segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Sentimento de quem fica

Há dias estou ensaiando para escrever este post. Desde que o Igor foi embora. Porém a vida vai ficando mais louca ainda, e eu não tenho tido ânimo de escrever e dar conta de contar todas as coisas que sinto. Confesso que a ficha caiu mesmo com a partida do Igor.
Acordo durante as noites a me vem a mente: Meu Deus, que loucura, porque estou fazendo tudo isso? Ao mesmo tempo sinto uma convicção que temos que viver tudo isso, que há algo bom que iremos viver no Canadá. Com a iminência da partida, tenho sentido um grande amor pela minha Nação. Tenho olhado para nosso povo com mais amor, reconhecendo como é bom conviver com brasileiros. Isso me trás a certeza de que pertenço a este país, isso nunca vai mudar.
Não sei dizer se é pior para quem vai ou para quem fica. Como parte do planejamento o Igor foi na frente para preparar tudo para que eu chegasse com as crianças com pelo menos uma casa para morarmos.
Depois que o Igor partiu vivemos na expectativa de saber o que está acontecendo por lá. Deixo o Skype ligado o dia todo, sempre esperando notícias. Enquanto isso vou seguindo com o plano que restou para mim: desmontar toda a casa, finalizar um milhão de coisas que ainda tem para fazer, vender o carro, pintar a casa, fechar o contrato com a imobiliária, doar, vender e dar fim a tudo que não vou levar, terminar meu curso de gradução, fazer TCC, ai meu Deus.....ainda tenho que me livrar do condomínio, que ainda sou síndica e preciso terminar uma obras para entregar tudo certinho, eheheh. Gente, vamos combinar, isso não é nada fácil, acho que é a pior parte (além das despedidas), sem dúvida nenhuma. Decidi neste final de semana que vou parar com o inglês, chega, tenho que passar as tardes finalizando tudo que tenho para fazer, além de fazer os exames médicos que me comproti com minha Gineco, tenho que fazer fisioterapia para me recuperar de dores na coluna, então preciso de tempo para dar fim em tudo e embarcar dia 6 de dezembro (dia do meu aniversário, eheheh)
O Igor já alugou a nossa casa, confesso que não foi uma tarefa fácil aceitar o local que ele escolheu. Sempre tive na minha cabeça que queria morar perto do centro, com todas as facildiades a mão. O Igor saiu daqui convencido em morar onde escolhemos juntos ainda no Brasil. Chegando lá, ele hospedou-se na casa de nossos amigos e encantou-se com o lugar. Não preciso dizer mais nada, ele acabou me convencendo de que seria melhor inciarmos nossa vida naquele bairro. Ele disse que o local é como um grande condomínio vertical no Brasil e comparou que seria como viver dentro do Jardim Botânico de Curitiba, porém com dimensão ampliada. O que eu poderia dizer? Pensei: ele está lá, vendo tudo, sentindo tudo, a mim resta apenas confiar que ele sabe do que gostamos e buscará o melhor. Assim foi. Igor conseguiu um ap com contrato de 7 meses, próximo dos nossos amigos, que poderão me dar um apoio quando chegar com as criança. Já se mudou e está morando no ap. desde a sexta passada. Devagarinho tudo vai se ajeitando, e nossa vida vai se construindo por lá.
De tudo que tenho vivido nestes últimos dias a conclusão que chego é: imigrar não é para qualquer um, é preciso ter um grande espírito de aventura, não possuir nenhum tipo de apego, ter muita, muita coragem e sobretudo muita fé.
E diante de toda essa agitação vamos seguindo em frente com passos firmes de quem sabe onde quer chegar, sinto que estamos cada vez mais perto do destino Canadá, chegando lá novos desafios nos farão seguir com passos firmes....com a Graça de Deus.

5 comentários:

Sandro disse...

Cris, fica tranquila que estamos "cuidando" do Igor por aqui... k k k k.

Quanto ao bairro que o Igor escolheu (não sei se pode por o nome aqui...) tanto faz, pois qdo vcs chegarem vai estar tudo branco mesmo! k k k k

:) Família Feliz :) disse...

Pode confiar, Deus é sempre fiel.
Você vai amar a nova vida que se inicia, o lugar onde vai morar com sua família com certeza é maravilhoso!
Bom trabalho, boa sorte p/ finalizar essas tarefas da reta final!
Bjs Cristine

Anônimo disse...

Olá Cris que turbilhão de sentimentos neste hora da partida??Como voces já disseram "Deus não nos dá um fardo maior que podemos carregar". Cris em relação a venda do carro gostaria de dar uma pequena dica!! Se voces não tiverem nenhum comprador em vista como: parentes ou amigos ou algum conhecido da igreja, sugiro que o coloque a venda o mais rápido possível, pois tem demorado muio para vender carro usado, devido as facilidades em adquirir um zero Km. E seu que o carro é fundamental e indispensável nesta hora,converse com amigos e familiares para voces terem uma noção do tempo médio de venda.
Um abraço e continue com passos firmes no Senhor!
Carlos Henrique

Ju Chemim Tambosi disse...

Amiga!!!!
Imagino como está a sua cabeça e seu coração!!!
Deve dar uma insegurança mesmo... acho que este sentimento é extremamente normal, estranho seria se vcs não sentissem nada! Mas Cris, confia no nosso Amigo! Vcs se entregaram para seguir o caminho que Ele desenhar, assim como nós, e é Isso, esta fé que nos dá força e segurança para seguir em frente!
Te admiro muito minha amiga!

Me ligue, vamos combinar uma pizza antes da sua partida.
Bjs

Paola Tavares Silva Wortman disse...

oi cris! procurando aqui o post da carteira de motorista acabei achando este. muito bonito e me emocionou muito.
bom ter o privilegio de estar perto de vcs. obrigada por tudo, paola