sábado, 4 de junho de 2011

Parque La Ronde

Seguindo a série de postagens: "Manias do Verão Montréalês", vamos agora falar sobre o parque La Ronde. Inaugurado em 1967, hoje é um dos parques com as mais altas e mais rápidas montanhas-russas da américa do norte. Para participar, como tudo aqui no Canadá, você compra passaportes para a temporada pela Internet. Um conjunto de 4 passaportes saia por CAD$ 200 (até 31 de março. Agora já tá CAD$ 70 cada um), e o ingresso individual na entrada do parque custa mais caro ainda.
Para chegar lá, pode-se pegar o metrô linha amarela e descer na estação do parque Jean-Drapeau. Então, toma-se o ônibus 167 de graça até o parque. O parque parece uma cidade, com diversas atrações e, em tudo quanto é lado, é possível ver as enormes montanhas-russas, incluindo a "Le Monstre", que é toda feita de madeira e só o barulho das tábuas batendo quando o carrinho passa já dá medo. Bem, temos que tomar coragem e ir, né? Afinal, pagamos para ter esse sofrimento...
Então, vem mais surpresas: em cada brinquedo, mesmo nos mais simples, existem no mínimo 3 pessoas, e cada uma delas verifica todos os cintos de segurança, todas as travas, o carrinho, enfim, parecem fazer um check-up de vários itens de segurança e então, depois que todos os fiscais levantam a mão em sinal de que está tudo ok, o operador do brinquedo (que é uma outra pessoa), bota a máquina em funcionamento. Realmente, a gente se sente muito seguro se comparado ao parque Tupã em Curitiba (ehehe), onde só tinha 1 operador que era também responsável pela segurança do brinquedo...
As crianças se divertiram muito a tarde inteira e andamos em vários brinquedos diferentes. Os filmes anexos e fotos mostram alguns deles. Um melhor que o outro. E novamente, a sensação de muita segurança. Tem também uma seção especial só com brinquedos para crianças menores, incluindo também brinquedos "radicaizinhos"... eheheh.
E vamos seguindo com passos firmes, de quem sabe onde quer chegar!
Abração e a Paz
Igor Schultz

video video video

Vamos Limpar a Ilha!

Há algumas semanas atrás, com a chegada da primavera, parece que toda a cidade começa a mudar completamente! A natureza começa a renascer, os animais aparecem, as pessoas saem para as ruas, todos sorriem, estão animados! É sensacional! Então, inspirados no clima, uma associação de escoteiros aqui em Ile des Soeurs e Verdun (onde moramos) promoveu um mutirão de limpeza, onde vários jovens e seus pais passaram a manhã de um sábado limpando várias áreas da ilha. Os ecológicos Matheus e Igor, obviamente, foram participar, ehehehe.... Foi também a oportunidade de passar um tempo de pai e filho!
Quando chegamos (bem atrasados) ao Centre Elgar, ganhamos camiseta do evento e o direito a um almoço. Então, não sabíamos o que fazer. A organizadora do evento falou: "podem entrar no grupo verde!". Então, fomos todos juntos para o grupo verde, que entrou em um ônibus e saiu pela ilha. Pensei que iríamos longe, mas no final acabamos limpando a orla norte da ilha (o lado da ilha onde é possível ver a Ilha de Montréal e Verdun). Outras 3 ou 4 equipes foram para outros pontos da ilha onde normalmente não há coleta de lixo (bosques, beira do rio, etc) Recebemos sacos de lixo transparentes para o reciclável e pretos para o lixo orgânico e cada um saía para um lado, catando tudo o que visse pela frente... A gente encheu vários sacos e ia deixando-os pelo caminho, de modo que um caminhão da coleta de lixo passasse para pegar no período da tarde.
No outro dia, saiu no jornal local a foto da turma trabalhando. Foi realmente uma experiência muito legal, que mostra que a organização local, como é feito aqui, funciona. A vida é muito concentrada na região. Cada região possui seu próprio centro comercial (melhor ou pior, mas possui), possui seu jornal local, que é muito divulgado, serviços, bancos, etc. Então, dá a impressão que o povo de cada "arrondissement" (municipalidade ou regional municipal) se organiza e se sente responsável pelo seu local.
E ficamos impressionados com a quantidade de coisas que catamos... O lugar não é tão limpo quanto parece, mas uma limpeza dessas por ano é suficiente, eheheh. Achamos um cone enorme de trânsito dentro d'água que fez o maior sucesso...
Então, é isso... vamos seguindo com passos firmes sobre terras limpas, de quem sabe onde quer chegar!
Abração e a Paz

Atenção! Achou-se....

Sabe, eu sempre procurava nos achados e perdidos no jornal, quando eu estava no Brasil, alguém dizendo: "achou-se algo. O dono favor procurar telefone tal". Nunca encontrei... Só tinha gente dizendo "foram perdidos documentos", "foi extraviada uma carteira", "foi perdido um animal", etc...

Esses dias, passando no ponto de ônibus do 12 no metrô LaSalle, olha só o cartaz: "Achou-se um cachorro"... O que será que o cara ficará fazendo com o cachorro até que alguém se manifeste dizendo que é seu o totó?

E vamos seguindo com passos cada vez mais impressionados de quem sabe onde quer chegar!

Abração e a Paz
Igor Schultz