amanhã... E dirigi pela primeira vez no meio da nevasca. Não há mais ruas, calçadas, grama, nada. Só há uma coisa branca que cobre tudo... O carrinho vai patinando mas vai se virando, e ninguém anda a mais de 30 por hora... Quando saía para fazer alguma coisa a pé, atolava até o joelho na neve! "Que feliz que soy"...
Mas o melhor de tudo foi no final. Eu troquei de carro com um colega, pois o carro dele é grande e cabem as malas do povo amanhã... E perguntei: "Olha, vocês acham que sempre pode nevar mais, que isso é só o começo, mas hoje foi um dia ruim, né? Realmente ruim.." Queria que ele me dissesse que "sim, hoje foi um dia atípico até para os padrões montrealeses..." e ele virou e me disse: "Que ruim nada! Este é meu primeiro inverno aqui também e estou adorando. Foi por isso que viemos aqui, não?" E fiquei pensando, realmente, temos que curtir tudo, pois o inverno também é uma coisa diferente. E olhando lá pra fora agora, vejo que é uma coisa que não é qualquer um que poderia ter contato.
E agradeci a Deus pelo meu amigo ter me falado aquilo.
E seguimos com passos firmes de quem sabe onde quer chegar!!!
Abração e a Paz

O Homem Também é Cozinheiro!!!

Em vista das muitas mensagens de reconhecimento pelo meu "maravilhoso" (coitado de mim) papel na arrumação da casa, resolvi investir na carreira, pois a gente tem que sempre estar se atualizando, e neste final de semana, cozinhei um prato quebecois (alguns dizem que não é...), chamado Paté Chinois, com um casal de amigos meus que são mais maravilhosos do que eu. Conta a lenda que este prato já era utilizado para alimentar os chineses que vinham para a Inglaterra, antes mesmo de se iniciar de verdade a colonização do Canadá. É muito parecido com uma madalena ou escondidinho do Brasil. Vamos lá:
1. Cozinha 1kg de carne moída para uma travessa pirex média, com tempero à gosto. No meu caso, coloquei cebola e alho fritos no azeite de oliva, sal, cominho, que dá um gosto bom na carne, e tinha uns venenos no armário e coloquei também... Acho que eram umas tais de "ervas finas". Uma dica da cozinheira da foto: cozinhe primeiro a carne moída sem nenhum tempero em um pouco de água para sair o cheiro ruim que tem nas carnes daqui...
2. Faça um purê de umas 8 batatas médias. Descasque elas e coloque na água para ferver para elas amolecerem (se quiser, pode por na panela de pressão que vai mais rápido). Tempere a água das batatas também com sal. Na hora de amassar acho que vai bem uma noz moscada ralada. Não coloquei nesta primeira vez, mas senti falta. Tem gente também que prefere fazer o purê com leite e margarina. Fica a gosto do freguês.
3. Pegue a travessa, coloque a carne moída como uma primeira camada. Então, abra duas latas de milho verde e cubra a carne moída. Por cima de tudo, coloque o purê. Cubra com queijo ralado, se preferir, e outros venenos. Orégano deve ficar bom também.
4. Bote no forno até dourar a batata.

5. Coma. Ele rende para uma semana e dá pra levar pro trabalho no tupperware.
6. Siga com passos firmes de quem sabe onde quer chegar.
Abração e a Paz
Igor Schultz

sábado, 4 de dezembro de 2010

Tudo Pronto para a Chegada da Família

Oie, Povo de Deus!!!

Estou tremendamente ansioso pela chegada da minha família. Não vejo a hora de poder vê-los, tocá-los, cheirá-los, abraçá-los, beijá-los, ficar perto deles. Tudo isso... Não consigo mais esperar. O tempo se cumpriu, e preparei tudo o que pude aqui em casa, e eles se prepararam como puderam lá em Curitiba, para que o nosso reencontro fosse o melhor possível. Do lado de cá, ainda tenho umas compras pra fazer no final de semana, mas basicamente, a casa está habitável:
  • Sala: tem TV a cabo e internet, um pequeno escritório, mesinha de centro e cadeiras. Falta sofá, mesa de jantar, tapetes e cortinas;
  • Cozinha: tem todos os eletrodomésticos, que vieram no apartamento, panelas, pratos, talheres. Faltam mais panos de prato e um plástico que a gente põe embaixo do escorredor de louça para não molhar a cozinha;
  • Quarto das crianças. Tem camas, colchões, roupa de cama e abajur. Faltam os travesseiros deles, escrivaninhas e cômoda, tapetes e cortinas;
  • Quarto do casal. Tem cama, roupa de cama e abajur. Faltam comodas, tapetes, cortinas.
  • Banheiros: acho que mais uns jogos de toalhas, copinho para escovas de dentes, etc.
  • Geral: prateleiras penduráveis para os armários, acho que mais umas duas (os armários não têm prateleiras. A gente compra prateleiras de pano de pendurar), e mais um varal.

Então, creio que é isso... O resto a Cris vai dizer, porque para um homem solteiro, tava fácil... Agora, vamos viver de verdade!!! Eles vem trazer vida e calor para este país tão frio. Estou contando os segundos para a gente se encontrar...

E seguimos com passos firmes, de quem sabe onde quer chegar!!!

Abração e a Paz

terça-feira, 30 de novembro de 2010

PR Card Chegou!!!

Olá!!!

Mais um passo da imigração concluído. Agora, estamos contando de trás pra frente, as poucas coisas que ainda faltam fazer, que na verdade não são tão poucas, mas são menos do que as que tem pra fazer se desistirmos de tudo... Ah, deixa pra lá... Enfim, agora, com o cartão, tenho finalmente um documento canadense com foto, o que tem sido muito solicitado aqui, mas principalmente, agora tenho o direito de voltar ao Canadá depois que eu sair (porque o direito de sair eu já tinha, só que não podia voltar...). Na verdade, o cartão somente é solicitado a você quando você entra no Canadá. Fora isso, ele dificilmente é solicitado. A permit de conduire (carteira de motorista) é o documento de identidade mais utilizado.

E vamos seguindo com passos firmes de quem sabe onde quer chegar!!! Tomara que me deixem entrar de novo com essa cara na foto....

Abração e a Paz

Estamos Grávidos

É isso aí, pessoal... Os Schultz vão dominar o mundo!!! E antes que vocês me perguntem qual a versão do Skype que eu uso, já vou explicando... O nenê, que desta vez é um só, já está com 9 semanas e está tudo normal. Ele foi concebido 1 semana antes de eu viajar. A Cris me ligou há 2 semanas atrás (pra ver como estou atrasado com os posts), para avisar que nós iríamos ter um bebê... E a sensação foi maravilhosa, pois estávamos mesmo conversando entre nós sobre esta possibilidade aqui no Canadá... cheguei até a externar alguns pensamentos sobre isso com uns amigos aqui, e de repente, Deus nos mostra mais esse milagre! Nos comunica que quem manda é Ele, e não a gente... E se precisar desistir de toda essa história de Canadá por causa do nenê... Nem pensaremos duas vezes... Mas ainda não é o caso. Estou realmente muito feliz e ansioso para ver minha esposa e as crianças, pois recebi a notícia quando já estava aqui. Saí contando pra todo mundo e todos ficaram maravilhados...

Não há problemas para viajar no início da gravidez, conforme os médicos que a Cris consultou em Curitiba. Quanto ao processo de imigração, só existe problema se a criança nascer durante o processo. Como ela não vai nascer antes da Cris chegar no Canadá, não existe nada necessário a fazer. Mas tem uma novidade boa!!! Para a Cris, em se tratando de procedimentos de gravidez, ela não precisará esperar os 90 dias de carência da Assurance Maladie (seguro de saúde pública). Assim, ela chega e já vai no obstetra para iniciar o acompanhamento.

Gente, não sei nem o que dizer quanto a esta notícia. É simplesmente maravilhoso poder ser pai novamente, e mais do que isso: compartilhar tudo isto com a Cris, já depois que as crianças estão grandes... Elas também vão viver tudo isso e será de grande proveito para a vida deles. Eu não consigo parar de agradecer a Deus por tudo... É muita coisa boa acontecendo ao mesmo tempo... dá até medo!

E vamos seguindo com passinhos firmes, de quem sabe onde quer chegar!!!

Abração e a Paz

domingo, 28 de novembro de 2010

Primeira Neve em Montréal

Oie, Povo de Deus

Hoje, quando amanheceu o dia, que surpresa!!! Tudo branquinho de neve... Que maravilhoso. Já saímos para a Igreja com os amigos e tirava fotos de tudo, pois é tudo novidade. E novamente, o frio não é tão intenso durante a neve quanto eu imaginava. Nevou durante a manhã toda, de tarde, parou. O sol dava umas aparecidas e depois sumia. Agora à noite, esfriou bastante, mas o tempo está limpo. Creio que esta neve logo derreterá, pois amanhã deverá fazer temperaturas positivas. Para derreter a neve, a prefeitura coloca sal grosso não somente nas calçadas, como eu havia comentado, mas também nas ruas, o que é extremamente danoso para os veículos, pois o processo de corrosão é acelerado. Foi uma experiência diferente, pois ainda não havia estado diretamente em contato com a neve, e foi bem legal. Não vejo a hora da Cris e as crianças estarem aqui para nos divertirmos juntos!





Coloco abaixo um vídeo divertido sobre a história de um imigrante latino-americano, vídeo este já consagrado entre os imigrantes. Neste momento, estou na fase do "esta noche, nevó, que lindo..."






E vamos seguindo com passos firmes e escorregadios, de quem sabe onde quer chegar!!!

Beijos a todos e a Paz

sábado, 27 de novembro de 2010

C'est la Pluie Verglaçante, mané...

Hoje tive de sair e voltar para colocar minhas botas, pois não conseguia caminhar direito. Então, fui perguntar para o povo no ponto do Inter 2 de Montréal (vulgo 168). "C'est la pluie verglaçante"... Ah, entendi... achei que o cara tava me xingando, mas na verdade, trata-se de um fenômeno meteorológico, onde a chuva cai líquida e congela no chão, formando uma camada deslizante... Depois, você vê um monte de gente patinando e não sabe porquê... ehehe é até divertido, até que é você que cai com o traseiro no chão, aí, acaba a diversão...

Para evitar maiores acidentes traseirísticos, o pessoal coloca sal grosso nas calçadas, pois ele derrete o gelo. Então, esse sal fica no sapato da gente e de vez em quando a gente tem que dar uma batidinha... Hoje à tarde fui também no consulado transferir meu título e percebi que estava caindo uma neve fraquinha, que é chamada de flurries. Ela cai bem devagar, mas vira água logo que toca em sua mão. São as novidades do Canadá...
E vamos em frente, sempre em frente, com passos firmes de quem sabe onde quer chegar!
Abração e a Paz

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Carro Novo!

Mas não pensem que só por isso vou parar de andar de busungão... É bem mais fácil e econômico, mas agora a família já está chegando e creio que começará a sessão "turismo em Montréal"... Mas isso é história para outro post.
O nosso carrinho é igual a esse aí da foto: O SchultzCar. É impressionante como os carros usados são baratos aqui. E para ser mais segura a compra, a gente deve ir na concessionária, pois eles dão muitas garantias. E quando tirei o carro da concessionária, que fica em Longueuil, uma cidade vizinha de Montréal, e tive de vir dirigindo até aqui em casa... Cheguei em casa com dor nas costas, de tão tenso que eu estava.. Carro diferente, estrada diferente, tudo diferente!

Para comprar o carro, não precisa de CSQ, documentação, nada. O cara só pediu a minha carteira de motorista do Brasil e o cartão de crédito. Porém, o pagamento foi efetuado com o "Bank Draft", que eu finalmente soube o que é. É um cheque administrativo emitido pelo banco. Nada mais. Tive de ir ao banco e pedir para eles emitirem em nome da concessionária, no valor do veículo.

Bem. Saí da concessionária com uma papelada e um adesivo no carro, que serve como placa por 10 dias. Neste período, é necessário ir até um escritório do SAAQ (o "Detran" do Québec) para fazer o licenciamento do carro. Então, fui hoje dirigindo, esperando que fosse feita a vistoria, verificação do chassi, etc. Nada disso: o escritório do SAAQ fica dentro de um shopping perto do centre-ville e eles nem perguntaram do carro. Deixei a papelada, paguei e saí com a placa na mão. Eu mesmo é quem coloco. Sem lacre, sem nada... C'est bizarre... como diria meu professor de francês...

E vamos seguindo em frente, com passos firmes de quem sabe onde quer chegar!!! (que saudades da Cris e das crianças...)

Abração e a Paz

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Se Comunicando com o Brasil

Olá, Pessoal!!!

A saudade da minha família é muito grande, mas muito grande mesmo! Agora, faltam menos de duas semanas para eles chegarem, e simplesmente não consigo pensar em mais nada a não ser quando vou estar com todos eles em meus braços.
Para aliviar a saudade, a gente se comunica o máximo que pode, pois há restrições tarifárias, de fuso horário (aqui em Montréal atualmente estamos com 3h a menos que o Brasil), e tudo mais. Mas usando a criatividade, é possível achar algumas soluções baratas. Gostaria de falar daquelas que estou utilizando:
  • Skype: o já consagrado sistema de comunicação, preferido de 10 entre 10 imigrantes. Com ele estou conseguindo falar com o povo do Brasil com vídeo e áudio, mas também posso ligar para qualquer número, pagando apenas 20 centavos de dólar o minuto (o que não é tão barato assim, mas é o jeito). Também tenho um número Skype local no Brasil, que qualquer pessoa que ligar para este número estará direcionando sua ligação para meu Skype (60 doletas e só). Em todos os casos, se eu estiver com o Skype desligado, a ligação é transferida automaticamente para meu celular (de graça)...
  • JustVoip: este é novidade para mim. Carrego 10 Euros e posso falar sem custo com qualquer telefone fixo do Brasil. E melhor ainda: posso direcionar a ligação para meu telefone celular. Por exemplo: posso pedir ao site que a chamada seja conectada ao meu celular e ao fixo do Brasil. Então, é como se eu tivesse ligado do celular. Então, às vezes minha família entra no site e "faz" uma ligação, que toca no meu celular no Canadá e na minha casa no Brasil, sem custo.

É isso aí... O importante é matar a saudade... E também deixar canal aberto para todo mundo poder ligar!!! E também seguir sempre com passos firmes de quem sabe onde quer chegar...

Abração e a Paz

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Estou trabalhando!!!

É isso aí, pessoal!
Desde o dia 08 de novembro (é que eu estou super atrasado com os posts), comecei o trabalho em consultoria aqui em Montréal, e trabalho com Business Intelligence para o Oracle. Mesmo já tendo tudo acertado desde o Brasil para o trabalho atual, muitas outras empresas aqui de Montréal haviam me contactado por causa do LinkedIn, principalmente quando havia publicado que estava indo para o Canadá. Algumas dessas oportunidades, resolvi averiguar, e conto a história conforme abaixo.
Cheguei em Montréal dia 21 de novembro já com 1 entrevista de emprego para este mesmo dia, por telefone. Na sexta, tinha mais duas e algumas outras na outra semana. O que fiz foi ligar para todos os que me disseram "quando chegar, me ligue" e dizer "cheguei". Então, todos marcaram entrevistas. Fiquei sabendo de uma job fair de TI que haveria no Palais de Congris na semana seguinte à minha chegada, e fui lá conferir, mas com um pré-conceito de que não servia pra nada: todas as pessoas que haviam conversado comigo antes quando eu estava no Brasil me disseram que não serve para nada as job fairs. Bem. Eu acho que depende. Fui no stand da CGI, uma grande consultoria de Montréal, deixei o currículo e fiz uma boa pré-entrevista. Depois, fui no stand de algumas empresas que queriam que eu falasse francês, e ainda não falo bem. Então, fui também no stand de outra consultoria chamada OSI. E o Jean me apresentava para todas as pessoas e especificamente neste stand me deram o cartão de uma recrutadora que eu já havia conversado quando estava no Brasil. Então, bati nas costas do cara e disse: "fala pra ela que você me conheceu pessoalmente!". Em 30 minutos, ela me ligou marcando uma entrevista para a tarde. Enfim, nessa job fair eu consegui 3 entrevistas, e posteriormente, mais uma quarta.
Mais tarde, o pessoal da Oracle Corp. também me ligou. Porém, no Brasil havia me comprometido a não viajar mais. Assim, acabei tendo que dizer não para Oracle, CGI, OSI, etc. Mas sempre deixando a porta aberta. Na CGI, chegaram a dizer: "olha, eu sei que existe um período de experiência, então, no ano que vem, me liga de novo para dizer como é que estão as coisas...". Esta semana me ligaram de Vancouver. A moça também foi super gentil.
Tudo o que posso fazer é agradecer a Deus por tudo isso e batalhar para me manter no trabalho, que também é necessário, né? E também tô devendo um almoço pro Jean Coupal, pois ele conhece todo mundo aqui e não quero perder o contato com ele. O mundo Oracle aqui em Montréal é como era no Brasil: todo mundo se conhece. E quero ser conhecido pelo nome aqui, pois também, como era no Brasil, isso deve funcionar.
E vamos seguindo com passos cada vez mais firmes, de quem sabe onde quer chegar!!!
Abração e a Paz

sábado, 13 de novembro de 2010

Vamos às Compras!!!

Bonjour, Povo de Deus!!

Depois de se estabelecer no Canadá, a primeira coisa que acontece é que a gente precisa comprar coisas, como pratos, talheres, móveis, eletrodomésticos, etc. E aqui tem muitas opções. Eu, como sou preguiçoso, acabei pulando um pouco a etapa de pesquisar, e fui logo resolver as coisas, mas acabei economizando um bom dinheiro. Quero ver se dou uma idéia de preços das coisas aqui também neste post. Antes de começar a falar de dinheiro, é importante que se saiba que não é possível pensar em R$ (reais) para comparar o custo de vida canadense com o brasileiro. Todo mundo aqui fala isso, mas quando você está aqui e o seu salário é em CDN$, realmente você perde a referência com a sua moeda natal. Então, vamos tentar nos abster da comparação entre os custos de vida canadenses e brasileiros, pois como o rendimento também é diferente, a comparação não é possível.

  • Compras no supermercado: existem grandes diferenças de preços entre os supermercados. O supermercado daqui de Ile des Soeurs é muito caro, e frequentemente a gente atravessa a ponte para ir até Verdun comprar no super dos pobres, mas que tem os mesmos produtos muito mais baratos. Quanto aos preços, eu diria que o valor absoluto é o mesmo, mas em dólares. Por exemplo: o leite, seja ele qual for, é vendido em um sacão grande de plástico que tem 3 saquinhos parecidos com aquele tipo C que tem no Brasil. Isso tudo custa 3 dólares. O suco de laranja (caixa de 2l) custa 7 dólares. Agora, as frutas são caras: maçã é 3,25 o quilo, banana é 2,75 o quilo, e nada é plantado no Canadá. Como regra geral para o supermercado, eu digo: pega o valor que você tem em reais e o mesmo valor será em dólares. Se você paga R$ 1,50 por um litro de leite integral, provavelmente pagará CDN$ 1,50 por um litro de leite integral aqui. E tem muitos produtos diferentes. Todo mundo aceita cartão de crédito e débito.
  • Compras gerais para a casa: para comprar cacarecos em geral, existe a "Casa China" de Montréal, ou como é mais conhecido, o "1,99". Chama-se Dollarama. Como a gente é pobre (mas é limpinho), tô todo dia lá. Nesta loja, você acha de tudo, com qualidade inferior, mas dependendo para que você vai usar, a qualidade não importa muito. E o preço é no máximo $2. Então, você enche um carrinho com panos de prato, lixeiras, talheres, pratos, tapetes, cabides, vassouras, rodos, copos, lâmpadas, porta canetas, material de escritório, etc. e paga em torno de 40$. Eles só aceitam débito ou cash. E também tem aqueles itens necessários para receber visita, como um tapete de plástico duro para colocar os sapatos molhados de quem chega, e os cabides de casacos. Isso tudo fica no armário de entrada da casa, que tem em todas as casas.
  • Móveis: existe aqui a famosa loja Ikea, que é muito procurada por imigrantes. É interessante ir na Ikea porque eles têm muitas soluções prontas e a preços acessíveis. Nem sempre baratos, mas acessíveis. A Ikea tem um grande show-room onde todos os móveis estão montados. Em cada móvel tem uma etiqueta com o preço e a locação no depósito (em qual armário e prateleira você poderá pegá-lo). Tem que tomar cuidado, porque o preço nem sempre é do móvel inteiro. Então, você pensa que é barato, mas ainda tem que comprar as pernas, as cadeiras, a almofada das cadeiras, etc. Parece uma casa gigantesca. Então, eles te dão uma lápis e um papel para você anotar as locações dos produtos que você deseja. Depois que você anotar tudo o que quiser, você vai para o depósito e pega os móveis que anotou. Eles estão em caixas de papelão e normalmente podem ser transportados por uma pessoa só. Daí, você passa em um caixa automático, escaneia todos os produtos você mesmo, paga você mesmo e cai fora. Ninguém vê se você deixou de escanear algum produto e levou escondido. Impressionante. Os móveis aqui são normalmente caros. As mesas de jantar, com cadeiras, saem em torno de $1,300. Os sofás, de $600 a $1,000. Os colchões variam muito, podem ser de $350 até $2,000. Na Ikea não é bom comprar colchões. A melhor loja de colchões parece ser a Brick. Comprei lá o colchão de casal muito bom. Existem outras lojas, como a Dormez-vous, muitas outras ainda. Porém, como precisava mobiliar a casa, acabei não pesquisando muito. Porém, a gente ganha muitas coisas. Ontem à noite veio um amigo da Igreja entregar uma mesinha de jantar que vai me ajudar muito. Eu realmente espero poder ajudar outras pessoas assim. Mas por enquanto, quem precisa de ajuda ainda sou eu...
  • Ferramentas e Acessórios: a loja Canadian Tire é como uma Leroy Merlin ou Cassol do Brasil, só que muito mais incrementada. Eles vendem também roupas e tudo mais. Fui lá e torrei uma grana violenta, mas vejam: torradeira ($19.99), tábua de passar roupa de mesa ($17.99), ferro ($7.99), jogo de panelas ($249.99 - esse foi salgado, mas são muito boas), umidificador de ar ($67.99), microondas ($79.99).
  • Eletroeletrônicos: a loja mais em conta, na média, é a Future Shop. Lá tem de tudo e os caras que são ligados em novidades eletrônicas e de informática ficam malucos!!! Comprei a nossa TV LCD 42'' HD 1200 Mhz, com USB e 3 entradas de vídeo e entrada para jogos por $699.00. O videogame que as crianças querem (PlayStation 3) custa $299, assim como o tal do Xbox360 (acho que é esse o nome, não sei bem). Essas coisas são bem mais baratas que no Brasil.
  • Celular: comprei 2 aparelhos de celular da Bell, que me saíram $24 cada um. O aparelho é um Samsung SGH-T746, muito bom, com touchscreen. Só sinto falta de um media player, que tá com defeito, mas eu tô vendo com o suporte. O plano é assim: $35 por mês, você pode falar até 150 minutos (falar é ligar e receber, e não somente ligar, como é no Brasil), mas você vai no site da Bell e cadastra 10 números que não descontam destes 150 minutos. Como no começo da vida a gente não conhece muita gente, fica tudo nos 10 números, ehehe. Outras empresas que oferecem planos são a Videotron (está começando agora no mercado de celulares), a Public Mobile, a Rogers, e a Fido. Ainda não comprei telefone fixo e por enquanto não tenho intenção de comprar.
  • Internet e TV a Cabo. Normalmente são vendidos juntos. Eu comprei aqui a da Videotron. Considero realmente a melhor. Eles fizeram um pacote de $35,00 e eu tenho direito a uns 40 canais básicos (só notícias, canal do tempo, variedades, política, etc.) e mais 15 canais que eu escolho, e a cada 30 dias eu posso trocar o que eu quiser. Tenho que ficar no mínimo por 30 dias com cada um e vou trocando... Como a gente não entende o que eles estão falando, não adianta ter muitos canais, né? Por mais $2,99 eu tenho a versão HD grátis dos canais escolhidos (quando disponível). E também comprei mais 5 canais de filmes por $13,99. No total, Internet e TV ficaram por aproximadamente $100.
  • Impostos: sobre todos os preços que eu falei acima, na hora de pagar, são acrescentados os seguintes impostos: TPS (Taxe sur les produits et services) de 5%, e também a TPV (não consegui achar o que é) de 7.5%. Portanto, o total da mordida é de 12.5%

E vamos seguindo, com passos firmes de quem sabe onde quer chegar!

Abração e a Paz

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Vai Começando a Rotina no Canadá


Bonsoir, Povo de Deus

Agora, já temos Internet no apartamento. Então, espero que as atualizações do post voltem a ser mais frequentes. Então: este post de hoje é para dizer como estão indo as coisas até hoje, quando completo 3 semanas de Canadá.

A vida aqui em Montréal está muito bacana, não está frio ainda, os dias têm sido entre 3 a 8 graus, com picos de 10, 11 graus em alguns momentos do dia. A correria vai lentamente se transformando em rotina à medida que as melancias vão se encaixando na caçamba do caminhão.

As novidades:
  • Todas as coisas que se precisa fazer aqui, primeiro precisa agendar um Rendez-vous (horário de atendimento). Se você não tem o rendez-vous, eles simplesmente não atendem. Então, é melhor ligar antes, marcar o rendez-vous e depois aparecer. No começo, eu aparecia e dava com a cara na porta. Eles só agendavam o rendez-vous. Ninguém atende.
  • Já chegou o cartão do NAS (SIN), e muitos recomendam deixá-lo em casa. No entanto, a senhora que atende no Ministére d'Immigration me recomendou que eu andasse com ele o tempo todo, ou que eu soubesse o número de cor. Sei lá. Só sei que nos folhetos do Service Canada, responsável por emitir o NAS, diz que é ilegal solicitar este número a você, qualquer que seja a razão, exceto em caso de trabalho.
  • Teve uma festa de halloween aqui, mas foi só de brasileiros, em Ile Perrot. Um lugar lindo, mas longe demais! Mais de 1h de carro. A festa foi tipo um carnaval, com muita dança e gente fantasiada e comida. Foi uma experiência interessante...
Já tenho Internet e TV a Cabo aqui em casa. A instalação foi rápida e o técnico é muito atencioso. Ele explica o funcionamento do aparelho e de todos os planos que você pode ter. E todas as configurações do seu plano você pode fazer pela Internet. A empresa que contratei foi a Videotron. E já tem canais HD. Bem legal!
  • Comecei o curso de francês no Centre Saint-Paul em La Salle, e as aulas são muito legais também. O professor deve ser formado em letras, pois conhece muitos idiomas e fala sobre as especificidades de cada uma das línguas. A sala é cheia de imigrantes e cada dia é uma novidade. Para se matricular no curso, deve-se agendar o rendez-vous e no dia você faz uma prova para ver seu nível de francês. O meu foi nível 3, em uma escala de 1 a 8. Então, você marcha com $ 48,00 pila, mais $10 da apostila (paga no dia), e é isso por 1 semestre. As aulas podem ser de manhã, tarde ou noite. No meu caso, peguei à noite por causa do trabalho, e o horário é das 5 da tarde ás 9 e meia da noite. Está me ajudando muito.
  • Fui no rendez-vous da imigração, que é aconselhado já no landing para os que chegam com o CSQ, mas para mim, que não tenho, tive de me virar sozinho. Então, cheguei lá e perguntei: "você fala inglês, pois meu francês é péssimo...". Ela disse: "Pra que falar inglês, tchê, se nós estamos no Quebec, que barbaridade!!!". Fiquei quieto. Então, ela perguntou. Sabe do curso de francês? Sei...já estou estudando. Sabe como arrumar casa pra morar? Sei... Já tenho apartamento alugado. Sabe como arrumar trabalho? Sei... já estou trabalhando. Então, ela disse: o que você tá fazendo aqui? Cai fora... Então, peguei os formulários para receber os valores do governo do Quebéc e do Federal para cada filho e caí fora. Mas ela falou uma coisa importante: disse que preciso urgente do contrato de aluguel (bail) e que este contrato será como um CSQ, pois comprova minha intenção de me estabelecer no Québec. Ainda não tenho este contrato, pois está trancado na imobiliária, mas quero resolver isso ainda esta semana.
  • Quanto ao aluguel, a questão foi a seguinte: os contratos são sempre de 1 ano, vencendo em junho. Se você quer sair antes disso, você precisa arrumar alguém para ficar no teu lugar, é o que chamam de passe de bail. E eu fui o felizardo que recebeu um passe de bail. Porém, como ainda não havia assinado o contrato de trabalho aqui, um colega assinou como fiador, mas a imobiliaria acabou não aceitando ele como fiador. Tudo isso esta semana. Então, como já tenho agora o contrato de trabalho assinado, não preciso mais de fiador e quero pegar logo este contrato de aluguel.
  • Comprei móveis na Ikea, a loja mais badalada aqui do Canadá. Foi muito legal e eles são muito organizados. Creio que vou fazer um post exclusivo sobre eles. Depois, de noite, fiquei montando tudo com um manualzinho que vem junto. Não tem erro! É impressionante...
  • E finalmente, quanto ao trabalho, recomecei a trabalhar aqui no Canadá esta semana. Vou pegar projetos de BI. O horário é interessante: você chega entre 08h30 e 09h30, e sai entre 04h30 e 05h00 (já é noite escura). Se tiver coisa pra entregar, pode espichar um pouco mais. Porém, ninguém almoça. No máximo, param 5 a 10 min para comer algo que trouxeram de casa. Senta todo mundo na sala de reunião e comem juntos. O salário é pago a cada 15 dias. Ainda não sei o que será descontado em termos de imposto e outras deduções. Depois digo...
  • A rotina é essa: acordo às 7h todo dia, saio 8h34, para pegar o ônibus 168 de 08h36, chego no serviço perto das 9h, na estação McGill. Saio às 5h, desço até o shopping, que fica do lado do metrô, janto, ligo o micro e conecto Wireless na praça de alimentação, falo com a Cris e as crianças (no Brasil são 08h30, 9h da noite), pego o metrô para a estação Lionel Groulx, desço, pego o 191 para a Rue Notre Dame, tenho aula de francês até às 9h30, chego em casa ás 10h30, vejo os e-mails, escrevo no blog, durmo... Às vezes, acordo mais cedo para correr.

E seguimos com passos firmes de quem sabe onde quer chegar!!! Falta pouco para a Cris e as crianças e o gordo estarem aqui! Estou louco de saudades.... Ainda não fiz turismo aqui no Canadá, mas o que era novo já vai lentamente virando a vida cotidiana...

Abração e a Paz

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Novo Apartamento em Montréal

Olá, Pessoal

Ainda estamos sem Internet, por isso, tá difícil de me dedicar ao blog. Mas já aluguei um apartamento aqui em Montréal, pela imobiliária Structures Metropolitaines. O ap fica na Ile des Soeurs, um lugar bem legal. Antes de entrar, passamos um dia limpando. Contratei uma menina da Igreja, que precisava de grana, e ela me ajudou. Na hora do almoço, comemos uma pizza que parecia uma borracha, mas foi legal.

Bem, seguem fotos aqui no blog, da limpeza inicial, e também de uma manhã de sol da sacada. Seguimos com passos firmes de quem sabe onde quer chegar.



Abração a todos e a Paz.

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Respostas aos questinamentos nos post's

Olá gente,

Hoje quero pedir a vocês um favor que irá facilitar nossas vidas e de todos que nos contatam fazendo as mais diversas perguntas (as quais respondo com prazer) referentes aos assuntos dos post's. Peço a todos que desejam tirar dúvidas, por favor, enviem um contato para que possamos retornar, porque na maioria das vezes não aparece o e-mail do remetente que deixa mensagens para nós.
Hoje recebi uma dúvida da Lucy sobre kennel para levar gatos na cabine do avião. Sei de um lugar para indicar onde poderá ser adquirido o Kennel com as especificações exigidas pela TAM, então peço a gentileza da Lucy enviar um e-mail em pvt para que eu possa ajudá-la.
Fica aí gente a dica: quem desejar retorno envie-nos o endereço de e-mail ou então nos encaminhe um e-mail em pvt. Dessa forma podemos ajudar outras pessoas a seguirem seus caminhos, sempre com passos firmes de quem sabe onde quer chegar....

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Sentimento de quem fica

Há dias estou ensaiando para escrever este post. Desde que o Igor foi embora. Porém a vida vai ficando mais louca ainda, e eu não tenho tido ânimo de escrever e dar conta de contar todas as coisas que sinto. Confesso que a ficha caiu mesmo com a partida do Igor.
Acordo durante as noites a me vem a mente: Meu Deus, que loucura, porque estou fazendo tudo isso? Ao mesmo tempo sinto uma convicção que temos que viver tudo isso, que há algo bom que iremos viver no Canadá. Com a iminência da partida, tenho sentido um grande amor pela minha Nação. Tenho olhado para nosso povo com mais amor, reconhecendo como é bom conviver com brasileiros. Isso me trás a certeza de que pertenço a este país, isso nunca vai mudar.
Não sei dizer se é pior para quem vai ou para quem fica. Como parte do planejamento o Igor foi na frente para preparar tudo para que eu chegasse com as crianças com pelo menos uma casa para morarmos.
Depois que o Igor partiu vivemos na expectativa de saber o que está acontecendo por lá. Deixo o Skype ligado o dia todo, sempre esperando notícias. Enquanto isso vou seguindo com o plano que restou para mim: desmontar toda a casa, finalizar um milhão de coisas que ainda tem para fazer, vender o carro, pintar a casa, fechar o contrato com a imobiliária, doar, vender e dar fim a tudo que não vou levar, terminar meu curso de gradução, fazer TCC, ai meu Deus.....ainda tenho que me livrar do condomínio, que ainda sou síndica e preciso terminar uma obras para entregar tudo certinho, eheheh. Gente, vamos combinar, isso não é nada fácil, acho que é a pior parte (além das despedidas), sem dúvida nenhuma. Decidi neste final de semana que vou parar com o inglês, chega, tenho que passar as tardes finalizando tudo que tenho para fazer, além de fazer os exames médicos que me comproti com minha Gineco, tenho que fazer fisioterapia para me recuperar de dores na coluna, então preciso de tempo para dar fim em tudo e embarcar dia 6 de dezembro (dia do meu aniversário, eheheh)
O Igor já alugou a nossa casa, confesso que não foi uma tarefa fácil aceitar o local que ele escolheu. Sempre tive na minha cabeça que queria morar perto do centro, com todas as facildiades a mão. O Igor saiu daqui convencido em morar onde escolhemos juntos ainda no Brasil. Chegando lá, ele hospedou-se na casa de nossos amigos e encantou-se com o lugar. Não preciso dizer mais nada, ele acabou me convencendo de que seria melhor inciarmos nossa vida naquele bairro. Ele disse que o local é como um grande condomínio vertical no Brasil e comparou que seria como viver dentro do Jardim Botânico de Curitiba, porém com dimensão ampliada. O que eu poderia dizer? Pensei: ele está lá, vendo tudo, sentindo tudo, a mim resta apenas confiar que ele sabe do que gostamos e buscará o melhor. Assim foi. Igor conseguiu um ap com contrato de 7 meses, próximo dos nossos amigos, que poderão me dar um apoio quando chegar com as criança. Já se mudou e está morando no ap. desde a sexta passada. Devagarinho tudo vai se ajeitando, e nossa vida vai se construindo por lá.
De tudo que tenho vivido nestes últimos dias a conclusão que chego é: imigrar não é para qualquer um, é preciso ter um grande espírito de aventura, não possuir nenhum tipo de apego, ter muita, muita coragem e sobretudo muita fé.
E diante de toda essa agitação vamos seguindo em frente com passos firmes de quem sabe onde quer chegar, sinto que estamos cada vez mais perto do destino Canadá, chegando lá novos desafios nos farão seguir com passos firmes....com a Graça de Deus.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Primeiro Dia em Montréal

Bom dia!

Seguindo a série "postagens com uma semana de atraso", seguem as novidades do primeiro dia de vida em nosso novo lar:

Estou hospedado na casa de amigos, que gentilmente me cederam o quarto do bebê. No primeiro dia, acordei com calor, pois os aquecedores (chauffage) do apartamento são bastante eficientes, e a gente fica realmente suando... Lá fora estava muito frio, mas o dia amanheceu com céu limpo, sem nuvens, então, resolvi sair para uma corridinha. Foi uma grata surpresa... O lugar onde estamos aqui é muito bonito, e tem pistas de corrida em meio a bosques de maple, tudo amarelinho e vermelho. Muitos esquilos correndo pela floresta. O cara aqui ficou impressionado... Bem, posso dizer que a primeira impressão foi "romântica".

Depois da corrida, fui para o centro fazer a primeira coisa que todo o imigrante deve fazer: o Social Insurance Number (SIN), ou Numéro d'Assurance Social (NAS). É uma espécie de CPF, que lhe dá direito a um monte de coisas. E para trabalhar, os recrutadores costumam pedir o primeiro número do NAS para saber o seu status como imigrante. O número "9" não é bem visto aqui, pois é visto temporário, ou seja, você pode ser um refugiado, e tem muito disso aqui. O meu número - confidencial - começa com "3" - residente permanente. Para fazer o NAS, bastou eu ir no Service Canada. Tem vários escritórios espalhados pela cidade. Eu fui no centre-ville (200 Blvd René Levesque ouest). Fui atendido prontamente, sem filas, e em menos de 10 minutos já estava com o NAS. Não perguntaram nada do CSQ.

Então, mais uma novidade: aqui as grandes ruas e avenidas possuem o título de "Est" e "Ouest", e para quem não está acostumado, isso pode ser um desperdício de tempo. Então, caminhei até o número 200 da René Levesque para descobrir que ele não existia, porque eu estava indo na direção "Est". Tive que voltar até o zero e começar tudo de novo na direção "Ouest"...

A primeira impressão foi a do transporte público. Aqui, você paga por tempo de uso, e não por viagem. Então, custa $2,75 por 2h de transporte. Neste período, você pode usar o que quiser: ônibus (autobus), metrô (metro), e acho que até o trem (train de banlieue). Então, já comprei um cartão para 1 semana, que me saiu $18. Por este preço, ando quantas vezes quiser durante a semana toda. Quando já estivermos com a rotina por aqui, também posso comprar o passe mensal, que custa $70 e vale do primeiro ao último dia do mês.

No centre-ville, muitas obras. Parece que a cidade inteira está em reforma. Os prédios são muito antigos (exceto os do governo, que são novos), e em cada esquina existe um lugar para alugar bicicletas e existem ciclo-faixas (pequenas ruelas sinalizadas onde só andam bicicletas) por todas as ruas. Você passa o cartão de crédito e por $5 você anda meia-hora. Isso é caro, mas se você comprar um cartão para toda a temporada (março a novembro), custa só $78. Você pode alugar só por meia-hora também, mas um colega aqui de Montréal disse que você deixa a bici em outro quiosque antes que complete-se a meia-hora e pega outra. Enfim, este transporte não é para passear. É para se deslocar rapidamente no centre-ville e outros lugares de Montréal. Sempre ao lado das estações de metro tem um quiosque de bicicleta.

A segunda atividade do dia foi me inscrever no sistema público de saúde (Régie d'Assurance Maladie). Lá a gente passa por uma rápida triagem, então, recebe uma senha e fica aguardando. Eles nos chamam e a gente vai para o guichê ser atendido. A mulher pediu o CPR (segunda-via do comprovante de residente permanente, que entregam no aeroporto) e o passaporte. Pediu também o CSQ (lá vem o golpe.... pensei). Então, falei: não tenho! E ela disse "tudo bem. Vou colocar aqui que você não tem". E precisava também do comprovante de endereço. Como ainda não tenho endereço, ela disse que este documento ficou pendente e que eu precisaria enviar um fax posteriormente para eles com uma declaração solene autenticada, com o meu hospedeiro aqui de Montréal dizendo que eu realmente resido com eles. Aqui é mais fácil, pois bancos, repartições públicas, universidades, delegacias de polícia, muitas repartições que têm fé pública podem ser usadas para autenticar assinaturas. Então, o meu hospedeiro foi depois comigo ao banco e assinou na frente do atendente. Este, por sua vez, assinou também e colocou o carimbo. Daí, enviei mais tarde por fax para eles. Espero que esteja tudo certo. O cartão de Assurance Maladie leva 3 meses para chegar.

E assim, houve uma tarde, uma manhã, primeiro dia... E seguimos com passos firmes de quem sabe onde quer chegar!!!

Abração e a Paz

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

De Toronto a Montréal

Olá, Pessoal
Estou bem atrasado com as postagens, pois não consegui ainda parar 1 minuto desde que cheguei aqui. Estou resolvendo muitas coisas, mas vou contar tudo direitinho à medida que for dando tempo. Este post agora trata do restante da viagem, de Toronto até Montréal.
Fui tomar um café da manhã no Tim Hortons, e, mesmo sabendo falar inglês, não sabia o que pedir para o café. E uma fila de gente atrás de mim e eu ali parado. Então, tentei pedir o que achei mais familiar, um sanduíche e café. Aí, a atendente fez a primeira pergunta: qual o tipo do pão? Como vou saber isso? Então, apontei para um pão integral --> "Aquele alí, ó!" e veio um sanduíche que era formado por duas roscas tipo donuts que exerciam a função de pão. Entre elas, um omelete cortado redondinho, 3 fatias de bacon e molho apimentado. Veio também uma outra "coisa" que parecia feita com a massa de crépe, mas era em um formato de disco fininho. E um café sem açúcar. Então, fui atrás de açúcar, consegui, e tomei o café. 1 minuto depois, a moça da imigração, que havia feito o meu landing, veio tomar café na mesa atrás de mim. Quando vi ela chegando, pensei que ela ia me levar de volta para acertar alguma coisa, que medo!! Mas tomei o café e saí rapidinho, ehehe.
Então, subi para a sala de embarque. O pessoal da TAM em Curitiba havia me orientado a validar todos os cartões de embarque na Air Canada. Então, fui para o Check-In da Air Canada, no setor "B" do Check-In. A Air Canada tem um setor só para quem está indo para os EUA, e outros para o restante. E fui perguntar para a atendente sobre a confirmação, mas ela me disse que não estava me entendendo e perguntou se eu falava português. E me confirmou em português que não precisava fazer nada. Só ir para a sala de embarque. Fiquei meio triste por não ter me feito entender, e fui embora. Para se ter uma idéia do tamanho do aeroporto, o meu portão de embarque era o 120. Porém, havia vôos nos portôes 540, 570... Em Curitiba, temos 8 portões, e em Guarulhos, que eu achava gigante, tem 27 portões.
Então, fui para o Raio-X de novo, com a mala de ternos e a mochila do notebook - o notebook SEMPRE tem que ser passado fora da mochila. Passou tudo no raio-x e 2 indianos estavam atendendo no outro lado. Sem me perguntar nada, eles abriram as malas e começaram a fuçar em tudo, enfiar detector de metais, e ficaram com alguns artigos de higiene pessoal líquidos que tinham mais de 100ml. E eu fiquei com um monte de malas abertas e roupas para guardar... E eles, "próximo.."
Chegando ao portão de embarque, eram 08h30 da manhã, e meu vôo era às 12h10. Então, fui botar as fofocas em dia, pois o aeroporto inteiro tem internet grátis da Rogers. Porém, estava sem bateria, e, quando fui carregar, lembrei que havia esquecido de trazer adaptador de tomada, pois as tomadas aqui são todas de pinos retos, e meu pino era redondo. E ainda havia pedido conselhos a vários grupos de internet e haviam me avisado disso, mas mesmo assim, o manezão aqui esqueceu, ehehehe. $ 7,99 tax included.
Então, embarcamos e a sensação era de expectativa. O lago Ontario aparece lindo logo na decolagem. O dia está ensolarado e com nuvens. E mais adiante, podemos ver na outra margem, os Estados Unidos. Então, o tempo fechou e não deu para ver mais nada do chão. 1h depois, o avião descendo, aparece Montréal... meu novo lar, visto pela primeira vez. O tempo está nublado e chovendo muito, a cidade aparece toda envolta em árvores amarelas e vermelhas, é completamente plana, exceto pelo Mont Royal e sua cúpula, que posso facilmente identificar do avião. É como se o mapa do Google, que tantas vezes usamos para ver casas, aparece de verdade, em nossa frente. Consigo ver as Autoroutes, a Av. Sherbrooke, Laval, o Canal Lachine, o Centre-Ville, a Ile des Soeurs, Brossard, o estádio olímpico, então, o avião faz a curva e pousa pelo oeste. Tudo tranquilo. Já peguei as malas, e não paguei nada pelo carrinho, que posso levar lá para fora. Logo os meus amigos que vão me hospedar aqui em Montréal chegam e a alegria é muito grande... Pela recepção calorosa que recebi, já saquei imediatamente que não dá pra ficar parado. Tenho que resolver tudo logo por aqui.
Então, depois de quase 3 anos de blog, aqui estou, pisando em Montréal. Agora, é uma nova história, um novo começo. Entrego tudo nas mãos de Deus. E seguimos confiantes, com passos canadenses firmes de quem sabe onde quer chegar!
Abração e a Paz

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Cheguei no Canadá!!!

Olá, Povo de Deus!

Peço desculpas aos puristas, mas este relato será cronológico, desde que eu saí de Curitiba até o momento em que estou agora, 7h35am no aeroporto de Toronto:

16h09 - Acabei de entrar no avião. Está um dia lindo de sol. A despedida foi uma sensação estranha, de estar no aeroporto e não estar trabalhando. Me despedi de todos e percebi que agora estava completamente por minha conta. Se eu não me mexer, não vai! Fiquei na última fila (aquela que não reclina e que o espaço pras pernas é curto...) mas nem deu pra notar...

16h24 - O embarque está demorando... a sensação é de um meio-termo entre lá e aqui. Muita vontade de sair correndo pra fora do avião. Todas as pessoas de quem me despedi passam pela minha cabeça. Que loucura!!!

16h25 - "Tripulação, portas em automático"

16h29 - O avião se move... não tem mais volta. Vejo as janelas do mirante do aeroporto e sei que minha família está lá me olhando... Quero abraçá-los! Frase do dia de novo na minha cabeça: "de onde eu fui tirar uma maluquice dessas!!!"

16h37 - "Tripulação, decolagem autorizada" É fácil dizer que se vai ao Canadá, é fácil planejar tudo, mas agora, não há mais planejamento... tem que fazer acontecer. A última oração antes da decolagem e vamos! E um presente! O pico Olimpo, do Marumbi, passa bem pertinho, e ao fundo, o Anhangava e o Pico do Paraná. Obrigado, Senhor!!! Será que estou preparado para isso? Resto da viagem... Lágrimas e copos de água.

17h20 - Pouso em GRU. Uma nuvem de poeira cobre SP. O avião da Air Canada, que tantas vezes vi em minhas viagens de trabalho, estava lá parado. "É hoje que vou entrar nesse avião...", agora é pra valer, não vou mais pegar avião pra casa... Opa, mas onde é minha casa mesmo?

18h30 - Saio do desembarque direto pro Check-In da Air Canada em GRU (Terminal 2, Asa D, lá no final do aeroporto). Em Curitiba, as bagagens são enviadas direto para Toronto, mas é necessário confirmar o Check-In de novo em GRU no guichê da Air Canada. A fila é enorme. Conheço a primeira personagem da história, uma senhora chamada Francine. Ela comenta que a vida é tranquila em Montréal e que será fácil para mim, pois, como sou brasileiro, sou muito extrovertido, e as pessoas de lá gostam disso (os caras devem estar precisando se divertir pra caramba, pois sou um tapado...). Ela mora em Laval.

18h35 - Check-In: não perguntaram nada das bagagens de mão (despachei 2 malas grandes e levei a mochila do computador e a mala de ternos na mão). Perguntaram só se eu estava levando armas, animais, plantas e se os líquidos estavam embalados em plástico transparente. Quando o cara do Check-In viu o visto, perguntou pelo documento CPR (aquele formulário que a gente recebe com os vistos que tem as fotos coladas). Entreguei, o cara só conferiu e fez o check-in. Apesar do horário de embarque ser 20h00, ele recomendou que eu estivesse na sala de embarque às 19h30, para evitar a fila de emigração do embarque internacional, que depois desse horário fica enorme, e corre-se o risco de perder o avião.

18h40 - Corro o aeroporto inteiro atrás de trocados em dólar canadense. Consegui somente trocar uma nota de $100 por 2 de $50. Eu achava que seria necessário levar trocados por causa do carrinho de malas, que custa $2. Mas não precisa trocar não.... Então, corto o cabelo, compro um cartão de internet de 2h da Telefônica (R$ 18,00) e como um McDonalds. E vou para o embarque.

19h15 - Na emigração, logo depois do Raio-x, apresento o passaporte, ele é só olhado e tchau! Então, chego ao portão 24, para embarcar. Todo mundo já está lá, mas tem um avião da Lufthansa ainda encostado.

19h30 - Falo com minha família no Skype e posto uma mensagem no blog. Que saudade...! E vem o tratorzinho puxando o avião da Air Canada... Meu, tá chegando a hora!!! E tá acabando a bateria do notebook. Acho uma tomada e sento no chão. Aparece uma americana de NY chamada Audrey, que quer carregar o celular, e batemos um papinho. Ela também fica impressionada sobre como os brasileiros são extrovertidos... Quero ver quando eles conhecerem minha mulher!!!

20h30 - Começa o embarque. Tenho que desligar o Skype e estou muito ansioso, pois foi meu último contato com a família antes da imigração. Falei novamente com a Francine e ela me deu uma moeda de $2, gentilmente. Entramos no avião, que é muito confortável, tem tomada e entrada USB em todos os assentos, dezenas de filmes, música, etc. Carreguei toda a bateria do celular e do note durante a viagem. Mas não consegui aprender como faz pra tocar as músicas do MP3 conectado. Então, chegou a Patrícia de Brasília, que sentou ao meu lado e também é imigrante, e também vai para Montréal!!! Que legal!!! Coincidência, não?

21h10 - Decolamos pontualmente. Já serviram a janta e deram um formulário de declaração de valores, que precisará ser entregue na chegada ao Canadá, mas os comissários de bordo atendem em Português, Inglês, Francês e Espanhol e ajudam a preencher o formulário. Sem problemas. Depois da janta, um vinhozinho e dor de cabeça. E o vôo segue, com muita turbulência e sempre com nuvens abaixo. Não consigo dormir de tanta ansiedade... O ar condicionado do avião deixa a respiração difícil e frequentemente temos de tomar água, que é oferecida de hora em hora.

04h48 - Finalmente, consegui dormir e as tias aparecem com o café da manhã. Um quiche ou ovos mexidos. Terrível... Vamos pousar em 15min. Muita ansiedade!!!

05h15 - Pousamos em Toronto. Muito frio na ponte de embarque, mas nada que assuste um curitibano. Seguimos direto à esquerda pela escada rolante, para a aduana (customs). Eles pedem só o passaporte e o documento de valores preenchido no avião. Perguntas: "Vai pra onde?" Montréal. "Quanta grana tá trazendo?". "Vai trazer alguma coisa depois ou tá tudo contigo?". Então, saindo da aduana, seguimos diretamente para a imigração... Que meda!!!!

05h45 - Imigração: a atendente, muito simpática, pega o passaporte, olha o visto, e pede o CPR. Entrego, ela tica a caneta os dados do CPR com os do passaporte. Me pergunta: "Os outros membros de sua família virão depois?" Sim. Então, me pergunta: "Quanto dinheiro está trazendo?", e "Tem outros bens que virão depois, ou está trazendo tudo?". Tudo. Então, me pede o endereço para envio do PR Card. E dou o endereço de Montréal... pára tudo.... Ela olha o CPR e a cidade está Vancouver. Então, ela pergunta: "você mudou de cidade? Porquê?". Falei que havia mais oportunidades de emprego em Montréal. Ela vai até o fundo do balcão e conversa com um outro atendente: "Ei, para a província de Québec, precisa informar o 'tal' do CSQ, né?" o outro cara responde: "Sim. sem o CSQ, ele não entra". Ele vira pra mim e diz: "Sem o CSQ, você não entra". Todos os meus pesadelos estavam se tornando realidade....

05h55 - Então, eu falei: "Olha, eu fui orientado por um funcionário do consulado do Canadá no Brasil que não haveria problema, mas se quiser, tenho até um endereço em Toronto..." Ela disse: "Não sei porque o pessoal do governo faz assim. Olha, se eu informar a província de Québec no sistema, o campo do CSQ fica obrigatório..."....

06h00 - Milagrosamente, ela falou: "mas deixa eu tentar aqui..." todas as formas de solução para ficar em Toronto começaram também a passar em minha cabeça... Lembrei de outro colega que passou por algo parecido e até postou em um blog. De repente, ela diz: "Ah, passou! Tá pronto". E fiquei esperando ela dizer: "Welcome to Canada!", e ela disse: "It's Over... Next!!!!"

06h30 - Saímos da imigração e eu comecei a chorar. A Patrícia não percebeu que eu estava pagando um king-kong, mas não consegui guentar. Então, fomos para a esteira de bagagens pegar nossas bagagens e levar para a esteira de Montréal. Pegamos o carrinho de $2. Tem uma tia que troca o dinheiro, então, não precisa levar trocado. Ela fica do lado dos carrinhos. E o carrinho só anda se você apertar a manopla dele para baixo. Eu ficava reclamando que o carrinho não andava, até que a Patrícia veio e disse: "aperta aqui, ó..." (manezão)... Então, passamos pelos policiais novamente, agora com todas as bagagens, entregamos o cartão que nos foi dado no avião, e novamente, 3 perguntas: "você está imigrando hoje?", "quanto dinheiro está trazendo?", "tem outros bens que vão vir depois?" e fomos para a esteira de Montréal. Para colocar a mala na esteira, tem que mostrar o cartão de embarque e a mala é você mesmo que coloca. Tem que colocar de cabeça pra baixo (upside down), ou seja, com as costas da mala pra cima. Então, livre para o aeroporto de Toronto!!!

06h40 - Me despedi da Patrícia, que já partiu para Montréal, e saí para o aeroporto, já que meu vôo é às 12h00 (isso foi um exagero). O cara que cuida da trilha sonora parece que me conhecia, porque só as músicas que eu gosto estão tocando nos alto-falantes. Tudo limpo, vazio... Fui até a rua... Noite escura e bastante frio, mas nada que assuste um curitibano. E internet grátis no aeroporto inteiro. É só conectar a rede da Rogers (Pearson Wi-Fi), abrir qualquer site e seguir as instruções.

Bem, agora, aqui é meu novo lar. Vamos seguir com o resto do plano!!! Sempre com passos firmes de quem sabe onde quer chegar! Agora, vou no Tim Horton's tomar um café, que também sou filho de Deus...

Abração e a Paz

Tome Posse Dessa Bênção!!!

Olá, Povo de Deus

Finalmente, 20 de Outubro! Chegou o momento do embarque para o Canadá... Peguei o vôo da TAM de Curitiba para GRU 16h37 e depois farei as conexões para Toronto e Montréal... Foi um dos momentos mais emocionantes da minha vida... Nossa!!! Foi uma choradeira no aeroporto. Agora, só de escrever isso, já choro!! Nosso casal de amigos queridos do Cursilho estava lá para nos dar tchau e também meus irmãos apareceram!!! Foi muito emocionante. E de todas as coisas das quais a gente tem que se desapegar - bens materiais, casa, carro, emprego - nada é tão difícil quanto as pessoas. Gente... Depois que eu entrei na sala de embarque, e passei pelo Raio-X, eu queria voltar correndo para todos e não ir. Mas é uma sensação muito estranha, que eu nunca tinha sentido: não tem volta... Se você não fizer acontecer, agora, neste momento, não vai acontecer... E virei as costas e caminhei para a sala de embarque rapidamente, chorando e soluçando como uma criança... Entrei no avião chorando, sentei na poltrona chorando, e fiquei a viagem inteira chorando e tomando água até SP....

Meu, e a Cris e as crianças... Quero dizer-lhes: "tenham força, pois está tudo dando certo e no futuro vocês serão orgulhosos disso que estamos fazendo", mas as crianças choraram muito também enfim... A Cris me abraçou e leu meu pensamento, que dizia "porquê estamos fazendo isso?", e ela disse "vamos tomar posse dessa bênção" e essas palavras nunca mais vão sair do meu coração (não consigo parar de chorar enquanto escrevo!!!). Então, eu digo: estou muito fortalecido com o apoio de minha família, e também sinto que estou caminhando nos passos de Deus, o que me dá muita segurança.
Eu acabei ficando meio vacinado com as despedidas, porque neste último mês foram muitas despedidas. Muitas pessoas foram dizendo tchau e cada uma é uma pergunta: "porquê estou fazendo isso?" Não sei exatamente a resposta, mas sei que no futuro, saberemos. Sei que Deus tem algo preparado, e a única oração que faço é: que eu possa compreender esta vontace e lhe seja dócil. Sei lá o que vai acontecer, mas eu quero fazer acontecer!
Uma despedida típica... E os passos do raio-x até a sala de embarque foram os passos mais firmes de quem sabe onde quer chegar que dei até hoje...

Abração e a Paz

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Despedida do Povo do Cursilho!!!

Olá, Pessoal!!!

Mais uma da série "despedidas"... Desta vez, foram os nossos amigos do Movimento de Cursilhos de Cristandade. Todos os nossos amigos mandaram e-mails, dizendo que se tratava de uma Novena de Natal, e quando chegamos, que surpresa!!! Era uma festa de despedida! Foi um presente muito carinhoso para todos nós, e eles até apresentaram um vídeo com as fotos de momentos que passamos juntos... Foi uma choradeira só! E todos falaram um pouquinho sobre alguma experiência legal que viveram conosco. Ficamos muito emocionados, pois percebemos que qualquer coisa que para nós parecia pequena virava um grande ensinamento na vida de alguém. E agradecemos a Deus então por este momento. Vamos tentar converter o vídeo para um formato compatível com o Blogspot (atualmente, é um PPT) e colocaremos mais tarde...

Depois dos comes e bebes, mais pessoas queriam falar e acabou que todos falaram, e cantamos, e alguns até fizeram planos para nos visitar, enfim... mas a gente vai sentir muita falta. Muita falta mesmo. Da nossa parte, o único sentimento que existe é "gratidão". Isto quer dizer: reconhecemos que nunca vamos conseguir pagar o que eles nos fizeram durante essa nossa vida de amizade, e por isso, nos desapegamos alegremente da obrigação de retribuir, pois sabemos que não poderemos nunca pagar.

Em Montréal, vamos procurar estar também com o Movimento de Cursilhos, pois queremos seguir o mesmo carisma, e também trocar experiências de como as coisas são feitas no Canadá e no Brasil. Já sabemos que existe Cursilho em Montréal e queremos nos unir também a eles. Mas sabemos que "os cristãos nunca se despedem", como dizemos no Cursilho. Isso quer dizer que, sempre que estamos em oração, estaremos juntos! E já temos também cursilhistas brasileiros nos esperando em Montréal, o que é uma bênção... Que seja feita a vontade do Pai.

E seguimos com passos firmes, de quem sabe onde quer chegar!

Abração e a Paz

As Melhores Escolas de Québec

Olá, Pessoal

Estamos pesquisando um lugar para morar e encontramos um ranking das melhores escolhas da província de Québec, que na verdade nos foi enviado por um colega de trabalho. Posteriormente, vi que esta tabela faz parte de uma pesquisa do Institut Économique de Montréal. Está atualizada até o ano de 2007.

Clique aqui para abrir a pesquisa. O ranking está na página 29.

Sabemos que se morarmos perto de uma escola, temos boas chances de que nossos filhos sejam indicados a estudar nesta escola, mas existe a dependência de vagas e outros critérios, mas a idéia é morarmos perto das escolas. Então, a gente toma o nome da escola, pesquisa na Internet o endereço e busca lodgements perto deste endereço. Ah! E tem que prestar atenção também à Comission Scolaire à qual a escola pertence!!! Dá pra saber muita informação nos sites das CS.

Comission Scolaire de Montréal
Comission Scolaire Marguerite-Bourgeoys
Comission Scolaire Leaster B. Pearson

Por isso, estamos tentando nos instalar perto das melhores escolas, mas é dureza... Parece que todos os apartamentos já estão alugados... Mas vamos tentando, com passos firmes de quem sabe onde quer chegar.

Abração e a Paz