terça-feira, 12 de outubro de 2010

Despedida da Vovó

Olá, Pessoal

A série "despedidas" começou a ficar muito emocionante... Este feriado de N. S. Aparecida, estivemos em Porto Alegre, para as despedidas gerais de todos os parentes, principalmente de minha vó, a única ainda viva... Chegamos no sábado de manhã e saímos na terça à tarde, mas este tempo foi bom para revermos todas as tias, primos, parentes, amigos de Porto Alegre. Fomos também a Caxias do Sul, visitar uns amigos que há tempo não víamos, e também nos despedimos... E na hora de ir embora, quanta emoção... Não queríamos mostrar que estávamos emocionados, para a vó também não ficar triste... Mas foi difícil... Então, todos resolveram revelar seus dons e começaram a proclamar poemas e a cantar canções líricas... Tudo na sacada do prédio... Foi muito legal! E a vó proclamou então de cor o poema "Flor de Maracujá", de Catulo da Paixão Cearense... Eu lembrei da minha mãe, que proclamava este poema sempre nas festas juninas dos colégios quando a gente era pequeno... Segue um link para o poema para vocês se deliciarem...

Mais uma coisa de que precisamos nos desapegar... Das nossas pessoas queridas... Nossa, a gente pensa. Ah, vai ser tranquilo, mas quando a gente dá tchau antes de ir para o Canadá, a gente percebe que é MUUIITOOO difícil... Mas tem que soltar a mão e ir embora, por vontade própria... A pessoa que fica não tem muita opção, ela só pode ficar, mas a gente sempre pode desistir de tudo e também ficar, mas depois disso, mais um passo para o aeroporto, mais uma cena vista pela última vez, mais uma cidade que passa pela janela do avião pela última vez... Realmente, é o momento das "últimas vezes", mas sem muito drama, ehehe, porque ano que vem planejamos visitar novamente o Brasil e muitos amigos e parentes estão fazendo planos para nos visitar também!

Enfim, foi um feriado que realmente vai deixar saudades, mas combinamos muitas coisas, entre idas e vindas ao Canadá e idas e vindas a Porto Alegre, o importante é não deixar de sempre visitar as pessoas, pois a gente nunca sabe quando vamos vê-las novamente! Este foi mais um passo dado com a firmeza de quem sabe onde quer chegar!!!

Abração e a Paz

Um comentário:

Paola Tavares Silva Wortman disse...

oi cris! lindo o poema ... gostei. inclusive enviei pra minha mae que adora poemas.
as despedidas fazem parte, mas na sao sempre faceis. agora estou mais acostumada, mas teve uma epoca em que eu quase morria de tanto chorar na hora de voltar ... e chorava mais ainda depois que chegava aqui. hoje, alem de nao poder "dar um show" perto das meninas, tb estou mais acostumada e talvez mais madura.
e o igor, quando vai?
beijos!