terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Fim do Silêncio

Olá turma, depois de 112 dias em silêncio estou de volta postando por aqui. Este silêncio aconteceu por conta das inúmeras tarefas que precisei realizar antes e depois de vir pro Canadá. Confesso, não foi nada fácil finalizar as coisas no Brasil e também não é fácil o início da vida por aqui. Vou tentar explicar meus sentimentos:

Saída do Brasil: como havia comentado no último post eu tinha muito coisa pra resolver, assim como o Igor quando chegou por aqui, mas gente nesse processo de vir pro Canadá duvido que haja algo mais difícil que dar fim nas coisas de uma casa. Nós temos 16 anos de casados, então juntamos muita tralha. Havia coisas que podíamos vender e outras sem condições, não serviam nem pra ser doadas. A finalização de tudo eu fiz com a ajuda de amigos que foram fundamentais neste momento, sem eles eu não sobreviveria a esta etapa. Fica aqui meu eterno agraecimento a todos. Uma dica que deixo aqui procurem vender tudo com certa antecedência, isso nos ajudou bastante.

Primeiras Semanas: Quando cheguei aqui sentia uma mistura de novidade, vida nova, porém com aquela saudade das pessoas e a vida que deixei no Brasil. No primeiro mês vive uma ser apatia. Fiquei paralizada, tinha receio de sair de casa e alguém vir falar comigo....eheheh. Não fazia nada sem o Igor e isso começou a me deixar meio deprimida. Imaginem, a vida agitada e independente que eu tinha no Brasil passou para uma vida em casa, sossegada e ainda com os sintomas da gravidez. Não foi fácil, mas isso acabou no dia 7 de janeiro.

Nasci para o Canadá: VOU CONTAR, PORQUE FOI MUITO ESPECIAL PARA MIM:

Lembro-me como se fosse hoje.....foi o dia em que o Igor fez o teste de direção, estava em casa no período da manhã. Neste dia creio que tive uma iluminação Divina, sério gente....foi super especial....Nesta manhã enquanto tomávamos nosso café da manhã eu dividia com o Igor minhas angústias, em meio a lágrimas. Podem ter certeza, todos que vem pra cá em algum momento sentem vontade ou choram, assim como eu...

Nesse dia o Igor, que não mede esforços para me deixar feliz, disse-me muitas coisas boas, entre elas falou-me que eu precisa nascer para o Canadá e de fato decidir que a partir daquele momento eu iria ser feliz aqui, neste lugar que eu escolhi. Disse-me também que se eu realmente não fosse feliz aqui não haveria problema algum retornarmos para o Brasil, já que estarmos aqui foi uma opção nossa. Acontece que eu não queria voltar, só queria poder dar conta da minha vida sozinha, sem as limitações com a falta de domínio da língua, sem sentir-me tão limitada, tão sufocada pela falta de autonomia, sem sentir-me cansada o tempo todo, com sono , com enjôos, sem energia, estes últimos todos sintomas da gravidez que associados a grande mudança de vida, tudo tomavam uma proporção maior do o devido....
Depois de ter chorado bastante e conversado com o Igor sobre meus sentimentos (homens, as vezes as mulheres não querem que vocês dêem soluções, apenas precisamos ser escutadas, eheheh) - senti em meu interior algo que dizia pra mim: vá meditar, silencie seu coração e deixe Eu falar com você. Nesta mesma hora levantei-me da mesa (jã com o choro mais dominado) e disse pro Igor: vou meditar (claro que ele não entendeu nada, eheheh).
Levantei-me e fui para o quarto, me coloquei na posição de meditação Yoga, fiquei em silêncio por mais ou menos 40 minutos. Sentia como se uma luz entrasse em mim me enchendo de energia e amor, muito amor. Coloquei-me em estado de oração como nunca havia experimentado e foi muito, muito bom. Depois dessa meditação fiz exercício de Yoga para grávidas em seguida sai do quarto outra pessoa. Acredito que realmente tomei a decisão de nascer para o Canadá...
Quando saí do quarto o Igor perguntou-me se queria ir com ele no exame de direção e mais que prontamente aceitei. Ele me alertou que poderia ficar lá por horas sem fazer nada, então eu disse: Prefiro passar horas esperando mas vendo gente, do que ficar infurnada em casa. Lá fomo nós, ficamos 4 horas esperando, mas eu não me importei, sem contar que no final o Igor passou no teste. Enquanto esperava fiquei vendo as pessoas, suas ações, seus semblantes, como reagiam as situações e foi muito divertido.
A partir desse dia me tornei outra pessoa....não que as coisas tenham ficado fáceis, mas a forma como passei a encarar é que mudou toda história..... acho que nesta vida é isso mesmo, os problemas existem, mas como vamos enfrentá-los é que faz toda diferença para sermos feliz...Temos que parar de ter pena de nós mesmos, achar que alguém vai nos tornar felizes, quando a responsabilidade do encontro com a felicidade diz respeito apenas a nós....é uma decisão, além da certeza e a esperança que temos um Deus que nos conhece, nos sonda a todo momento, mas não como alguém que espiona o que fazemos, mas como alguém que nos acompanha a todo instante.....
Tenho outras coisas pra contar, mas este post já está enorme, então deixo para o próximo post contar sobre o meu curso de inglês, os novos amigos, os trabalhos na Igreja, sobre o atendimento médico, sobre o bebê (é um menino e chamará Thiago), sobre o atendimento hospitalar (que é ótimo, pelo menos no caso de quem está grávida), e muitas outras coisas boas que tenho para contar....
Enquanto isso sigamos todos com passos firmes de quem sabe onde quer chegar......

10 comentários:

Ju Chemim Tambosi disse...

Amiga!!!
Lindo post... saudades de vcs! Parbéns pelo Thiago... Imagino o qto deve ter sido difícil p/ vc toda esta mudança.
Ontem fomos à escola, no Cenáculo, não tem como não lembrar de vcs lá! Já se inteiraram sobre o movimento por aí?
Beijos p/ vc e p/ toda família

:) Família Feliz :) disse...

Valeu Cris!
Nós mesmas construímos nossas oportunidades de felicidade e adaptabilidade!
Você é guerreira e conduz a sua familia com a ajuda de Deus.
Eu bem sei o que é ficar pra trás e apagar a luz!
Boa gravidez e boa adaptação.
Bjs
Cristine

César, Valéria, Lara e Anaclara disse...

Meus parabéns. Com certeza apesar das dificuldades naturais de um processo como esse você será muito feliz aqui. E que venha um príncipe maravilhoso com muita saúde e alegria.

E a vida segue...

Cherry disse...

Nossa Cris, como Deus é misericordioso ehin!! como se não bastasse a benção de uma nova casa e uma nova vida, ele também presenteou vocês com uma criança! Fiquei maravilhada com o que narrou, quanto à conversa de Deus contigo, que pela graça dele também tenho experimentado!!
Não tenho muito a falar, só que Deus se manifeste ainda mais nas suas vidas e que assim vocês consigam com a graça dele ser preletores do seu amor e da presença dele em sua vida, que vocês continuem a levar mais e mais vidas para a presença de Deus! (assim como foi a minha!)
Saudades!!!

Com o pé no Canadá disse...

Q delicia esse relate Cris!
Se nos fossemos continuar morando no Brasil eu ja estaria gravida, mas agora quero esperar chegar por ai... Ter um canadensesinho :)
E muito bom saber q o atendimento as gravidas e bom por ai.

Bjs, Sa

Lupatinadora disse...

Imigração é um renascimento. Quase tudo temos que reaprender, desde como dar bom dia pra um estranho na rua, passando por fazer furo na parede (vou ter que fazer um post só pra isso, está sendo uma aventura!), reaprender a dirigir... Que bom que espiritualmente você já está mais ligada ao Pólo Norte ;-)

Abs e passos firmes!

Sandro e Família disse...

Cris,

Fiquei muito feliz em ler seu post e acompanhar o seu nascimento para o Canadá.
Realmente para a adaptação aqui temos que cumprir várias etapas e o nascimento e querer que o Canadá faça parte da sua vida é um dos mais importantes.

Muitas felicidades na jornada.

Abraço

Janaina Catlin disse...

Oi amiga... que gostoso ler essas suas palavras. Essa é a Cris que eu conheço, firme e com fé!!!! Peguei seu telefone com a Jana... aguarde que qq dia ligo para matar a saudades. Beijos para toda família...Jana e Sergio!!!

Liana disse...

Seus posts sempre inspiradores! Vcs ja passaram por tanta coisa no processo, que bom que superou mais esta! Só não entendi uma coisa ainda... Porque mesmo ai, em montreal voce esta estudando ingles e nao frances?! Bjao Liana ( lianacardosobr@gmail.com)

Cris disse...

Olá Cris,

Também me chamo Cris. Comecei ler o blog de vocês em meio de tantos outros depois que decidimos tentar nosso processo. De todos os blogs que estou lendo, o que mais gostei foi o de vocês, pois nos indentificamos muito com vocês, em todos os aspectos. Temos um filho de 3 aninhos e estamos tentando outro. O motivo de querermos imigrar é principalmente para dar uma boa vida aos nossos filhos, com segurança principalmente. No entanto, estamos bem no início do processo. Procuramos um consultor o qual nos disse que seria muito difícil conseguirmos aplicar para o FSW principalmente porque não temos fluência do inglês e pela idade. Como sou química e trabalho na área, o consultor indicou que eu tentasse fazer um pós-doc no Canadá e meu marido ir com visto de trabalho temporário. Estamos estudando todas as possibilidades. Já entrei em contato com alguns professores de algumas universidades, mas infelizmente eles não respondem. Meu marido também é da área de TI, ele está muito dedicado nos estudos de inglês. Pensamos em ele adquirir fluência, para tentar o IELTS e aplicar futuramente para o FSW. Estamos ciente que será um processo demorado, mas estamos nos planejando para isso porque queremos muito imigrar. Desculpe o longo comentário mas senti muita vontade de escrever pra vocês. Eu desejo muita saúde, fé e paz pra vocês. Ainda estou em 2011 nos seus posts, ansiosa para terminar de ler. Felicidades e um grande abraço.

Cris