segunda-feira, 25 de outubro de 2010

De Toronto a Montréal

Olá, Pessoal
Estou bem atrasado com as postagens, pois não consegui ainda parar 1 minuto desde que cheguei aqui. Estou resolvendo muitas coisas, mas vou contar tudo direitinho à medida que for dando tempo. Este post agora trata do restante da viagem, de Toronto até Montréal.
Fui tomar um café da manhã no Tim Hortons, e, mesmo sabendo falar inglês, não sabia o que pedir para o café. E uma fila de gente atrás de mim e eu ali parado. Então, tentei pedir o que achei mais familiar, um sanduíche e café. Aí, a atendente fez a primeira pergunta: qual o tipo do pão? Como vou saber isso? Então, apontei para um pão integral --> "Aquele alí, ó!" e veio um sanduíche que era formado por duas roscas tipo donuts que exerciam a função de pão. Entre elas, um omelete cortado redondinho, 3 fatias de bacon e molho apimentado. Veio também uma outra "coisa" que parecia feita com a massa de crépe, mas era em um formato de disco fininho. E um café sem açúcar. Então, fui atrás de açúcar, consegui, e tomei o café. 1 minuto depois, a moça da imigração, que havia feito o meu landing, veio tomar café na mesa atrás de mim. Quando vi ela chegando, pensei que ela ia me levar de volta para acertar alguma coisa, que medo!! Mas tomei o café e saí rapidinho, ehehe.
Então, subi para a sala de embarque. O pessoal da TAM em Curitiba havia me orientado a validar todos os cartões de embarque na Air Canada. Então, fui para o Check-In da Air Canada, no setor "B" do Check-In. A Air Canada tem um setor só para quem está indo para os EUA, e outros para o restante. E fui perguntar para a atendente sobre a confirmação, mas ela me disse que não estava me entendendo e perguntou se eu falava português. E me confirmou em português que não precisava fazer nada. Só ir para a sala de embarque. Fiquei meio triste por não ter me feito entender, e fui embora. Para se ter uma idéia do tamanho do aeroporto, o meu portão de embarque era o 120. Porém, havia vôos nos portôes 540, 570... Em Curitiba, temos 8 portões, e em Guarulhos, que eu achava gigante, tem 27 portões.
Então, fui para o Raio-X de novo, com a mala de ternos e a mochila do notebook - o notebook SEMPRE tem que ser passado fora da mochila. Passou tudo no raio-x e 2 indianos estavam atendendo no outro lado. Sem me perguntar nada, eles abriram as malas e começaram a fuçar em tudo, enfiar detector de metais, e ficaram com alguns artigos de higiene pessoal líquidos que tinham mais de 100ml. E eu fiquei com um monte de malas abertas e roupas para guardar... E eles, "próximo.."
Chegando ao portão de embarque, eram 08h30 da manhã, e meu vôo era às 12h10. Então, fui botar as fofocas em dia, pois o aeroporto inteiro tem internet grátis da Rogers. Porém, estava sem bateria, e, quando fui carregar, lembrei que havia esquecido de trazer adaptador de tomada, pois as tomadas aqui são todas de pinos retos, e meu pino era redondo. E ainda havia pedido conselhos a vários grupos de internet e haviam me avisado disso, mas mesmo assim, o manezão aqui esqueceu, ehehehe. $ 7,99 tax included.
Então, embarcamos e a sensação era de expectativa. O lago Ontario aparece lindo logo na decolagem. O dia está ensolarado e com nuvens. E mais adiante, podemos ver na outra margem, os Estados Unidos. Então, o tempo fechou e não deu para ver mais nada do chão. 1h depois, o avião descendo, aparece Montréal... meu novo lar, visto pela primeira vez. O tempo está nublado e chovendo muito, a cidade aparece toda envolta em árvores amarelas e vermelhas, é completamente plana, exceto pelo Mont Royal e sua cúpula, que posso facilmente identificar do avião. É como se o mapa do Google, que tantas vezes usamos para ver casas, aparece de verdade, em nossa frente. Consigo ver as Autoroutes, a Av. Sherbrooke, Laval, o Canal Lachine, o Centre-Ville, a Ile des Soeurs, Brossard, o estádio olímpico, então, o avião faz a curva e pousa pelo oeste. Tudo tranquilo. Já peguei as malas, e não paguei nada pelo carrinho, que posso levar lá para fora. Logo os meus amigos que vão me hospedar aqui em Montréal chegam e a alegria é muito grande... Pela recepção calorosa que recebi, já saquei imediatamente que não dá pra ficar parado. Tenho que resolver tudo logo por aqui.
Então, depois de quase 3 anos de blog, aqui estou, pisando em Montréal. Agora, é uma nova história, um novo começo. Entrego tudo nas mãos de Deus. E seguimos confiantes, com passos canadenses firmes de quem sabe onde quer chegar!
Abração e a Paz

2 comentários:

Anônimo disse...

PUXA QUE LEGAL...
AGORA A VIDA REALMENTE VAI COMEÇAR A FICAR MAIS VIBRANTE!!!
IGOR A RESPEITO DE NÃO SE FAZER COMPREENDER EM INGLES, ISSO É NORMAL NOS PRIMEIROS DIAS...LOGO,LOGO VC ESTARÁ AFIADO NO INGLES E NO FRANCES!!!
BOA SORTE!!!

Diário Canada Brasil disse...

Que bom!
Sorte pra vc!

abraço,
diariocanadabrasil.blogspot.com