domingo, 29 de dezembro de 2013

Glissade sur Tube!!! O Bóia-Cross dos Quebequenses

Olá, Gente!

Aqui estamos novamente para dar notícias sobre as férias de inverno. Como todos sabem, aqui no Canadá as férias longas são as de verão, em junho. No inverno, temos duas semanas para as festas de fim de ano. Assim, todo mundo aproveita para se divertir como pode. No sábado passado a temperatura chegou a inacreditáveis 2 graus positivos, o que quer dizer praia na certa para todo o povo da Belle Province. Assim, saímos para passear e fomos praticar um dos "esportes" de inverno preferidos do povo local: a glissade sur tube, ou, como chamamos no Paraná, o "boia-cross". Só que ao invés do rio Nhundiaquara, a boia vai deslizando no gelo.

Neste final de semana, visitamos um lugar chamado Glissades au Pays d'en Haut, que tem vários tobogãs para diversos gostos. O ingresso para um dia vale 27 dólares e o lugar tem uma boa infra-estrutura: sala para refeições aquecida, restaurante/lanchonete, tire-sur-neige (espécie de picolé de sirop d'érable feito na hora, pois eles pingam o xarope na neve e ele congela) e uma lareira ao ar livre pro caboclo aquecer os pays-bas depois de passar uma hora sentado em uma boia com um buraco no meio... Muito legal mesmo!
Confiram as fotos e vídeos.

video

sábado, 30 de novembro de 2013

Pra Quem Gosta de Chocolate...

Oi Pessoal!

Vejam só o que achamos hoje no Costco... sem comentários... Mas aqui em casa a gente não come não, viu?


5kg de Nutella

Abração e a Paz
Igor Schultz

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Aprovado Acordo Previdenciário Brasil - Canadá

Olá Pessoal!

Foi aprovado na semana passada o acordo previdenciário entre o Brasil e o Canadá, que estava tramitando já faz um tempinho. Este acordo, em resumo, permite que os trabalhadores de um país contem o tempo de serviço para aposentadoria já acumulado em um outro. Assim, nós imigrantes (teoricamente), poderemos continuar trabalhando no Canadá e utilisar as horas acumuladas no Brasil para nos aposentarmos. O acordo no entanto deixa margem para diversas questões, entre as quais algumas que coloco aqui em baixo:
  1. O governo do lado de cá já aprovou também este acordo? Pesquisei mas ainda não encontrei a resposta, mas alguns colegas na Web dizem que já foi aprovado sim.
  2. Este acordo foi aprovado entre o Brasil e o Canadá. No entanto, existe um outro acordo entre o Brasil e o Québec, que tem autonomia política, que estava tramitando. Será que este acordo contempla as duas esferas?
  3. Um terceiro ponto sobre o qual também gostaria de ver alguns comentários é que o acordo prevê que a aposentadoria será contada de acordo com o país ao qual estamos submetidos à legislação. Se não comunicarmos por exemplo a saìda definitiva do Brasil à RF, será que ficaremos sujeitos à legislação do Brasil aos olhos deste acordo e não poderemos contar nosso tempo de trabalho aqui?
  4. Como fica a situaçao de quem continua pagando o INSS no Brasil (ou já pagou e se aposentou no Brasil ) e tem tempo concomitante com o tempo de CCP no Canada?
  5. Outra pergunta é a seguinte: o teto maximo do INSS é hoje 4100.00 reais ( ~2000 dolares canadenses) e o teto maximo do CCP é 1000 dolares. Se a pessoa tem tempo no Brasil para se aposentar e sempre pagou teto maximo e no Canada também, como fica a aposentadoria se somadas as duas ultrapassam o teto maximo estabelecido nos dois paises (3000 dolares) ??? Será que o contribuinte terá direito as duas integrais? ou sera só a do Brasil? ou só a do Canada?  
Bem, vamos esperar o que mais vai vir com esta questão. Existe na lei um regime especial previsto para quem trabalha para o governo do Brasil, que precisa também ser estudado.

E vamos seguindo com passos firmes de quem sabe onde quer chegar.

Abração e a Paz
Igor Schultz

sábado, 28 de setembro de 2013

Maratona de Montréal 2013

Olá, Pessoal!

Bem, como parte da série de posts "Já faz dois meses que aconteceu e eu não tive tempo de postar ainda", aproveito para colocar em dia o nosso amado bloguinho. Começamos então pela Maratona de Montréal, que aconteceu no último dia 28 de setembro. Esta prova faz parte do circuito Rock'n'roll, que contempla várias corridas pela América do Norte e neste final de semana teve várias provas em Montréal. Mas desta vez eu estava lá para terminar a maratona, com dois objetivos: não parar de correr (na primeira tentativa há dois anos atrás, parei aos 27km e terminei a prova em 4h11) e terminar a prova em menos de 4h.

E consegui as duas coisas!!! Graças a Deus.

Bem, largamos debaixo de uma chuva média que caía sobre o Parc Jean Drapeau... sempre com uma banda tocando a cada 1km. Impressionante! Logo pegamos o autódromo e saímos para o centro velho. Até aí, tudo plano. Então, no Vieux-Montréal começaram as primeiras subidinhas, com 15km, mas nada de mais, pois eu sabia que a grande subida da Grand Bibliotéque estaria me esperando. Meu técnico brasileiro da Trainer me deu o conselho de atacar as subidas e não ser atacado. Foi o que fiz. Passei o subidão e cheguei na reta final da meia-maratona, mas ainda faltavam 20km pela frente. Então, seguimos para um ida-e-volta até Ahunstic-Cartierville... Quando voltamos, estávamos em 32km e passamos novamente pela chegada, dava pra ver ela ali, a alguns metros a nossa frente, e então viramos à direita para mais 10km - ida e volta até o Parc Olimpique. Foi quando um brasileiro encostou em mim e vendo a minha bandeira do brasil estampada em minha camiseta, disse: "Olha! Deixa eu pegar uma energia de um brasileiro!", Respondi, ofegante: "Não pega não, porque se você pegar eu desmaio.... ". Tava realmente acabando a gasolina, mas não dava pra parar. Neste momento senti o que todo mundo fala que acontece à partir dos tais 32km... o corpo inteiro te pede pra parar, e você só tem a sua cabeça que manda continuar. Precisa muito auto-controle. É como se fosse uma cabeça voando e ter de esquecer o resto... Mas conseguimos, eu, minha cabeça e o resto do corpo, cruzar a linha de chegada em 3h51'

Ufa... E vamos para mais desafios em 2014! Seguindo com passos firmes de quem sabe onde quer chegar!

Abração e a Paz
Igor Schultz

PS: Passei a reta de chegada, achei o primeiro gramado enlameado que tinha, deitei e esperei que as pernas acordassem. O que está escorrendo de minha boca não é sangue, mas sim gel de carboidrato que deve ter sobrado na última dose....

video

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Socorro! Tenho que ir pro Pronto-Socorro!

Oie Galera,

Estamos neste momento aqui no Hôpital Général de Montréal para tratar um problema de saúde e estamos sentindo na pele o que é ter que enfrentar a emergência de um hospital público no Québec. Estamos já há 12h aqui esperando o resultado de um exame e ainda tem mais um para ser feito. Junto conosco estão várias pessoas, muitas com problemas muito mais graves do que o nosso e também com mais idade. Todos têm que ficar do mesmo jeito aguardando na sala de espera sem nenhuma informação ou satisfação sobre os seus problemas. O sistema de saúde é realmente difícil de engolir e nos sentimos verdadeiramente desrespeitados hoje. Já sabemos que ir para a emergência de um hospital aqui é ter que passar várias horas esperando, mas nunca havíamos presenciado na pele uma espera tão grande sem nenhuma informação.

Algumas pessoas com quem estamos conversando nos disseram que cada hospital tem a sua fila de espera diferente e que tudo depende da prioridade que ganhamos na triagem. Fomos encaminhados para este hospital pelo nosso médico de família, mas realmente tá difícil. E o pior é que estamos desconfiados que os caras não estão examinando o real problema que viemos verificar. Assim, teremos que ficar esperando um tempão para não sair com a informação que precisávamos. Isso vai ser dureza... Dá vontade de cair fora, mas precisamos do diagnóstico, enfim... Nessas horas realmente temos saudade do sistema de saúde (privado) que tínhamos no Brasil. Entendo que não dá pra comparar laranjas com bananas, mas que dá saudades, dá...

E vamos seguindo com passos firmes de quem sabe onde quer chegar!

Abração e a Paz

Igor Schultz

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Manifestação Contra a Charte des Valeurs Québécoise

Allo, Povo de Deus,

Já havíamos publicado um post anterior falando sobre a chamada Charte des Valeurs do Québec, que tenta criar uma identidade quebequense, identidade esta que passa pela neutralidade religiosa e que entre seus estatutos prevê a proibição da ostentação de símbolos religiosos para os empregados de funções públicas da província. Este é o ponto mais polêmico, pois desde enfermeiros, professores, servidores públicos, servidores nas creches públicas e privadas com subvenção da província, todos deveriam se submeter a este estatuto. O impacto imediato é que os funcionários judeus e muçulmanos, principalmente, mas porquê não os cristãos, teriam de se apresentar ao serviço sem as vestimentas religiosas, como o véu das mulheres e a kippa dos judeus.
 
Bem, a semana passada finalmente o ministro Bernard Drainville (Parti Québecois) apresentou a dita carta de valores para votação na assembléia nacional (diga-se: do Québec), e houve bastante discussão e polêmica durante a semana, pois afinal revelou-se o que realmente está previsto e que até agora era somente suposição. Enfim, tudo o que era suposição realmente está previsto na Charte de Valeurs, sem trocadilho.
 
Na região de Montréal, 15 prefeituras de Montréal e região metropolitana se declararam contra a carta de valores, sendo que os três candidatos à prefeitura de Montréal já falaram que, se forem eleitos, vão também rejeitar a dita carta. Os políticos da ilha de Montréal julgam que a carta desconhece completamente a realidade da região, onde existem muitos e muitos imigrantes. Só para se ter uma idéia, 29 mil pessoas trabalham para o governo e seriam afetadas diretamente. As gardiennes (que cuidam das crianças nas creches) muçulmanas estão prontas para largar o emprego imediatamente se forem obrigadas a trabalhar sem os véus tradicionais de sua religião.
 
Mesmo dentro do próprio PQ existem já divergências sobre a carta. A deputada pequista de Ahunstic (região ao norte da ilha de Montréal) assinou um document chamado "Coletivo dos Independentes por um Estado Laico Inclusivo" (tradução livre), e saiu criticando a carta de valores na TV. Foi expulsa do partido, gerando acusações de despotismo e autoritarismo ao governo de Pauline Marois, a primeira ministra do QC.
 
No sábado passado, mais de 20 mil pessoas de várias religiões saíram às ruas para protestar contra a Charte de Valeurs, principalmente muçulmanos e judeus mas também católicos e outras crenças cristãs. Colocamos um vídeo abaixo que fala da manifestação ocorrida. Basicamente, o povo diz que se a carta de valores for aprovada, caem fora da província.
 
Bem... o que pensar sobre isso? Existem muitas opiniões circulando e o pessoal não gosta muito de falar do assunto, mas eu vejo aqui dois pontos importantes à pensar sobre esta questão, não esquecendo que nós, os autores do blog, somos cristãos católicos:
  1. O governo ultrapassou um limite de liberdade individual das pessoas para favorecer o chamado Estado Laico. Se pensarmos eticamente, qual é o valor maior, mesmo deixando a religião de lado? A liberdade de expressão das pessoas ou a identidade de uma nação? Creio que a identidade de uma nação é feita à partir da identidade das pessoas. Isso aconteceu no Brasil: recebemos diversos imigrantes no passado e a nossa identidade hoje é formada pela mistura de todos eles. Assim, somos uma cultura resultante da contribuição deles. E que tal se houvéssemos proibido estas manifestações na época? Portanto, se o valor maior é a identidade individual, que inclu as crenças religiosas, o governo não pode interferir nesta questão, até porque eles continuam chamando os imigrantes para povoar e trazer renda para a província.
  2.  
  3. O fato de se usar ou não uma vestimenta ou símbolo religioso não modifica o que está na cabeça das pessoas. Isso foi tema de uma coluna de opinião de um jornal local desta semana e eu concordo plenamente. A própria pessoa é por ela mesma um símbolo religioso e isso não muda por causa da ostentação de um símbolo ou vestimenta. Se o governo pensa desta forma, ele está assumindo uma postura claramente preconceituosa e pode ver seu projeto da carta de valores ser rejeitado categoricamente na assembléia. Além disso, por experiência própria, não é possível separar a religião de uma pessoa. Ela não tem como ser religiosa só em seu "templo de pedra" e Deus nos convida a estarmos no mundo... não temos opção e creio que as pessoas de outras religiões também não tem.
  4.  
  5. Sobre o lado político, a carta não parece demonstrar uma atitude inteligente do Parti Québecois, que tem minoria na assembléia, pois tinha 5 deputados e expulsou uma e agora ficou com 4. Os outros partidos estão aproveitando para rechaçar o governo. As outras províncias, como Ontario, já estão fazendo publicidade em Montréal para atrair gente para lá. Eles mostram uma foto de uma enfermeira usando o véu muçulmando e dizendo que "não ligam para o que você usa em volta da cabeça, mas sim o que você tem lá dentro".
Porém, não podemos esquecer que os políticos aqui vão atrás dos votos, como em qualquer lugar, e uma pesquisa independente no início das discussões mostrou que 51% dos habitantes da província apoiariam a carta tal qual. Então, vamos aguardar o resultado da votação torcendo para que a liberdade individual de cada um seja respeitada.
 
E vamos seguindo com passos firmes e ostentando nossa religiosidade, de quem sabe onde quer chegar!
 
Abração e a Paz
Igor Schultz



domingo, 15 de setembro de 2013

Energizer Night Race 2013


Olá Pessoal!

Faz um tempão que não aparece em nosso blog um vídeo de corrida. Isto aconteceu porque este ano eu defini apenas três metas de corrida: a Meia-Maratona do Banque Scotia (acabou sendo a meia de Chateauguay, pois perdi a inscrição da outra), a Energizer 10km e a Maratona de Montréal (semana que vem. Assim, passei o ano inteiro treinando para estas provas, e finalmente ontem foi a prova da Energizer.

Esta corrida não passa de uma prova de 10km mas o grande lance é que ela é feita toda à noite no parque Jean Drapeau e cada um ilumina a trilha à sua frente com lâmpadas que a gente ganha no kit de corrida. Normalmente tem vários artistas de circo fazendo performances durante a prova, mas este ano, infelizmente, ninguém apareceu....

Mas vamos à prova. Largamos por volta das 19h30 hora local e com um friozinho de uns 10 graus, para duas voltas no parque. Na saída já tinha bastante descida e depois pegamos a trilha de terra. A prova de 5km largou uns 5 minutos antes, mas em 2 ou 3 curvas já estávamos passando os últimos colocados desta categoria. Depois passamos pela estação de metrô e seguimos para passar sob a ponte de la Concorde, em uma trilha de terra de mais ou menos 1km beirando o Fleuve St Laurent. Depois, 1km de subida até à linha de largada, para mais uma volta.
 
Na segunda volta, o pessoal de 5km termina sua corrida e então fica bem menos gente na trilha. Segui junto com um outro cara até a subida. Faltando uns 200m falei pro cara pra disparar até a chegada e a gente disparou, mas o cara não conseguiu correr e acabei chegando antes dele, para fechar meu tempo mais rápido nos 5km na vida!!! 45'34'' Nem esperava! Fiquei em 37o lugar entre 629 corredores, e sétimo em minha categoria... Viva a minha barriga!!! Foi a barrigada mais rápida da cidade... Bem, no final tinha até uma lata de cerveja no kit de comida... foi toda....
 
E vamos seguindo com passos firmes e rápidos, de quem sabe onde quer chegar!
 
Abração e a Paz
Igor Schultz

 
video

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Perfil das Meninas Adolescentes do Québec

Infographie-Fille-de-16-ansOlá Galera!

Saiu esta semana aqui em Montréal o resultado de uma pesquisa feita pela TC Media, uma empresa de marketing daqui da cidade. A pesquisa mostra o perfil típico de uma adolescente de 16 anos (meninos não foram incluídos - creio que até por se tratar de marketing, não sei) daqui da Belle Provence. Eles estão chamado estes jovens de geração C (Conectados), em comparação com os Baby-Boomers, geração X e geração Y que vieram antes. De acordo com a pesquisa, 50% dos pais têm uma conta Facebook para fuçar no que as gurias andam fazendo. Achei muito interessante em se tratando que temos também uma igual em casa, e creio que pode ser útil para os que estão chegando com filhos adolescentes para saberem o que pode os esperar por aqui:
  • 18% - Têm já um sobre peso ou obesidade;
  • 3,92% - Têm um carro próprio. Na região de Chaudière-Appalaches, tem uma outra estatística que diz que 1,01% das motoristas com carteira sofreram um acidente em 2012. Record da província;
  • 15,5% - Fumam cigarro;
  • 41,1% - Consumiram drogas nos últimos 12 meses. Para fazer uma comparação, de acordo com o IBGE, este percentual no Brasil foi de aproximadamente 7% em 2009 para as meninas no nono ano escolar (dois à três anos antes);
  • 53,8% - Já tiveram relações sexuais. Na Côté-Nord esta proporção aumenta para 70,9% (!!!) e em Montréal e Laval baixa para 40,5%. No Brasil, segundo o IBGE, entre as meninas do nono ano escolar a taxa é de 18,7%;
  • 59,3% - Têm um emprego, além de estudar;
  • 22,1% - Foram vítimas de intimidação. No Brasil, em 2009 foi de 25,4%;
  • 79,5% - Obterão seu diploma universitário em 7 anos. No entanto, as gurias da região da Capitale-Nationale (Ville de Québec, Levis et alentours) têm este percentual aumentado para 80,8%. Ao contrário, no Nord-du-Québec baixa pra 39%;
  • 12,6% - Vão parar de estudar antes de terminar o secondaire.
Bem, a realidade que vemos dos amigos de nossos filhos não parece realmente o que essa pesquisa diz, apesar de que moramos no subúrbio, mas é interessante saber como isso pode influenciar a vida dos nossos pequenos amados e o que eles almejam em seus sonhos por aqui.

E vamos seguindo com passos firmes e vigilantes de quem sabe onde quer chegar!
 
Abração e a Paz
Igor Schultz

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Québec: Um Estado Laico

Olá Povo de Deus
Essa eu tinha que contar, pois tem um impacto direto sobre muita gente, principalmente os imigrantes: o governo da nossa querida Pauline Marois, primeira ministra do Québec, está trabalhando para concluir a sua "Charte des Valeurs Québecoises", que é uma espécie de documento que diz o que é que vale para o povo do Québec. Eles estão tentando definir em uma lei o que é a cultura da província. Dentro desta definição entra também o conceito de "Estado Laico". Isso quer dizer que o governo quer ser completamente neutro em matéria de religião. Porém, uma questão prática tem incomodado bastante o povo por aqui, principalmente os imigrantes: a carta prevê a interdição da utilisação de símbolos religiosos em lugares públicos e também pelos funcionários em serviço público. Assim, professores, enfermeiros e outros agentes de saúde, servidores em geral, não poderão utilisar seus símbolos religiosos. Para nós católicos isso parece simples, pois a maioria ostenta apenas um crucifixo no pescoço. Porém, existem outras religiões onde o dito "símbolo" muitas vezes não pode ser escondido, como no caso dos véus das mulheres muçulmanas ou dos turbantes dos homens.
Ainda tem muita água pra rolar por baixo da ponte e a questão é muito polêmica, pois muitos se sentiriam discriminados religiosamente e teriam seus direitos pessoais impedidos, como o de expressar a sua religião. Em uma creche pública, as educadoras muçulmanas dizem estar prontas a deixar o emprego se o governo as obrigar a retirar o véu durante seu trabalho, diz um jornal local daqui de Candiac. Os partidos de oposição, é claro, estão aproveitando a situação para atacar o governo atual.
Independente do que acontecer, é uma boa oportunidade sentirmos o espírito dos primeiros cristãos que eram perseguidos por sua fé. Ninguém veio para o Canadá para deixar de ser religioso, não é mesmo?
E vamos seguindo com passos firmes de quem sabe onde quer chegar!
Abração e a Paz
Igor Schultz

Fazendo Valer as Leis no Québec

Olá Pessoal!

Durante algumas semanas, temos observado algumas ações policiais aqui na Belle Provence que fariam corar até mesmo os mais talibãs em matéria de respeito às leis. Vejam só:

Na cidade de La Prairie, vizinha da nossa, um rapaz estava cuspindo no chão e bem na hora estava passando uma viatura da polícia... Adivinha só: pela legislação da cidade isso é proibido e o cara foi multado em 147 dólares. Saiu no jornal local a foto do cara com a multa, pois ele achava injusto ter sido caneteado;

Em Montréal, uma jovem mãe entrou no ônibus com o seu filho e apresentou uma nota de 5 pila para pagar. O motorista não oferece troco e a lei diz que o passageiro tem que apresentar o valor exato na hora de embarcar. Enfim, o motorista avisou um fiscal que entrou coincidentemente no ônibus logo adiante e a mulher foi multada em 215 dólares. Mais tarde, esta multa foi anulada. A vantagem dos policiais/fiscais daqui é que eles têm uma mini-impressora de multas que registra tudo na hora e o infrator já sai com a conta na mão. É impressionante. Eles levam o aparelhinho em tudo que é lugar e não tem conversa... Pela minha experiência, na maioria das vezes a fiscalização "confia" nos cidadãos, mas quando tem blitz ou flagrante, não tem conversa.

No entanto, um outro dia, fomos pegos em excesso de velocidade. Na hora de falar com o guarda, não encontramos os documentos do carro nem a carteira de motorista. O guarda foi até seu carro e voltou com duas multas, uma para cada infração (sem licenciamento do carro e sem carteira de motorista) mas não registrou a infração de excesso de velocidade. Quando ele voltou, havíamos encontrado os documentos e os apresentamos à ele. Ele disse que não podia mais corrigir pois o registro já estava feito. Bem, as duas multinhas não davam juntas o valor da multa de velocidade, mas mais tarde fui perceber que cada uma das multas tinha um nome de policial diferente: os caras registraram uma para cada um (havia dois no carro).... será que eles têm comissão?

E vamos aprendendo à viver de novo, com passos firmes de quem sabe onde quer chegar...

Abração e a Paz
Igor Schultz

sábado, 17 de agosto de 2013

International de Montgolfières - St Jean sur Richelieu

Allo Galera!
 
Estivemos ontem visitando a feira International de Montgolfières na cidade de St Jean sur Richelieu. Bem, para aqueles que já falam um pouco de francês, o nome já diz tudo: "Montgolfière" quer dizer "Balão" (não é bexiga, trata-se de balões onde a gente entra em uma cestinha e viaja pelo céu. Falou o especialista em balões aqui)...
 
 
Voltando ao assunto, St Jean é uma cidade bem interiorana que fica à uns 15 minutos de carro daqui de Candiac. O evento dura uma semana e durante esta semana o aeroporto é fechado e pessoas de vários países e mesmo de várias regiões do Québec vêm expor seus balões e promovem vôos para quem tiver coragem e $200. Muitos balões são temáticos e fazem a alegria da criançada, como o do zôo Granby, que é um elefante; o balão-hidrante, o balão-flor, o balão-pula-pirata, e também o balão-escafandrista, que é pilotado por uma equipe de brasileiros - eba! Os vôos são todos os dias às 6h da manhã e 6h da tarde, conforme as condições meteorológicas. Ontem, infelizmente, as condições não estavam 100% boas pois havia uma chuva nas redondezas e os balões - apesar de inflados - não levantaram vôo. As medidas de segurança aumentaram muito depois que um piloto teve um acidente fatal na última segunda-feira.
 
Além dos balões, a feira também tem um parque de diversões bem legal (pago à parte) e diversas atrações, jogos infláveis e brinquedos (gratuitos), além da tradicional comida do Québec. Experimentamos entrar em um dragão inflável onde os caras ficam assustando a gente lá dentro e é cheio de cadáveres (bonecos, claro), como se a gente andasse pelas entranhas do dragão. Ui, que medo... Dois palcos com espetáculos musicais e humorísticos ficam abertos o dia inteiro. À noite sempre tem um showzão com um artista conhecido. No nosso dia o show foi de Roger Hodgson - Ex Supertramp, que tocou altos sucessos da banda e matou saudades de muita gente.
Bem, os preços são $20 por cabeça durante a semana e $30 no final de semana. Tem um pacote familiar de $50 que inclui 2 adultos e 2 crianças até 12 anos. Acima de 12 anos todo mundo é considerado adulto e paga $20. Crianças abaixo de 3 anos não pagam.
 
Enfim, foi uma experiência bem legal. O interessante é que quando a gente sonhava em vir para o Canadá, tínhamos um livro de turismo que mostrava várias fotos do país e uma delas era do festival, e eu achava uma coisa tão distante.... E de repente, voilà... Estamos lá. Super!
E vamos seguindo com passos firmes de quem sabe onde quer chegar!
 
Abração e a Paz
Igor Schultz

sábado, 10 de agosto de 2013

Missão Virtual de Recrutamento Québec 2013

Ola Pessoal, 

Faz um tempão que não colocamos nada no nosso bloguinho... A vida realmente está muito agitada e também muitas novidades já fazem agora parte de nossa rotina. No entanto, recebi o e-mail abaixo e me senti na obrigação de publicar em nosso blog. Trata-se da Missão Virtual de Recrutamento Québec 2013. Trata-se de uma iniciativa particular - e não do governo do Québec - para ajudar pessoas do Brasil à virem trabalhar na cidade de Québec.
 
Visitei o site e achei a proposta interessante, apesar de não conhecer a empresa Québec International, pois facilita o acesso à morar aqui no Canadá. No entanto recomendo a todos verificar bem todas as informações quanto aos recrutadores, às empresas contratantes e às vagas disponíveis antes de se jogar pra cá, pois estamos ouvindo falar de alguns casos em que a empresa aceita a pessoa, arranja o visto de trabalho e a família vem de mudança, mas ao chegar, descobre que o contrato que a empresa tinha com seu cliente não se concretizou e assim, a vaga se extingue e o recém-chegado fica chupando o dedo, pois seu visto é válido somente enquanto estiver trabalhando na empresa contratada. Nenhum dos casos problemáticos que tenho conhecimento são ligados à esta Missão de Recrutamento Québec International, que fique claro.
 
Creio que neste caso uma idéia boa seria, seguir com o processo de entrevista na missão virtual e tentar ir se informando com o Consulado/Ministério de Imigração sobre obter a residência permanente. Sabe-se que para os que já têm um visto de trabalho o processo de imigração é mais fácil. Assim, a idéia seria entrar imediatamente com o processo de imigração logo que o visto de trabalho fosse recebido, de modo que quando o emprego inicial acabar, a pessoa já tenha o PR Card e possa continuar vivendo no Canada. Cabe a cada um analisar...
 
De qualquer modo, seguem as informações abaixo sobre o evento:
 
Pelo terceiro ano consecutivo, o Québec International organiza uma missão de seleção de pessoal no Brasil. Nesta edição são mais de 50 vagas nas áreas de TI e usinagem

Como participar? 

Primeiramente, o candidato deverá consultar os empregos disponíveis (
https://secure.manitou-psa.com/pages/qint/categorie-offres-demploi.html). Caso esteja no perfil, deverá enviar o currículo em francês. As vagas disponíveis também foram disponibilizadas em português, em arquivo pdf (no perfil da vaga, clique em “Description du poste en portugais”). 

Caso tenha o currículo pré-selecionado, o candidato será convidado a fazer uma avaliação do nível de francês. Os candidatos aprovados serão convidados a participar de uma entrevista on-line* de 9 a 13 de setembro de 2013 com os gestores das empresas da região de Québec. 
*É de responsabilidade do candidato providenciar o acesso a um computador com o software Skype instalado para o dia da entrevista. 

As candidaturas serão recebidas até o dia 22 de agosto, então fiquem ligados e aproveitem o tempo para aperfeiçoar o francês! 

Para mais informações sobre a missão acessem o site Québec na Cabeça:  
http://www.quebecnacabeca.com/missoesbrasil 

Para saber mais novidades, fiquem conectado as redes sociais : 
https://www.facebook.com/quebecentete 
https://twitter.com/quebecentete 

E continuamos seguindo sempre com passos firmes de quem sabe onde quer chegar!

Abração e a Paz
Igor Schultz

quarta-feira, 24 de julho de 2013

Conhecendo um Pouqinho do Québec

Oi, oi, Gente Querida!

Aproveitamos as férias de verão deste ano para fazer uma coisa que a gente nunca teve oportunidade de fazer desde que chegamos ao Canada: Turismo!!! Isso mesmo: o negócio foi chegar, trabalhar, estudar, ter nenê, e tudo mais. Assim, como sempre dissemos, as nossas poucas visitas conheceram mais o Canada do que a gente mesmo. Mas neste verão, esta realidade começou a mudar! Pegamos as nossas trouxas e partimos em viagem por duas semanas... Yuppiii! Seguem comentários, fotos e vídeos do que foi esta epopéia (para quem nunca viajou pelo QC, foi algo excepcional!)

Ville de Québec
 
Bem, nossa primeira escala foi a Cidade de Québec, capital da Belle Province, que contém muita história sobre a colonização francesa e a conquista inglesa. Dá pra entender muito sobre a cultura atual quando a gente visita a Capitale Nationale. Fomos na verdade visitar nossos amigos que haviam recém chegado do Brasil imigrando e aproveitamos a visita para fazer turismo. Assim, conhecemos o Chatêau Frontenac, imponente diante do fleuve St Laurent, e que hoje abriga um hotel chiquérrimo. Vimos também as Plaines d'Abraham, onde muitas batalhas entre ingleses e franceses foram travadas no séc. XVIII pela conquista do Québec. No dia em que visitamos, estava havendo um show. Percorremos as escadarias que descem pela borda da Cidadela e entramos lá para ver a troca da guarda e tirar foto com o guarda e cutucar ele pra ver se ele muda sua fisionomia. Sem sucesso... o cara é uma rocha. Mas ele nos olhou de cantinho pra ver minha estupenda barriga e a pochette ridícula da máquina fotográfica...

Passeamos pela velha Québec, que é uma parte da cidade onde os prédios do tempo da colonização foram preservados e tem muita história pra contar também. E é cheia de lojinhas e restaurantes legais. Vale a pena conhecer.

No outro dia, fomos visitar as Chutes Montmorency, na saída norte de Québec, perto da Ile d'Orléans. Nosso plano era também visitar a ilha pois é muito pitoresca, mas acabamos ficando só nas quedas mesmo. Chegando lá, tem um estacionamento de 11 pila pra pagar. Depois, descobrimos que na parte de cima do parque existe uma pracinha normal onde todo mundo pode estacionar como em qualquer praça, ou seja, sem pagar... Saímos do centro de recepção, que só tem na entrada de baixo do parque, em direção às quedas, e nos deparamos com a impressionante escadaria que temos que subir para ver as quedas de cima. No entanto, perto dos 35 dólares por cabeça para subir de teleférico, a escada é facílima de subir...

Antes de subir a escada, fomos bem pertinho da cachoeira para sentir o caldo geladão. Nossa! O caboclo fica completamente de banho tomado. Então, subindo a escadaria, fomos revezando com o Thiago. Cada um subia um pedacinho. Lá em cima tem lugar para fazer piquenique bem legal com mesas e tudo mais. Um pouco mais adiante tem algumas pontes e chegamos ao topo da cachoeira, onde podemos vê-la de cima. Bem legal. Tem também um restaurante chique e umas banquinhas que vendem chips e refrigerantes.
















video

video

Jardim Botânico de Montréal e Planetário

 
Nos dias que se passaram, aproveitamos para visitar o jardim botânico de Montréal, no parque Maisonneuve, e o planetário, no estádio Olímpico. Na verdade, tudo isso faz parte de uma iniciativa chamada Espace pour la Vie, organizado pela equipe do Ministério do Parque Olímpico. No Jardim Botânico, o ingresso dá direito à duas visitas e aproveitamos para visitar as estátuas gigantes feitas de plantas. Dentro do Jardim, que é enorme, existem muitas regiões do mundo representadas. Conseguimos visitar o jardim chinês, o alpino, e até demos de cara com uma raposa. O jardim chinês inspira uma paz impressionante. Além disso, existe também o insectário, que é uma exposição permanente de insetos, onde a gente aprende muita coisa. E tem cada bichão nojento também, dignos de terem saído do filme King Kong....

A lição que aprendemos é: realmente não dá pra se ver todo o Jardim Botânico em uma só visita... Por isso os caras deixam voltar duas vezes.

O planetário tem sessões de hora em hora, algumas em inglês e outras em francês. Tem que olhar no site para conferir o horário. São dois shows e entre eles tem um intervalo de 30 minutos onde um telescópio poderoso fica na rua para o povo observar os astros. Vimos a lua bem de pertinho e saturno. Bem. O primeiro show - Continuum - é sensacional e usa uma tecnologia tipo cinema 360 graus. E os assentos são puffs jogados no chão. O Thiaguinho entrou mas se escondia em nosso colo de medo, pois o som é muito alto e as imagens são impressionantes. Chega a dar vertigem mesmo, pois viajamos aos confins do universo! O segundo show é típico de um planetário, onde as estrelas são projetadas na abóboda do teatro e a tia fica explicando o que são as constelações, etc. Mas na hora que a gente estava vendo deu defeito e acabamos vendo só um pedacinho do show. Mesmo assim foi legal.

Mont-Tremblant

Nossa próxima parada foi a badalada Mont-Tremblant, à mais ou menos uma hora e meia de carro de Montréal. No inverno uma estação de esqui chique, no verão vira uma festa de tudo quanto é coisa. Conseguimos um pacote em um hotel Marriot que incluía passeio no telecabine, um teleférico que sobe até o ponto mais alto das montanhas da região.

A cidade parece uma cidadezinha de bonecas europeia, onde todas as casas são estilizadas e tem muita coisa bonita pra ver. O lago Tremblant é lindo e enorme, com várias cidades em volta. Na praça principal, no norte da cidade, tem várias atividades de verão, e as crianças aproveitaram para descer uma espécie de carrinho de lomba que vem de lá de cima da montanha. Super!
 
Chegamos no sábado para passar o fim de semana e já saímos pra passear no comecinho da noite. Saímos para jantar em um restaurante perto do hotel e Visitamos um laguinho que tem perto da cidade onde um monte de patos saíram e vieram nos dar um alô. Demos a volta no lago e voltamos para subir até o topo da cidade. É uma escalada... ehehe.
 
No telecabine, a gente sobe, sobe, sobe e vê tudo ficando pequenininho, e é impressionante como a temperatura muda! O telecabine é quente, mas à medida que se vai subindo vai ficando frio... Lá em cima tem muitas trilhas e um mirante bem legal onde a gente consegue ver toda a cidade e o lago inteiro. Na vila de Mont-Tremblant também tem um teleférico grátis que funciona o dia inteiro e leva as pessoas da parte alta da cidade até a parte baixa e vice-versa. Muito útil quando a gente quer voltar para o hotel depois de ter "escalado" a cidade morro acima.

Saí para explorar as trilhas em uma corridinha de 9k e foi muito legal. Mont-Tremblant tem uma cliclovia que corta todas as montanhas e passa por vários rios, variando os trechos em asfalto, trilhas de mountain-bike e pontes de madeira. A paisagem é sempre estonteante. Tentei fazer isso duas vezes. Uma no sábado à noite e outra no domingo. No sábado à noite, ao sair do hotel dei de cara com um cervo pastando bem na frente, em um gramado. Bem, já pensei comigo, se aqui na frente do hotel já tem isso, imagina o que não vai ter no meio das trilhas. Comecei a corrida e logo na primeira curva no meio do mato já ouvi um barulhão de alguma coisa maior ainda fugindo de mim bem de pertinho. Lógico que dei meia-volta e voltei. Mas no outro dia de manhã, consegui passear bem tranquilo.
 
Uma outra coisa que achei bem legal foi o aluguel de bicicletas. Tem tudo quanto é bicicleta disponível e também reboques para as crianças, capacetes, acessórios, etc. O aluguel é em torno de 19$ mas creio que vale a pena, pois dá tempo de visitar um monte de trilhas e passear por vários lugares.

Enfim, ficamos só dois dias mas restou realmente um gosto de quero-mais, pois a cidade é muito legal. Espero ir mais uma vez no outono e outra no inverno, se der.
















video

Acampamento em Oka

No final de semana seguinte, fomos acampar no parque Oka, em Saint-Eustache. Juntamos os amigos e fomos. Bem, a diferença já começa na reserva do lugar, pois tudo é feito pela internet no site da Sepaq (rede de parques do QC) e você já sabe exatamente onde vai armar a barraca quando chegar, pois o parque é dividido em pequenas áreas onde cabem as barracas e tem um lugar para fazer a fogueira e comer o famoso marshmallow assado. A fogueira vem também com uma grelha em cima, para se fazer a famosa picanha assada.
Quando chegamos no parque na sexta, estava caindo uma chuva que Deus mandava. Ficamos muito indecisos se iríamos ou não ficar, pois realmente tudo levava a crer que seria um PDI (programa de índio). No entanto, acabamos tomando a decisão certa, armamos a barraca na chuva e um pouquinho mais à noite a lua já veio. Tá certo que na manhã seguinte apareceu uma baita chuva, mas logo o sol abriu e aproveitamos o final de semana inteiro.
 
O banheiro do parque é outra coisa pitoresca. É o único lugar que tem energia elétrica. Assim, todo mundo tem que levar lanterna. E para tomar banho, custa 25 centavos cada 2 minutos. Então o que a gente faz: mete 25 centavos, aperta o botão para ligar. Se enxágua, desliga. Ensaboa o corpo, passa xampu e liga de novo. É impressionante, mas sobra tempo... É uma lição para os banhos demorados lá de casa... ehehe.
 
Aproveitamos também para ir na praia, que fica anexa ao parque. É praia de rio, mas é bem legal. O Thiago adorou! As crianças jogaram vôlei na beira da praia. Estava cheia! E muito churrasco de canadense e tudo mais. Queremos também visitar outros parques para testar outros campings, agora que estamos mais equipados.
 
Weekends du Monde
 
Aproveitamos também um fim da semana para visitarmos o Parque Jean-Drapeau em Montréal, onde estava acontecendo a festa Weekends du Monde. Nesta festa, as culturas presentes em Montréal de diversos países fazem exposição de tudo: música, comida, artesanato, etc. Então, curtimos um show à brasileira com a banda Monobloco para tentar matar as saudades do Brasil. E o cara acabou tocando a música do Tim Maia que a gente cantava na saída do Cursilho... Aí não deu pra segurar a emoção... Que saudades!!! Depois teve escola de samba... Super!
 
video
 
Ufa! Quanta coisa! Descobrimos que tem realmente muita coisa legal para se fazer pertinho de casa...
E vamos seguindo, com passos firmes de quem sabe onde quer chegar!
 
Abração e a Paz
Igor Schultz




 

domingo, 2 de junho de 2013

Notícias

Olá pessoal,

Não sei examente se ainda há pessoas que nos acompanham, pois afinal nós não temos sido muito assíduos por aqui, pra não dizer relapsos com nosso blog, desculpem-nos a ausência. Confesso que apesar de termos tantas coisas para compartilhar com vocês o tempo acaba se tornando pequeno para escrevermos com a mesma frequência de antes.

O Igor é bem mais dedicado que eu na atualização do blog, mas hoje me deu uma vontade de passar por aqui e dar oi pra todo mundo e dividir com vocês um pouco desta fase que temos passado por aqui.

Há poucas semanas atrás me dei conta de como me sinto parte daqui. Apesar da minha vida profissional ainda não ter entrado no eixos, eu ainda não falar francês (é isso mesmo, moro na província francofônica, mas não falo francês, kkkk) e arranhar no inglês, as coisas também acontecem pra mim. Posso dizer que o primeiro ano foi muito difícil, o segundo foi bem melhor e cheio de conquistas e agora no nosso terceiro ano já começamos a pensar em não voltar pro Brasil. Pasmem, até eu que só falava em voltar não sei mais se quero, kkkkk, é as coisas mudam....

Estou terminando uma certificação de proficiência na língua inglesa pela Universidade McGill e no próximo semestre começarei a francização, depois disso acho que estarei pronta pra arrumar um trabalho. Tenho aplicado para algumas vagas de trabalho, mas não tive sucesso até agora, pois aqui tudo fica mais difícil se você não fala o francês.

Esta semana pensamos em mudar pra Toronto, dessa forma eu poderia pular a fase da francização e me sentiria mais em casa, entretanto começar tudo de novo (procurar casa, mudança, adaptação dos filhos na escola, etc) não é algo que me agrada.

Sabe, acredito muito na providência Divina e acho que Deus tem um plano para cada um de nós, por isso falei pro Igor que estou disposta a mudar para o lado inglês do Canadá desde que as coisas se encaminhem de forma natural, como aconteceu conosco quando viemos morar em Montreal. Não sei  se vocês sabem, mas nós fizemos o processo federal pra irmos morar no lado inglês. Durante nosso projeto de vir pra cá nunca pensamos em morar no Quebec. Entretanto nós temos um plano e Deus tem outro: no final das contas viemos parar em Montreal e além disso cheguei aqui grávida....kkkk....Depois de disso acabei me rendendo e percebi que não temos controle de nada, pois é Deus que cuida de tudo. Fizemos milhões de planos pra morar no lado inglês e acabamos aqui em Quebec e de quebra com um bebê Quebecóis...kkkkk

É minha gente, pra quem está vindo pra cá lembre-se que podemos e devemos nos planejar para imigrar, mas precisamos ter consciência e estarmos preparados para as mudanças de percurso que vêm pela providência Divina.

Hoje estamos felizes por aqui, na nossa casinha, com nossos filhos estudando em uma boa escola e felizes, nosso bebê crescendo em um ambiente saudável e tudo mais....porém, mesmo com tudo isso sempre há algumas duras renúncias que precisamos fazer, como por exemplo o fato de estarmos longe de nossa família e amigos que tanto amamos.

É isso gente, passei aqui pra dar um oi e pra dizer que todas as coisas se ajeitam, precisamos ter paciência, confiar em Deus e fazer a nossa parte.
Que a paz esteja com todos vocês e sigamos juntos com passos firmes de quem sabe onde quer chegar.

quinta-feira, 2 de maio de 2013

Novos Imigrantes: Assalariados de Segunda Classe?

Alô, trabalhadores do Québec!

Saiu no mês passado uma reportagem no Argent, jornal especializado de negócios daqui da região (algo como Valor Econômico do Québec). Eles contam que os imigrantes estão em desvantagem em relação aos nativos quanto ao valor do salário, em média... Vamos ver um resumo da ópera:
  • O desemprego entre os imigrantes é de 12,4% enquanto entre os nativos esta taxa é de 7% (2011). Pesquisei a taxa de desemprego atual (Abril 2013) e ela é de 7,8% na Belle Provence. Mas uma coisa é interessante: na região de Québec (Capitale Nationale), esta taxa diminui para 4,5%, uma das mais baixas do Canadã;
  • O salário médio dos imigrantes é de CAD$ 853 enquanto os dos nativos é de CAD$ 892 (2005). Uma pesquisa mais atual (misturando imigrantes e nativos) feita em 2012, segundo a radio-canada, baixou a taxa para CAD$ 832. A mais baixa do Canadá. Em Ontário, para se ter uma idéia, a taxa é de CAD$ 919 por semana;
De acordo com um professor da Universidade de Montréal, o pessoal que chega deve ter, é claro, experiência profissional em seu país de origem, mas isso não quer dizer que vai chegar e sair trabalhando e ganhando o mesmo que ganhava antes logo no primeiro emprego. Entre os imigrantes mais penalizados, temos os africanos e asiáticos do extremo oriente. Os da América do Sul estão no meio-termo (uhu!), e os Americanos do Norte e Europeus são os que se dão melhor.
 
O professor destaca também que uma ferramenta necessária para se abrir portas é o reconhecimento da experiência na província. E isso não se obtém somente trabalhando. Um diploma reavaliado, por exemplo, pode mostrar a experiência canadense equivalente ao que o caboclo tinha no Brasil.
 
Finalmente, o rótulo de "Ladrões de Empregos" que muitos quebecóis dão aos imigrantes é incorreto, pois os imigrantes que chegam não vem somente para trabalhar, mas eles têm também uma vida aqui, ou seja, compram coisas, consomem, e isso aumenta o rendimento das empresas que abrem então mais portas.
 
Bem, isto dito, eu gostaria também de deixar a minha queixadinha aqui, pois sou um rapaz latino-americano que sabe se lamentar... Os imigrantes brasileiros dão de 10 em qualquer nativo ou outro imigrante, pois somos muito flexíveis e estamos acostumados a trabalhar sob muita pressão no Brasil. Aqui, a gente faz o feijão-com-arroz e os caras acham lindo. Se a gente faz um esforcinho maior, então viramos funcionário do mês, como o caso de um amigo meu que ganhou este reconhecimento simplesmente porquê não mandava os clientes embora quando dava 5h da tarde... Assim, creio que temos feito bonito na foto.... E se fizessem uma medida da taxa de desemprego entre os brasileiros imigrantes, creio que ela seria bem melhor...
 
E vamos seguindo com passos firmes de quem sabe onde quer chegar.

Abração e a Paz

sexta-feira, 19 de abril de 2013

Processo de Imigração Federal: Novas Regras

Olá Pessoal!
 
Para aqueles que estão vindo na categoria Skilled Worker, o governo federal divulgou as novas regras para o processo de imigração, que vão valer à partir do mês de maio. Vamos à um resumo:
 
1. Para imigrar, você tem que se qualificar em uma das situações abaixo:
  • Ter pelo menos um ano de experiência contínua em uma das categorias de trabalho (NOC) aprovadas pelo ministério de imigração - A lista aparece no site, mas algumas profissões de TI voltaram (eba!), a outras já clássicas, como engenheiro de minas, algumas especialidades médicas, etc. continuam na lista;
  • Ter uma oferta de emprego - ver mais detalhes no site do CIC;
  • Ser elegível para entrar pelo programa PhD.
2. Se você acha que se qualifica, então, voê precisa comprovar sua proficiência em inglês e francês, segundo os critérios do governo do Canadá. Para o teste de inglês, eles aceitam o CELPIP (mínimo 4L) ou o IELTS (mínimo 6.0), e para o francês, é necessário apresentar o TEF (míninmos 206 reading, 248 listening, e 309 em speaking e writing);
 
3. Finalmente, você precisa já fazer a validação e equivalência de seu diploma universitário antes de vir para o Canadá. O site dá instruções sobre o assunto.
 
O governo federal continua colocando um limite de aplicantes por ano. Serão 5000 aplicantes sendo 300 para cada profissão na lista de 24 profissões da NOC.
 
E vamos seguindo com passos firmes de quem sabe onde quer chegar!
Abração e a Paz
Igor Schultz

domingo, 17 de março de 2013

Dois Anos e Meio de Canadá: Hora de Rever as Contas!

Oie, Povo de Deus!

Chegando à dois anos e meio nas Terras Geladas, muita coisa muda no orçamento de uma família à medida que o tempo vai passando e outros interesses começam a fazer parte da rotina dos imigrantes. Claro que isso muda de caso a caso e assim, estamos dando aqui o nosso exemplo. Este exemplo também pode variar conforme os interesses e decisões de cada um. Assim, esperamos poder ajudar com um ponto de vista particular mas que reflete um pouco da realidade aqui. Como todos sabem, temos uma família de 5 pessoas. Eu, minha esposa, dois adolescentes e um bebê. Nosso orçamento reflete esta realidade. Os valores são aproximados apenas para dar uma idéia.
 
- Despesas da casa: como vocês já sabem, compramos uma casa. Assim, o financiamento da casa varia conforme o valor que você pagou na casa e também o valor pago na entrada da casa. Nosso post sobre as despesas da casa entra mais em detalhes sobre o assunto;
- Conta de água: não pagamos água no Canadá. Porém, pagamos o imposto municipal, onde um fator de consumo de água é acrescentado no cálculo do valor final. Assim, se toda a população economizar água, vamos pagar menos imposto. Aqui em Candiac, o imposto deu uns $2.300 este ano de 2013;
 
- Conta de luz: A conta de luz em uma casa é paga mensalmente. No nosso apartamento alugado, pagávamos à cada 2 meses. Ela torna-se bem cara no inverno por causa do aquecimento de nossa casa, que é elétrico, e é um pouco mais barata no verão. Assim, pagamos 180 dólares por mês. Para comparar, quando alugávamos o apartamento, pagávamos 90 dólares à cada 2 meses;

- Conta de telefone: Ainda pagamos a mesma coisa que antes: Em torno de 100 dólares na Bell para mim e a Cris, com internet incluída e tudo ilimitado dentro do Canadá. Ainda está em minha lista de pendências tentar abaixar o preço deste pacote... Para as crianças, consegui um telefone para cada um por 20 dólares na Rogers, sem internet, mas com Wifi. Assim, eles acessam em casa. É a mesma coisa que a gente pagava pelo telefone dos 2 na Solo Mobile;

- TV a cabo e Internet: 120 dólares por mês. Continuamos com o mesmo pacote da Videotron. Liguei para eles dizendo que ia cair fora e eles me deram uma internet 10 vezes mais veloz pelo mesmo preço;

- Gasolina do Carro: reduzimos nosso orçamento para 60 dólares por semana, pois não estamos usando tanto o carro;

- Supermercado: 150 dólares por semana, mas às vezes passa um pouco;

- Seguro da Casa: 65 dólares por mês, inclui tudo o necessário, inclusive o direito de seguro por roubo mesmo que o ladrão não precise arrombar sua casa (!!!), pois o básico só cobre roubo se provarmos que o ladrão precisou arrombar a casa... Este seguro é feito com um convênio da minha empresa, e por isso fica um pouco mais barato.

- Seguro do Carro: 70 dólares por mês.

- Passe de Ônibus: temos apenas o passe TRAM zona 5 (Candiac) que custa 151 dólares por mês. AS crianças não usam transporte público nem a Cris. Neste ponto, estamos economizando em relação ao que tínhamos antes de comprar a casa, onde todo mundo tinha um cartão de ônibus.

- Garderie do Thiago: 120 dólares por semana e o governo devolve 327 dólares todo mês à título de antecipação do crédito a que temos direito por ter um filho na garderie. Ops, para quem ainda não sabe, garderie é um serviço de creche onde você deixa o seu bebê ou filho em idade pré-escolar para ser cuidado durante o dia quando você trabalha ou estuda. Assim, a garderie tem atividades e cuida da rotina da criança (bota pra dormir, dá comida, troca a fralda, etc).

Bem, para dar uma visão geral, é isso. Não temos orçamento para despesas extras, mas fazemos tipo uma provisão no cartão de crédito que usamos para este tipo de coisa.

E vamos seguindo com passos firmes de quem sabe onde quer chegar!

Abração e a Paz

sábado, 9 de março de 2013

Segunda Viagem aos EUA: Disney World


Hey everybody, it's me, Mickey Mouse...

Brincadeira, pessoal! Aqui na América do Norte existe uma semana de feriado escolar no mês de Março, chamada de spring break ou semana de relâche. Este ano, aproveitamos esta semana para viajarmos e realizarmos um sonho de toda a família: visitar os parques da Disney em Orlando na Flórida. Sei que este assunto até não tem muito a ver com a nossa imigração, mas gostaria de destacar alguns pontos interessantes quando se visita os EUA vindo do Canadá em uma viagem como essa.
Um primeiro ponto bem interessante são as diferenças de tarifas aéreas que existem entre o Canadá e os EUA. as tarifas aéreas são muito mais baratas à partir dos EUA do que de Montréal. Assim, a gente comprou nossas passagens saindo de Burlington, Vermont. Essa cidade americana fica à 1h de carro daqui de casa mas as passagens custaram 200 dólares mais barato cada uma! Até mesmo se você visitar o site do aeroporto de Plattsburg, outra cidade próxima, mas no estado de New York, aparece escrito que é o "Aeroporto Americano de Montréal"... Que deboche!

Bem, saímos de Montréal e logo tivemos de passar pela fronteira. Para quem ainda não sabe, é necessário ter um visto americano para se entrar nos EUA, mesmo sendo residente permanente. Somente quando a gente ganha a cidadania é que não precisamos mais do visto. Assim, toda vez que entramos, tem uma pequena sessão na alfândega, onde eles têm que nos dar o tal "papelzinho branco", que é uma autorização adicional que dura um tempo bem limitado, alguns meses apenas. Toda vez que o tempo expira, você é solicitado a emitir um outro quando cruza a fronteira.

Pegamos o avião da JetBlue em Burlington, fizemos escala em New York, chegando em Orlando lá pelas 3 da manhã. Assim, passamos a manhã dormindo e de tarde fomos passear em Downtown Disney, onde tem bastante coisa pra ver e comprar. Estava um frio de 3 graus, algo nunca visto em Orlando. O Thiago achou o bonequinho do Mickey dele e se agarrou pra não soltar mais. No segundo dio visitamos o Magic Kingdom, que foi o primeiro parque criado por Walt Disney, famoso pelo castelo da cinderela entre outras coisas. As filas estavam grandes, mas nada que fosse desesperador. No final do dia, descobrimos o esquema do FastPass, onde a gente pode pegar um ticket para programar o horário da nossa ida em um brinquedo, evitando a espera nas filas regulares. Genial! Ficamos bastante tempo na chamada FutureLand, que hoje em dia mais se parece com a terra dos anos 70, mas foi incrementada com as últimas atrações da Disney, como Lilo&Stitch, Monstros S/A e Toy Story, entre outros. A montanha russa Space Mountain é sensacional! Mas muitos brinquedos são bem antigos e alguns até mesmo conservados em operação como uma homenagem à Disney. No mais, tudo bem organizadinho, até mesmo com Stroller Parking (estacionamentos para carrinhos de bebês) em tudo o que era lugar.

Terceiro dia, fomos visitar Hollywood Studios. Andamos bastante (ufa!) mas gostamos muito do show do Indiana Jones e do brinquedo StarWars. O show da Bela e a Fera também foi muito legal! E o Thiago gostou de passear no cenário de "Querida, Encolhi as Crianças". Ele se perdeu dentro de um formigueiro! No final do dia, levamos o Thiago para curtir o show de fantoches do Disney Junior e todos fomos para uma apresentação gigante do Mickey em um teatro ao vivo. Saindo de lá, tínhamos fastpasses para ir na montanha russa HardRock Cafe. E foi sensacional! No quarto dia visitamos o Epcot. Este dia foi meio chato, mas teve uns lances legais, como o Mission Space, que simula uma viagem espacial, com gravidade e tudo! E também tem pequenas cidades que representam alguns países típicos do planeta. O Brasil não estava representado infelizmente, mas achamos o Canadá e assistimos um filme muito emocionante!

Vimos também o Animal Kingdom, que foi o parque mais legal em nossa opinião, fora o Magic Kingdom. É como um zoológico gigante, mas tem tudo que é bicho, desde safári na África, passando por insetos, até dinossauros. E uma montanha russa muito legal, a Expedition Everest, onde a gente foi várias vezes, até que eu perdi o medo de montanhas russas, finalmente, ehehe! No outro dia visitamos o Universal Studios, que não é um parque Disney, mas estava na programação. O Universal possui dois parques, e a gente optou por ir no Islands of Adventure, que tem o parque do Harry Potter, que as crianças adoram. Mas tem muito mais que isso! Tem uma montanha russa do Hulk que deixa todo mundo verde, pois é muito rápida! E um brinquedo do Homem-Aranha 3D onde a gente passeia com ele pela cidade enquanto os vilões tentam destruir o nosso carrinho...

E, é claro, em todos os parques da Disney passam os desfiles com os personagens, vàrias vezes por dia, e é super emocionante e cativante. Todo mundo dança e o som é difundido por todo o parque em alto-falantes que a gente nem sabe direito onde estão... Os caras realmente botam pra quebrar!
No último dia, fizemos compras em um Outlet. Tudo muito barato! Achamos tênis de corrida Misuno Wave Creation 13 por 149 dólares, e o segundo par ia pela metade do preço! As roupas do bebê também estavam baratas. Como a gente sempre diz, os EUA são o Paraguai dos canadenses...


Bem, a viagem levou 9 dias, e é realmente un lugar onde a gente não vai para descansar, pois a gente passa o dia inteiro caminhando e indo nos brinquedos, mas vai deixar saudades. É realmente muito legal e vale a pena.

Sonho realizado, vamos para o próximo!

E vamos seguindo com passos firmes de quem sabe onde quer chegar!
Abração e a Paz

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Défi Escaliers 2013

Allo, Pessoal!

Esta semana aconteceu um lance super legal em nossa empresa que eu ainda não tinha visto: o Défi Escaliers 2013. Resolvi colocar um post aqui porque acabei descobrindo que um montão de empresas fazem eventos semelhantes: os funcionários são desafiados a superar um objetivo físico em prol de uma instituição assistencial. No nosso caso, a nossa empresa CGI pleiteou o Défi Escaliers 2013, onde a empresa doaria 13 dólares para uma instituição de cuidados de crianças para cada funcionário que se inscrevesse e subisse ao menos um andar do nosso prédio de 25 andares.
 
No dia, foi tudo bem organizado: camisetas, lanches, água, toalhinhas e muitos voluntários funcionários em todos os andares. Foi super legal. Eu me inscrevi e subi até o 15 duas vezes. E todo mundo super empolgado em se superar e ajudar a conseguir o máximo possível de doações. Consegui ainda ter tempo de tirar uma foto de um rapaz que estava chegando no 15° andar... uma vitória!
 
E vamos seguindo com passos firmes de quem sabe onde quer chegar!
 
Abração e a Paz